Logo Mais Retorno
Economia

Exportação de carne bovina registra recorde em junho e chega a US$ 1,14 bilhão

A receita com exportações no mês foi a maior desde o início da série histórica

Data de publicação:06/07/2022 às 10:41 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:

A receita com a exportação brasileira de carne bovina no mês de junho foi a melhor da série histórica, desde 1997, com US$ 1,14 bilhão. Na comparação com junho de 2021, o aumento foi de 36,8% (US$ 835 milhões). Quando se olha o volume, a alta foi de 6,6%, passando de 164 mil toneladas para 175 mil toneladas entre os dois períodos.

Já na comparação com maio de 2022, houve aumento de 5,4% na receita, que foi de US$ 1,08 bilhão no mês anterior. Os dados foram levantados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) e divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

Ações dos frigoríficos sobem na Bolsa com retomada da exportação de carne brasileira desossada pela China
Foto: Minerva/Reprodução

Desempenho no primeiro semestre

No primeiro semestre deste ano, a exportação de carne bovina cresceu 52% em receita em comparação com igual período de 2021. De janeiro a junho deste ano, o faturamento com as vendas chegou a US$ 6,2 bilhões, ante US$ 4,08 bilhões no mesmo período do ano passado.

Em volume, o aumento foi de 21,5%, passando de 874 mil toneladas em 2021 para 1,06 milhão de toneladas até junho deste ano. No mesmo período, o preço médio da proteína cresceu 25,1%, passando de US$ 4,6 mil a tonelada para US$ 5,8 mil por tonelada.

O presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli, disse em comunicado que "os números mostram que a carne bovina brasileira ganha cada vez mais espaço no comércio internacional, graças não só à qualidade do nosso produto, mas também ao posicionamento do Brasil como um importante parceiro comercial de outras nações e não como competidor".

Principais destinos de exportação da carne bovina brasileira

No primeiro semestre de 2022, o Brasil exportou carne bovina para 132 países, sendo que os principais compradores foram a China, com US$ 3,6 bilhões, alta de 86% ante US$ 1,96 bilhão registrados no mesmo período de 2021. No mesmo período, o volume cresceu 35,3% e ficou em 540 mil toneladas ante cerca de 400 mil toneladas.

Na sequência estão os Estados Unidos, com faturamento de US$ 530 milhões no semestre, alta de 67% em relação aos US$ 317 milhões registrados no mesmo período de 2021. A alta no volume foi de 83%, com 78 mil toneladas ante 42,6 mil toneladas.

Os embarques para a União Europeia cresceram 35% em receita com US$ 281 milhões ante US$ 207 milhões, enquanto o volume embarcado aumentou 16,4% e fechou o período com 36,5 mil toneladas ante 31 mil toneladas no acumulado de 2021. / Com Agência Estado

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno