Empresa

A American Express obteve lucro líquido no primeiro trimestre deste ano de US$ 2,2 bilhões. O montante representa um salto em relação ao montante do mesmo período do ano anterior, que foi de US$ 367 milhões. As informações foram divulgadas em relatório nesta sexta-feira, 23.

O lucro líquido ajustado por ação foi de US$ 0,41, acima da previsão de analistas consultados pelo FacSet, que esperavam US$ 1,61.

Em Nova York, os papéis da empresa seguem em baixa nesta terça-feira. Às 12h51, as ações da American Express apontavam perdas de 2,31%.

American Express registra lucro de US$ 2,2 bilhões no 1º trimestre e queda na receita
American Express reporta lucro de US$ 2,2 bilhões nos três primeiros meses de 2021 - Foto: American Express/Divulgação

Segundo a empresa, os resultados refletiram o impacto de US$ 1,05 bilhão em liberações de reservas de crédito, norteado por melhorias nas perspectivas econômicas e forte desempenho do crédito.

“Estou satisfeito com nossos resultados no primeiro trimestre, no qual tivemos melhorias contínuas em nosso negócio, juntamente com o desempenho do mercado de crédito. Estou satisfeito com o progresso que estamos fazendo para reconstruir nosso impulso de crescimento daqui para frente”, disse Stephen J. Squeri, presidente do conselho e diretor-executivo da empresa.

Por outro lado, a receita da empresa caiu 12%, de US$ 10,31 bilhões para US$ 9,06 bilhões entre o primeiro trimestre de 2020 e o primeiro trimestre de 2021, frustrando a projeção do FacSet, de US$ 9,21 bilhões.

De acordo com a American Express, o trimestre refletiu principalmente as quedas nos gastos dos consumidores e no volume de empréstimos, que estava com uma taxa de desconto média mais baixa em comparação com o mesmo período do ano anterior.

“Vemos 2021 como um ano de transição, no qual estamos focados em fazer investimentos para reconstruir o ritmo de crescimento em nosso negócio principal. Intensificamos nosso movimento de aquisição de novos cartões, o que resultou na adesão de 2,1 consumidores titulares”, apontou Squeri.

As despesas totais no período foram de US$ 3,7 bilhões, 6% abaixo dos US$ 3,9 bilhões ante o trimestre de 2020. A redução se deu, de acordo com a empresa, principalmente por conta dos custos de envolvimento do cliente mais baixos, devido à um declínio dos gastos por este meio de pagamento e menor uso de recursos relacionados a viagens. /com Agência Estado

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais