Outros

A Magazine Luiza é uma das companhias de maior destaque no varejo brasileiro. O aumento da atuação da empresa trouxe bons resultados nos últimos anos. Entre 2016 e 2019, as ações da Magazine Luiza (MGLU3) cresceram 18.000%. Atualmente, os papéis da Magazine Luiza são valorizados e acessíveis, e contam com projeções futuras bem favoráveis.

Foto: Reprodução

Neste artigo, você vai conhecer mais sobre a empresa, sua história, a valorização das ações, pagamentos de dividendos e se vale a pena investir nas ações da Magazine Luiza.

O que é a Magazine Luiza?

A Magazine Luiza, conhecida como Magalu, começou como uma loja de presentes em 1957, em Franca, numa cidade do interior paulista. Ao longo dos 60 anos, a empresa passou por diversas transformações até se consolidar como uma das maiores varejistas do Brasil. Há dois anos, a companhia se posicionou no mercado como uma das maiores plataformas digitais de varejo.

A empresa se sustenta com base em cinco pilares: entrega rápida, crescimento exponencial, ofertas de produtos, Magalu ao seu Serviço e super aplicativo. Atualmente, a empresa conta com mais de 34.000 colaboradores, 1.113 lojas físicas em 21 estados e 17 centros de distribuições em várias regiões do país composta de 2.500 caminhões.

A Magazine Luiza faturou 1 bilhão de reais em 43 anos com as lojas físicas. Em apenas Dez anos, a empresa atingiu a mesma marca com a vendas online. Em 2019, as vendas totais da Magazine Luiza chegaram em quase 28 bilhões de reais.

História da Magazine Luiza

Em 16 de novembro de 1957, o casal de vendedores José Donato e Luiza Trajano Donato abriram a loja de presentes Magazine Luiza para gerar emprego para toda família. A escolha do nome foi feita por meio de um concurso cultural na rádio local de Franca.

Vários clientes deram sugestões. Muitos deles escolheram Luiza, nome de uma vendedora bastante popular da cidade. Nascia ali a Magazine Luiza S. A.

Em 1976, a companhia adquiriu as Lojas Mercantil e abriu suas primeiras filiais em outras cidades do interior paulista. Nos anos 80 e 90, a Magalu se expandiu para as cidades de Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Em 2000, a empresa criou seu site. No ano seguinte, em parceria com o Itaú Unibanco, a empresa lançou seu cartão – LuizaCred. Até 2005, a Magazine Luiza adquiriu várias empresas, como Wanel, Lojas Líder, Kilar, Lojas Base, Madol e Lojas Arno.

Em 2003, a Magazine Luiza foi a primeira empresa de varejo do mundo a receber o título de melhor empresa para trabalhar no Brasil, do Instituto Great Place to Work. Cinco anos depois, quase 50 lojas são inauguradas no mesmo dia na cidade de São Paulo, conquistando 1 milhão de novos clientes. Em 2010, a empresa chegava na região Nordeste, adquirindo as redes Lojas Maia, com 136 unidades.

Transformação digital

Em 2011, a companhia abriu seu capital e passou a constar na lista da BM&FBovespa. No mesmo ano, a Magazine Luiza comprou a rede Baú da Felicidade. No ano seguinte, a empresa lançou o Chip Luiza, para oferecer acesso gratuito às redes sociais para clientes de baixa renda.

Em 2014, a Magazine Luiza se tornou uma das patrocinadoras da Copa do Mundo do Brasil. No mesmo ano, a empresa abriu nove centros de distribuições para oferecer menor custo de frete e entregas mais rápidas. Também em 2014, foi desenvolvido o LuizaLabs, laboratório de inovação, começando o ciclo de transformação digital.

Um ano depois, a Magazine Luiza lançou a nova versão do aplicativo Magazine Luiza para mobile. Em 2016, a Magalu foi considerada a companhia de capital aberto que mais se valorizou no mundo. Todos os vendedores fazem atendimento usando o aplicativo Mobile Vendas, pelo smartphone. No mesmo ano, a empresa lançou a plataforma Marketplace, com mais de 50 parceiros que começaram a vender seus produtos dentro do site da Magalu.

Em 2017, a companhia liderou o ranking da B3 por mais um ano, arrecadando 1,8 bilhão de reais em ações. Frederico Trajano é considerado o empreendedor do ano pela Isto É Dinheiro. O LuizaLabs conta com mais de 450 especialistas e engenheiros.

Um ano depois, a empresa passou a ser chamada de Magalu e desenvolve a Campanha de Marketing do 7 x 1 para a Copa do Mundo. A Magalu foi a companhia que mais vendeu televisores para Copa do Mundo da Rússia. A revista americana Fast Company elegeu a Magalu como uma das empresas mais inovadoras do Brasil.

Superaplicativo

Ainda em 2018, o aplicativo da empresa teve mais de 26 milhões de downloads, participando de aproximadamente 40$ das vendas online. Em 2019, a companhia abriu a loja 1.000. Ao mesmo tempo, adquiriu a Netshoes, maior loja online de material esportivo no Brasil.

No mesmo ano, a Magalu arrecadou mais de R$ 4 bilhões de reais com oferta de ações. A empresa se tornou uma das trinta mais valiosas do Brasil. No ano de 2020, mesmo com as limitações impostas pela pandemia causada pelo Covid-19, a empresa comprou o marketplace de livros Estante Virtual. Além disso, a companhia lançou o MagaluPay, nova funcionalidade do seu superaplicativo.

Setor de atuação da Magazine Luiza

Como foi visto, ao longo dos anos, a companhia diversificou suas atividades. Atualmente, a receita operacional da Magalu está dividida entre os seguintes setores:

  1. Magazine Luiza – setor de varejo, com lojas de decoração, móveis, livrarias, farmácias, móveis, vestuários, entre outros.
  2. Consórcio Luiza – setor de consórcio, oferecendo aquisição de bens móveis por meio da compra de uma carta de crédito.
  3. Luizaseg – setor de seguros, em que são oferecidos os seguintes seguros: Compra Segura, Casa Protegida, Proteção Roubo e Furto Qualificado, Cartão Superprotegido etc.
  4. Luizacred – setor de crédito, com o cartão de crédito que o cliente pode parcelar suas compras em até 24 vezes.

Estrutura organizacional da Magazine Luiza

Em 2015, a Magazine Luiza mudou sua estrutura corporativa. Luiza Helena Trajano assumiu a presidência do Conselho de Administração, após 24 anos presidindo a empresa. Seu filho, Frederico Trajano, que era Diretor de Operações, assumiu como diretor presidente (CEO).

A composição acionária da empresa é a seguinte:

Controladores – 58%

Ações em tesouraria – 1%

Ações em circulação – 41%

A Assembleia Geral de acionistas tem diversas competências previstas na Lei das Sociedades por Ações. Uma delas é eleger ou destituir os conselheiros de administração e fiscal. Além disso, o colegiado pode decidir sobre diversos outros assuntos, como aumento ou redução de capital social, distribuição de dividendos acima do limite mínimo previsto em Lei, entre outros.

Ações da Magazine Luiza

Somente em 2011 a Magazine Luiza chegou ao mercado de capitais. Em abril de 2011, a companhia teve a segunda maior oferta pública inicial do ano, com captação de quase 930 milhões de reais. O preço inicial das ações MGLU3 eram de R$ 16,00. Com a entrada da companhia na B3, a Magalu se tornou uma referência de crescimento no Brasil e aumentou seu valor de mercado.

As ações da Magazine Luiza fazem parte do chamado Novo Mercado, em que a B3 enquadra as companhias de mais alto nível. Entre os anos de 2016 e 2019, as ações da Magalu cresceram 18.000%. Ao longo dos anos, a companhia fez a aquisição de várias outras empresas, como: Canal Geek, Hubsales, ComSchool, Canaltech, GFL Logística, Stog, SincLog, entre outras.

Os papéis da Magazine Luiza são destinados para qualquer investidor que deseja investir em renda variável, principalmente para investidores iniciantes.

Situação atual das ações

Em janeiro de 2020, as ações da Magazine Luiza chegaram ao pico de quase 56 reais. A partir de março, as ações sofreram uma queda devido à pandemia do Covid-19. A crise econômica que assolou todo mundo desencadeou impactos consideráveis em vários setores.

Durante 2020, as ações MGLU3 chegaram a valer 7,00, mas a grande varejista começou a se recuperar no mercado e suas ações chegaram no final do ano valendo em torno de R$ 25,00.

A companhia estima um crescimento de 20% nos próximos anos, devido a novas aquisições e investimentos. Atualmente, as ações MGLU3 estão em torno de R$ 18,25.

Direito das ações da Magazine Luiza

As ações da Magazine Luiza são do tipo ordinárias e garantem direito a voto nas Assembleias Gerais da empresa. Além disso, os acionistas têm o direito de receber dividendos a cada exercício social acima de 15% do lucro líquido referente a cada exercício.

Os acionistas também têm o direito assegurado de alienar suas ações em oferta pública, nos casos previstos em contrato.

Como investir nas ações da Magazine Luiza

Antes de comprar as ações da Magazine Luiza, é importante que o investidor avalie se é o momento certo para investir. Antes de comprar qualquer ativo, o investidor deve pesquisar, acompanhar as oscilações da bolsa de valores, avaliar estratégias.

A partir daí, você precisa abrir uma conta numa corretora, ou qualquer instituição que seja credenciada pelos órgãos B3 e CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Depois da abertura, o investidor deve enviar recursos da sua conta bancária para a conta investimento.

A partir daí, é só investir nas ações da Magalu. Além dos riscos recorrentes em investir em ativos de renda variável, o investimento nas ações da Magazine Luiza tem diversos custos, como:

Emolumentos – cobrados pela B3, sobre o valor total das operações de compra e venda. A taxa é fixa em 0,031526%.

Taxa de custódia – cobrada pelas corretoras para manter as ações na carteira. Muitas empresas não cobram mais essa tarifa.

Taxa de corretagem – Valo fixo cobrado pela corretores sobre a movimentação das operações de compra e venda.

ISS – O Imposto sobre serviços tem valor fixo de 5% sobra a taxa de corretagem.

Imposto de Renda - Para operações de day trade (que começam e terminam no mesmo dia), a incidência do imposto de renda é de 20%. Nas outras operações, a alíquota é de 15%.

ÂncoraComo ganhar dinheiro com as ações da Magazine Luiza?

Há duas formas de ganhar dinheiro com as ações MGLU3. A primeira delas é realizando operações de curta ou longo duração, comprando e vendo ações na bolsa de valores. O investidor compra as ações em baixa e vende na alta. As operações podem ser:

Day Trade – acontecem no mesmo dia.

Swing Trade – acontecem em dias ou semanas.

Position Trade – acontecem em semanas ou meses.

Dividendos da Magazine Luiza

A outra forma de obter retorno com as ações da Magazine Luiza é por meio do pagamento de dividendos.

Os dividendos são uma parcela dos lucros que são distribuídos aos acionistas como forma de proventos. Pagar juros sobre capital próprio (JCP) ou dividendos é uma maneira que as empresas têm de recompensar os acionistas e atrair mais investidores.

A Magazine Luiza pagou proventos nos últimos anos, conforme dados abaixo:

TipoDataValor (R$)
JCPdez/200,02354
Dividendosjul/200,0089
JCPdez/190,00184
JCPout/190,01152
dividendosabr/190,01157
JCPdez/180,00185
Dividendosabr/180,00826
JCPdez/170,01237
Dividendosabr/170,00397

As ações da Magazine Luiza geram bons proventos. A diferença entre juros sobre capital próprio e dividendos é sobre a cobrança do Imposto de Renda. No caso dos dividendos, a empresa paga imposto de renda sobre seus rendimentos com uma alíquota de 15%. Os juros sobre capital próprio podem ser inseridos no orçamento da empresa como despesas. Nesse caso, quem paga o imposto de renda são os acionistas.

Dividendos em 2021

Apesar de todas as dificuldades em 2020, a Magazine Luiza obteve um lucro líquido de R$ 377,80 milhões de reais. Além disso, a empresa acumulou uma receita líquida de R$ 29 bilhões. As vendas também cresceram em 66,10% no ano passado. Com base em todos esses resultados, a Magazine Luiza (MGLU3) pagou 170 milhões de reais em dividendos, referente ao exercício social de 2020. O valor por ação pago foi de R$ 0,026.

Vale a pena investir nas ações da Magazine Luiza?

A Bolsa de valores é um mercado de alto risco. Os investidores que decidem investir em renda variável, em geral, têm perfil arrojado. Eles querem obter um maior retorno e para isso estão sujeitos a mais risco.

Diante das valorizações recentes das ações MGLU3, os investidores não podem tomar a decisão de comprar ou vender ações, se baseando apenas no desempenho passado do ativo. É importante conhecer a empresa, entender o mercado atual e analisar as opiniões dos especialistas.

Muitos deles acreditam que vale a pena comprar as ações da Magazine Luiza, pois a empresa tem grande movimentação no mercado. Além disso, a empresa paga proventos de forma recorrente, o que permite aos investidores obter retorno sobre o investimento.

Se o investidor tem foco a longo prazo, as ações da Magazine Luiza são ótimas opções, pois o comércio eletrônico continua em crescimento e a empresa é um exemplo de estratégias bem implementadas no comércio virtual.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais