Empresa

O Banco do Brasil (BBAS) é considerado a primeira instituição bancária a funcionar no país. Fundado em 12 de outubro de 1808 pelo príncipe D. João XI logo após chegar ao Brasil, acumula mais de 200 anos de tradição e sucesso no mercado.

Possui ações na Bolsa de Valores brasileira desde 1817 e hoje totaliza uma participação de 2,25% no índice Ibovespa. É formado como uma sociedade de economia mista, onde o Governo Federal é detentor de 50% das suas ações. 

Se você deseja saber mais sobre as ações do Banco do Brasil (BBAS), fique atento a este artigo! Durante a leitura você conhecerá: 

Tenha uma ótima leitura!

Conheça o Banco do Brasil (BBAS)

O Banco do Brasil S.A (BBAS) foi o primeiro banco a ser fundado no país e também o primeiro a ser listado na Bolsa de Valores. A maioria de suas atividades são voltadas para o setor bancário, no entanto, atua também com seguros e previdência.

Foi fundado em 12 de outubro de 1808 e desde então, passou por uma série de adequações que o manteve sempre nas primeiras posições entre os bancos mais lembrados pelos brasileiros.

Possui mais de 2 bilhões de ações negociadas na B3 e, destas, 33,58% se encontram em situação de free float, ou seja, livres para negócio. 

História do Banco do Brasil (BBAS)

Por ser um banco com mais de 200 anos de funcionamento, a história do Banco do Brasil (BBAS) é bastante longa, mas vamos tentar resumir aqui. 

Tudo começou em 1808, quando Dom João VI chega de Portugal ao Brasil e funda a primeira instituição bancária do país. Em 1817, foi realizada a primeira oferta pública de ações no mercado de capitais brasileiro da época.

Dois anos mais tarde, 1819, o Banco do Brasil financiou a construção da primeira Bolsa brasileira, na cidade do Rio de Janeiro. Em 1833, Dom João retorna à Portugal finalizando a primeira etapa da história da instituição. 

Porém, anos mais tarde, 1838, o Banco Comercial do Rio de Janeiro é fundado pelo comerciante Inácio Ratton. O Banco do Brasil somente foi reinaugurado em 1851, através do Barão de Mauá e, em 1853, se funde com o Banco Comercial do RJ. 

10 anos depois, em 1863, a empresa se tornou o único emissor de moeda do país. Feito que durou 3 anos, pois em 1866 foi criada a Casa da Moeda que ficou com tal atribuição. A partir disso, passou a ser captador de depósitos e fornecedor de empréstimos à comunidade.

Em seguida ocorreu o final da escravidão e o Banco esteve presente financiando a mão de obra assalariada. Em 1893 ocorreu a fusão do Banco da República dos Estados Unidos do Brasil com o Banco do Brasil.

Já no século XX, 1906, o Banco lança suas primeiras ações na bolsa de valores convencional, sendo a primeira empresa a ser listada na mesma. Entre 1914 e 1916 houve um baque na economia devido à Primeira Guerra e, em 1929, surge a Grande Depressão.

E a história continua…

Em 1937 começam a ser obtidos recursos da previdência privada e, logo mais, em 1943, a primeira agência do Banco do Brasil no exterior é inaugurada: no Paraguai. 

No ano seguinte, 1944, foi criada a SUMOC - Superintendência da Moeda e do Crédito, no intuito de ter mais controle sobre a moeda, além de organizar previamente um Banco Central. Mas tudo foi por água abaixo com o governo militar de 1964.

Através da Lei da Reforma Bancária, a SUMOC foi extinguida e, no lugar, criado o Banco Central do Brasil e o Conselho Monetário Nacional. Foi a partir daí que a instituição deixou de ser responsável pelo controle da moeda, deixando a cargo do Banco Central. 

Em 68, foi criado o primeiro cheque especial do mercado, chamado Cheque Ouro. Em 1985 é criada a Fundação do Banco do Brasil e, em 1994, aconteceu a maior troca física de moeda já realizada no mundo: passamos de cruzeiros para reais.

Já nos anos 2000, ocorreu o lançamento do site do Banco do Brasil, se tornando líder entre os interessados em internet banking. Em 2002, todas as ações da entidade na Bolsa de Valores se tornaram ordinárias (ON), extinguindo as preferenciais.

Aos 100 anos de Bolsa de Valores, em 2006, o banco já estava entre os ativos preferidos dos brasileiros. Também no mesmo ano, iniciou sua participação no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo.

Depois de duas fortes ofertas públicas, ocorridas em 2007 e 2010, o free float das ações (BBAS3) atingiu 30,4%, enquanto a participação de estrangeiros subiu para 17,5%.

No ano de 2009, o Banco do Brasil assume o Banco Nossa Caixa e, através de uma parceria estratégica, adquire 50% das ações do Banco Votorantim. Ao final de 2010, o banco já possuía 51% das ações do Banco Patagonia, na Argentina.

Em 2011 o Banco do Brasil (BBAS) tornou-se a maior instituição financeira da América Latina. Em 2020 com a pandemia do Coronavírus, as ações perderam valor e começaram a cair. No entanto, as expectativas para 2021 são boas. 

Estrutura organizacional do Banco do Brasil (BBAS)

A estrutura organizacional do Banco do Brasil (BBAS) é formada principalmente por um Conselho Diretor e uma Diretoria. O Conselho é uma entidade colegiada formada pelo Presidente e pelos Vice-Presidentes, cujas decisões influenciam toda a Diretoria Executiva.

Membros do Conselho Diretor:

Diretoria

Gestão administrativa do Banco do Brasil (BBAS)

O Banco do Brasil (BBAS) possui um órgão independente que funciona como conselho de administração. Este conselho tem a finalidade de orientar todos os negócios regidos pelo banco, desempenhando atribuições estratégicas e fiscalizadoras.

É composto por 08 membros que são elegidos previamente através de uma Assembleia Geral. Veja no quadro abaixo esta relação:

Fonte: site da companhia 

Negócios e áreas de atuação do Banco do Brasil (BBAS)

Mesmo tendo como principal atividade a oferta de serviços e produtos bancários aos clientes, o Banco do Brasil também oferece serviços de seguradoras e previdências.

Para atender a estes públicos, o BB dispõe de outras empresas pertencentes ao grupo, que são: 

Cada uma dessas empresas oferece serviços diferentes que juntos suprem a grande maioria das necessidades e interesses dos seus clientes, para que não precisem buscar uma outra instituição financeira. 

Concorrentes da Banco do Brasil (BBAS)

Dentre os principais concorrentes do Banco do Brasil (BBAS) certamente estão os Bancos Digitais. Desde que esse novo modelo de negócio foi instaurado, tem aberto portas para muitas outras opções que o cliente pode escolher. 

Muitas vezes essas opções são mais baratas e acabam apresentando soluções bem similares onde a economia e praticidade acabam falando mais alto.

Em se tratando de Bolsa de Valores, podemos dizer que todas as demais empresas do setor bancário tornam-se concorrentes ativos. Isso porque geralmente o investidor escolhe uma empresa por setor para investir e, a depender das oportunidades de mercado, se houver muitas empresas do setor bancário, a concorrência acaba sendo maior.

Evolução das ações da Banco do Brasil (BBAS)

No longo prazo, as ações do Banco do Brasil (BBAS) sempre demonstraram resultados positivos. A tendência está em acompanhar o índice Ibovespa, tendo previsões positivas para um longo período de tempo.

Em 2020, ocorreu uma queda nas ações por conta da pandemia, algo que prejudicou muitas empresas na Bolsa de Valores. No entanto, no primeiro semestre deste ano a empresa divulgou bons resultados. 

O lucro líquido ajustado teve um crescimento de 44% em relação ao mesmo trimestre de 2020, e de 33% em relação ao 4T20, somando 4,9 bilhões de reais.

Gráfico de ações do Banco do Brasil (BBAS)

Como é possível ver no gráfico abaixo, as ações do Banco do Brasil (BBAS3) vêm crescendo dia após dia. 

Mesmo com a baixa do último ano, as expectativas são boas para 2021. 

Fonte: site da empresa

Dividendos do Banco do Brasil (BBAS)

O Banco do Brasil (BBAS) tem como Política de Distribuição de Dividendos o pagamento semestral de dividendos mínimos obrigatórios, equivalentes a 25% do lucro líquido ajustado no período. Este pagamento é feito aos acionistas diretamente em suas contas. 

Abaixo a imagem do último pagamento.

Como investir no Banco do Brasil (BBAS)

Para investir nas ações do Banco do Brasil, você precisa ter uma conta ativa em uma corretora, pois será através dela que você terá acesso aos ativos.

Por isso, escolha uma corretora que seja da sua confiança e ofereça boas taxas nos serviços. Após abrir a sua conta, faça a transferência do montante que você deseja investir.

Logo, abra a Home Broker da sua corretora - área de negociação de ativos. Nesta ferramenta, pesquise pelo ticker BBAS3, que é o código das ações do Banco do Brasil.

Selecione o ativo, insira a quantidade desejada e o valor de mercado e efetue a ordem!

Vale a pena investir no Banco do Brasil (BBAS)?

O Banco do Brasil é considerado um entre os 4 maiores bancos brasileiros com ações negociadas na Bolsa de Valores. É uma empresa que se destaca no quesito sustentabilidade, inclusive com menção em fóruns mundiais sobre o assunto.  

Possui muita tradição no mercado e pontos positivos, como a participação no Índice de Dividendos (IDIV), por exemplo, demonstrando ser uma boa opção para quem investe com foco em dividendos. Porém, este não é o único ponto a ser levado em consideração.

O fator Governo Federal como sócio majoritário é considerado por muitos uma desvantagem, já que é o maior controlador nas decisões de assembleias. Por outro lado, há quem considere este ponto positivo. 

Outro fato a se levar em consideração é a concorrência de mercado. É preciso uma análise criteriosa não somente no Banco do Brasil (BBAS) em si, como nos concorrentes como os bancos digitais por exemplo. 

O ideal é realizar uma análise dos fundamentos da empresa para que assim consiga chegar a conclusão de que esta é ou não uma empresa boa para se investir. Além disso, lembre-se de levar em consideração a sua estratégia de investimentos, aptidão ao risco e nível de exposição da carteira.

Lembre-se que uma carteira diversificada pode diminuir significativamente os riscos de um investimento. 

E aí, o que você achou deste artigo? Deixe seu comentário! 

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Empresa
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais