Logo Mais Retorno
bolsa
post

Com Vale e Small Caps, conheça os 10 fundos de ações mais rentáveis de todos os tempos

Papeis da Vale, privatizada em 1997, sustentaram a boa valorização dos fundos

Data de publicação:25/10/2022 às 05:00 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:

O desempenho especialmente dos papeis de Vale do Rio Doce e das Small Caps garantiram aos fundos de ações o melhor retorno de todos os tempos, com valorização entre 14.065,12% e 2.658,58%. A rentabilidade acumulada varia de acordo com o tempo de vida de cada um. Quanto mais antigo o fundo, maior a probabilidade de que esteja entregando retorno mais alto.

Da lista dos 10 fundos de ações de maior rendimento, dois são small caps, seis monoação de Vale, um de dividendos e um setorial de bancos. O mais rentável, do topo do ranking, é também o mais antigo. Criado em 12 de março de 1996, o Itaú Small Cap Valuation FIC FIA acumula rentabilidade de 14.065,12%.

FundoRendimentoInício
Itaú Small Cap Valuation FIC FIA14.065%03.1996
ARX Income FIC FIA 6.983%07.1999
Bradesco Prime FIC FIA Small Cap 6.115%10.1998
Santander FI Vale 4 ações 3.139%02.2002
Bradesco FIA Vale 3.027%02.2002
Bradesco H Fia Vale do Rio Doce 2.970%03.2002
BB Ações Vale FI 2.727%02.2002
Fia Caixa Vale do Rio Doce 2.715%02.2002
Santander Vale Ações 2.644%03.2002
Safra Setorial Bancos 2.625%10.1997
Ranking de Fundos da Mais Retorno

O ARX Income FIC FIA vem em segundo lugar, com rendimento de 6.983,58%, entregue desde seu início, em 1º de julho de 1999.  A terceira posição no ranking é ocupada pelo Bradesco Prime FIC FIA Small Cap, com rendimento de 6.115,74, desde sua criação, em 29 de outubro de 1998.

Em quarto lugar aparece o Santander FI Vale 4 Ações, que acumula 3.139,88%, desde seu início, em 20/02/2002. Seguem-se o Bradesco FIA Vale, com 3.027,90%, também desde 20/02/2002; o Bradesco H FIA Vale do Rio Doce, com 2.970,92%, desde 15/03/2002; o BB Ações Vale FI, com 2.727,52%, desde 26/02/2002; o FIA Caixa Vale do Rio Doce, com 2.715,91%, desde 20/02/2002; o Santander Vale Ações FI, com 2.644,51%, desde 18/03/2002.

Completa a lista dos dez fundos mais rentáveis de todos os tempos o Safra Setorial Bancos FIC FIA. Em funcionamento desde 1º de outubro de 1997, o fundo entrega uma rentabilidade de 2.625,58%, em 25 anos.

Vale sustenta o desempenho dos fundos de ações

Os fundos mono, com a carteira formada por ações de uma única empresa, ocupam seis posições no ranking. Todos estão com a carteira alocada em papeis da mineradora Vale, privatizada em maio de 1997. Todos os fundos monoação da lista têm data de criação em 2002.

O fundo campeão na categoria mono é o Santander FI Vale 4 Ações. Desde sua criação, em 20 de fevereiro de 2002, acumula rendimento de 3.139,88%. O segundo mais rentável entre é o Bradesco FIA Vale, que rende 3.027,90%, desde que passou a funcionar, em 20 de fevereiro de 2020.

fundos de ações
Dos 10 fundos de ações mais rentáveis, 6 são de Vale - Foto: Reprodução

Volatilidade é mais alta nos mono

Uma característica comum entre os fundos de carteira diversificada e os mono é uma certa padronização do índice de Sharpe, negativo ao redor de 0,30%. É um índice que dá ideia da relação risco/retorno do fundo. Presume-se que, quanto maior o Sharpe, melhor poderá ser a relação de risco/retorno do investimento.

O grau de volatilidade de carteira, que denota maior ou menor risco do investimento, é mais acentuado nos fundos mono, o que sugere risco supostamente mais elevado. Existe uma certa uniformidade do grau de volatilidade dentre eles, todos em torno de 38%, em 12 meses.

A volatilidade é relativamente mais baixa nos fundos com carteira mais diversificada. Ela varia no intervalo entre 19,77%, do ARX Income FIC FIA, um fundo de dividendos, e 26,62%, do Safra Setorial Bancos FIC FIA.

Os campeões em patrimônio e número de cotistas

O fundo com maior patrimônio e também de quantidade de cotistas é o BB Ações Vale FI, com R$ 912,5 milhões e 33.370 participantes. O segundo em cotistas é o ARX Income FiC FIA, com 19.910 mil. O vice-campeão em patrimônio é o FIA Caixa Vale do Rio Doce, com R$ 807,2 milhões.

Taxa de administração alta nos mono

Os fundos mono cobram taxa de administração entre 1,50% e 2,00% ao ano, “um custo até surreal para um fundo que compra um único ativo”, comenta Pedro Tiezzi, estrategista da SVN Investimentos.

Por não ter nenhuma estrutura fixa de análise, nem contratar pesquisa, apenas bancar a taxa de corretagem, ele entende que uma taxa justa em fundo desses seria de algo entre 0 a 0,10% 

A estratégia de investir em um fundo monoações não é interessante, avalia Tiezzi. “Melhor comprar ações diretamente, porque não paga nada, faz isso sem quase custo nenhum”, afirma.

Ele diz também que quem compra ações embolsa dividendos isentos, sem pagar imposto de renda. No fundo de ações, o que se recebe de dividendos, que é reinvestido, também é tributado quando houver resgate da aplicação.

A taxa de administração mais elevada entre os dez fundos do ranking  é a do Bradesco Prime FIC FIA Small Cap, que cobra 3% ao ano.

Os melhores em 5 anos

Ao aplicar um recorte dos últimos cinco anos para os mesmos fundos, colocando todos em uma mesma base de comparação com o fator tempo, a ordem se altera no ranking, com larga vantagem dos fundos ancorados em Vale do Rio Doce.

No mesmo período, os papeis da mineradora (VALE3) alcançaram uma valorização de 220,37%.

fundos de ações
Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter

,