Mercado Financeiro

Após oito altas consecutivas e seis recordes, a bolsa fechou o pregão de hoje, dia 08, com queda de 0,74%, marcando 129.809,82 pontos. A perspectiva de prorrogação do auxílio emergencial e o comportamento das ações do setor financeiro pesaram no índice.

Bolsa em queda
Bolsa fechou em queda hoje, após oito altas consecutivas

Ao mesmo tempo, as ações das gigantes do setor varejista tiveram hoje as maiores altas, impulsionadas pela divulgação dos dados de varejo de abril acima das expectativas. Além dessas, destaque também para a Petrobrás que fechou em alta, acompanhando a retomada do petróleo mundialmente.

O dólar fechou cotado, às 17h30, a R$ 5,037, o que representou uma queda de 0,13%.

Altas e baixas na B3

A divulgação dos dados de varejo de abril animou os investidores na B3 nesta terça-feira. As vendas do setor em abril tiveram uma alta de 1,8% comparado ao mês anterior, muito acima do esperado pelo mercado, 0,1%. Esse é o maior crescimento para o mês desde 2000. O cenário influenciou as ações das empresas de varejo, principalmente Via Varejo e B2W, que fecharam com altas de 4,37% e 1,02%, respectivamente.

Bem como o setor varejista, o destaque positivo vai também para a Petrobrás, que fechou com alta de 1,31%, influenciada pelas expectativas otimistas dos investidores para a retomada da demanda por petróleo na segunda metade de 2021.

Seguindo o movimento de alta do último pregão, as ações da Azul subiram hoje 2,86%, puxadas pela expectativa do mercado de que a empresa compre a operação da LATAM. No mesmo setor, também houve alta de 1,89% nas ações da CVC, após a companhia anunciar que pode realizar uma oferta pública primária na bolsa.

Em contrapartida, o Ibovespa fechou em queda hoje, puxado pelas ações do setor financeiro, que representam a maior parte da composição do índice, após um último pregão de altas.

As ações da Braskem tiveram a maior baixa, com queda de 6,36%.

Variações do dólar

O dólar fechou com uma queda de 0,13%, sendo cotado a R$ 5,037. As negociações fizeram com que a moeda americana chegasse a bater a mínima de R$ 5,02 hoje.

Do mesmo modo, acompanhando o movimento da moeda, as curvas de juros a longo prazo também fecharam em queda.

De acordo com a economista Ariane Benedito, da CM Capital Markets, causou estranheza o comportamento dos juros futuros. As declarações do ministro Paulo Guedes de que o auxílio emergencial pode ser prorrogado trazem preocupações fiscais, porque o aumento de gastos pode impactar as contas públicas.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais