Logo Mais Retorno
Empresa

Moody’s eleva rating da Petrobras de Ba2 para Ba1, com perspectiva estável

Segundo agência de risco, a mudança foi motivada pelo forte desempenho operacional e financeiro da companhia

Data de publicação:28/09/2021 às 14:24 -
Atualizado 8 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Moody's decidiu nesta terça-feira, 28, elevar o rating da Petrobras de Ba2 para Ba1, com perspectiva estável. Em comunicado, a agência diz que a mudança é motivada primariamente pelo desempenho operacional e financeiro "forte" da empresa, bem como por suas "métricas de crédito sólidas".

Foto: Reprodução
Desempenho forte da petroleira levou a Moody's a elevar o rating da Petrobras - Foto: Reprodução

Segundo a Moody's, a empresa tem histórico positivo de melhoria no desempenho operacional e financeiro, o que resulta em uma métrica de crédito sólida para sua categoria de rating.

Além disso, a agência espera que a disciplina operacional e financeira da empresa continue a apoiar sua geração de caixa.

Para a Moody's, a governança corporativa da companhia "a protege um pouco da interferência do governo" e essa governança tem melhorado desde o início da Operação Lava Jato, no início de 2014.

Diesel: aumento no preço

Menos de 24 horas após o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, reunir a imprensa para dizer que a Petrobras não é a vilã dos preços dos combustíveis, a estatal reajustou o valor do óleo diesel em suas refinarias em R$ 0,25 por litro. O valor passará de R$ 2,81 para R$ 3,06, uma alta de 8,9%. Essa é a primeira revisão em 85 dias.

A nova alta, no entanto, reflete apenas "parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio", informa a Petrobras, na nota. Ou seja, ainda há espaço para novos reajustes.

A Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) calcula uma defasagem de R$ 0,50 por litro em comparação ao mercado internacional, o dobro da revisão concedida pela Petrobras nesta terça-feira.

No comunicado, a Petrobras reforça o argumento de que não é a única responsável pelo preço final dos combustíveis. "Considerando a mistura obrigatória de 12% de biodiesel e 88% de diesel A para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço do diesel na bomba passará a ser de R$ 2,70 por litro em média, uma variação de R$ 0,22", afirma. / com Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!