Empresa

Está aberta a temporada de divulgação dos balanços trimestrais. Já na primeira semana de maio, os bancos devem começar a exibir seus resultados no primeiro trimestre do ano.

Uma boa recuperação dos bancos, é o que os analistas do Banco Safra esperam ver estampada nesses balanços. Bradesco deve apresentar o maior crescimento de lucros, Itaú-Unibanco também terá resultados positivos; e Santander deve registrar o maior retorno sobre o patrimônio.

Grandes bancos devem apresentar crescimento em seus lucros - Foto (Agência Brasil)

E o bom desempenho deve refletir o a forte redução nas provisões para as perdas na concessão de empréstimos, o controle de custos, e a expansão no volume de crédito.

Eles ressaltam também que, por terem as ações com maior exposição ao mercado de capitais, B3 e BTG Pactual também devem apresentar números bastante elevados.

Balanço dos bancos devem ter resultados positivos

Entre os grandes bancos, o maior crescimento anual de lucros deve ser apresentado pelo Bradesco (BBDC4), segundo os analistas, com +71% ao ano, com lucro líquido de R$ 6,4 bilhões, e ROAE (retorno sobre patrimônio médio) de 17,2%.

E as razões são as mesmas já mencionadas acima, como menor provisão para crédito de liquidação duvidosa, forte redução em despesas operacionais, e bom desempenho da margem financeira.

As perspectivas para o Itaú Unibanco (ITUB4) também são positivas, o lucro líquido deve registrar boa recuperação, que só não será melhor pela margem com clientes. A projeção do Banco Safra para o Itaú Unibanco é de ROAE também de 17,2% no primeiro trimestre, e lucro líquido de R$ 5,9 bilhões, com aumento de 51,8% ao ano.

Banco do Brasil (BBAS3), com a normalização das provisões e a redução das despesas operacionais, não deve fazer feio nesse ranking. Mas sim, apresentar um bom resultado. Embora haja um aumento modesto da margem financeira, argumentam os especialistas do Safra, os riscos legais e as maiores provisões para impostos poderão afetar os resultados no trimestre.

O Santander Brasil (SANB11) deve mostrar uma expansão de lucros mais modesta, de 3,0% ao ano, mas calculada sobre base comparativa mais alta. Em contrapartida, o banco deve apresentar o maior retorno sobre o patrimônio médio (ROAE), de 19,7%, entre os grandes bancos do varejo.

Para o BTG Pactual (BPAC11) o lucro líquido projetado é de R$ 1,1 bilhão, o que representa uma alta de 42,8% ao ano. É esperado, portanto, mais um trimestre forte, apoiado pela escalada de suas divisões de gestão de recursos, e pelas receitas robustas decorrentes do mercado de capitais.

Em relação aos bancos médios, o Banco Pan (BPAN3) deve apresentar resultados sólidos, apesar de um resultado negativo de 8% no resultado ajustado. Eles fazem a ressalva de que, no entanto, com ROAE ajustado e crescimento da carteira de crédito ainda elevados.

O Banrisul (BRSR6) deve acompanhar a dinâmica do setor de redução da provisão para créditos de liquidação duvidosa, levando o banco a melhorar seus níveis de ROAE (em direção ao topo de seu guidance).

Bolsa e seguradoras também devem ter bons resultados

Fora do segmento bancário, a B3 (B3SA3) deve ser o destaque, com fortes volumes do segmento de ações. A B3 deve continuar se beneficiando do bom momento do mercado de capitais brasileiro, levando seu resultado financeiro a manter um crescimento de dois dígitos, de 15% ao ano.

Sobre as seguradoras, esperamos também bons números para BB Seguridade e Porto Seguro. Esperamos que Porto Seguro (PSSA3) continue apresentando recuperação do crescimento dos prêmios, menor índice de sinistralidade no segmento de automóveis e bom resultado financeiro.

Já BB Seguridade (BBSE3) deve apresentar crescimento consistente de prêmios na Brasilseg, mas leve recuperação na Brasilprev (sobre uma base de comparação fraca no ano anterior). Por outro lado, a Cielo (CIEL3) deve continuar sofrendo os efeitos da pandemia no volume de pagamentos, além da queda no rendimento.

Acompanhe, a seguir, as projeções de resultados que bancos, seguradoras e a B3 devem apresentar no primeiro trimestre de ano, e qual a variação em relação ao mesmo período em 2020, e também ao trimestre anterior, o 4º do ano passado.

Imagem do autor

Editora do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Empresa
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais