termos

Base de ativos regulatórios

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:29/06/2020 às 15:09 - Atualizado 2 anos atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é Base de ativos regulatórios?

Base de Ativos Regulatórios, ou BAR, é um termo usado no universo da contabilidade de empresas específicas, aquelas que atuam em concessão de serviços públicos, como distribuição de energia elétrica.

Entendendo a Base de Ativos Regulatórios

Antes de entender a base de ativos regulatórios, precisamos de outro conceito, que é a concessão de serviços públicos. Basicamente, trata-se de uma situação em que o Estado concede a uma empresa privada o direito de atuar na prestação de um serviço que, a princípio, seria de sua responsabilidade.?

Para isso, a empresa deve pagar um certo valor ao “poder concedente” (o governo que seria competente pela realização do serviço em concessão; por exemplo, o governo federal ou o governo do município de Porto Alegre), além de cumprir uma série de requisitos e regras previstos na legislação e no contrato da concessão. A norma jurídica mais importante que trata da concessão de serviços públicos é a Lei 8.987 de 1995.

A partir do momento em que uma empresa entra em contrato de concessão com o governo, ela torna-se uma concessionária. É o caso das empresas que assumem o serviço da distribuição de energia elétrica.?

Os clientes da empresa concessionária têm direito a receber um serviço de qualidade e pagar uma tarifa justa pelo serviço, e garantir essas condições é um dos pressupostos para a concessão dos serviços públicos, previsto no artigo 6°, §1º da Lei 8.987.

Ao mesmo tempo, a empresa concessionária tem direito a obter uma receita suficiente para cobrir seus custos operacionais e obter uma remuneração sobre o capital que ela investe para fazer a prestação de serviços. Nenhuma empresa trabalha de graça.

Ora, se a empresa tem direito a receber essa remuneração sobre o capital que ela investiu, deve haver uma maneira de identificar qual foi o capital que ela investiu. Somente assim será possível determinar se as tarifas que estão sendo cobradas da população são justas ou não, tanto para o lado da população quanto para o lado da empresa. Isso nos leva à base de ativos regulatórios.

A base de ativos regulatórios é uma categoria da contabilidade que as concessionárias precisam manter, que se refere ao conjunto de ativos destinados a investimentos prudentes realizados onerosamente pela empresa.

Chamamos de “investimentos prudentes” os valores disponibilizados pela empresa para garantir a continuidade da prestação do serviço, e eles são prudentes porque não são feitos de maneira descontrolada, mas buscando a eficiência. Para isso, devem ser consideradas questões como as necessidades da população atendida pelo serviço e as soluções disponíveis de menor custo.

É por isso que os ativos ligados a investimentos prudentes são colocados na categoria de Base de Ativos Regulatórios, de modo que seja fácil identificar quanto a empresa está destinando para a prestação do serviço e quanto ela deve cobrar de tarifa.?

Como a Base de Ativos Regulatórios é utilizada?

A informação da base de ativos regulatórios é combinada com outras informações relevantes, como o custo de oportunidade do capital e o tempo de vida útil dos ativos. Elas são usadas para que, periodicamente, seja feita uma revisão tarifária.

Essa revisão só é possível se houver um registro adequado do quanto a empresa destinou aos investimentos prudentes, o que exige um controle contábil rigoroso.

É importante destacar que existe sempre uma autoridade regulatória que faz a validação da base de ativos regulatórios. Ela avalia se os ativos incluídos nessa categoria realmente são condizentes com a ideia de investimentos prudentes.

Se uma concessionária gasta mais do que necessário para garantir a prestação do serviço, é sinal de que existe ineficiência. Nesse caso, a solução não é aumentar as tarifas e repassar os gastos extras para a população, mas revisar a forma como essa empresa está conduzindo suas operações.

Sobre o autor
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre
Flávio Augusto da Silva

Flávio Augusto da Silva

Quem é Flávio Augusto da Silva? Flávio Augusto da Silva é o fundador de uma das maiores redes de ensino do Brasil, a Wise Up. Além disso,...

  CONTINUAR LENDO