Finanças Pessoais

Se na declaração de ajuste do IR 2021 você apurou mais imposto a pagar, isso poderá ser feito em parcelas, em cotas. E a primeira cota vence no último dia para a entrega da declaração.

Existe a possibilidade de que a data final para envio da declaração seja prorrogada de 30 de abril para 31 de julho. O projeto de lei já foi aprovado na Câmara dos Deputados e está em análise do Senado.

Se prazo para entregar a declaração for adiado, contribuinte terá mais tempo para pagar a 1ª cota

A exemplo do que aconteceu no ano passado, o contribuinte poderá mesmo ter o prazo dilatado para a entregar a declaração, com o recrudescimento da pandemia e novas restrições de circulação de pessoas. Situação que pode dificultar o levantamento de documentos e informações necessários para o preenchimento.

O vencimento da primeira cota ou da cota única do Imposto de Renda de 2021, em princípio é 30 de abril, ainda que o contribuinte entregue a declaração antes. No entanto, o projeto de lei prevê também a prorrogação de prazo para 31 de julho para pagamento da 1ª cota.

A Receita Federal permite que o imposto devido seja parcelado em até oito cotas mensais, desde que o valor total do imposto seja igual ou superior a R$ 100.

Se o imposto a pagar for inferior a R$ 100, o pagamento precisa ser feito em cota única. Outra exigência é que cada cota tenha valor mínimo de R$ 50. Imposto inferior a R$ 10 não precisa ser recolhido e deve ser adicionado ao imposto de anos seguintes.

O valor da primeira cota é pago sem correção. As seguintes têm vencimento no último dia útil dos meses subsequentes e seus valores devem ser atualizados pela taxa Selic acumulada desde maio de 2021 até o mês anterior ao do pagamento, mais 1% pelo mês de pagamento.

Do ponto de vista financeiro, considerando que aplicações como caderneta e fundos de renda fixa ou DI rendem mensalmente menos que a Selic, é mais interessante quitar o imposto à vista, até com o dinheiro retirado da aplicação.

O que não vale a pena é tomar empréstimo para pagar o imposto à vista. Aí é melhor parcelar. Em caso de atraso das cotas, a multa é de 0,33% ao dia, limitada a 20%, mais correção pela taxa Selic.

É possível antecipar o pagamento de cotas previstas na declaração. A ampliação do número de parcelas previstas também é possível, desde que o contribuinte apresente uma nova declaração, uma retificadora, ou acesse o site da Receita na internet, na opção “Extrato da DIRPF”.

Imagem do autor

Editora do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mercado Financeiro
Outros
Empresa
Outros
Veja mais Ver mais