Logo Mais Retorno
Empresa

Amazon registra prejuízo de US$ 3,8 bilhões no 1º trimestres; ações caem 9%

Empresa sofreu com queda nas vendas on-line, custos mais altos pela inflação e problemas na cadeia de suprimentos

Data de publicação:28/04/2022 às 20:57 -
Atualizado 23 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Amazon teve prejuízo líquido de US$ 3,8 bilhões no primeiro trimestre de 2022, equivalente a US$ 7,56 por ação, bem abaixo do ganho de US$ 8,1 bilhões registrado em igual período do ano passado, segundo balanço publicado nesta quinta-feira, 28. De acordo com a FactSet, era esperado um lucro de US$ 8,35 por ação. Com isso, as ações da empresa registravam queda de 9% no after market em Nova York, depois do fechamento do pregão normal.

Trata-se do primeiro prejuízo trimestral em sete anos, um resultado que refletiu amplas tendências econômicas relacionadas a uma queda nas compras on-line, custos mais altos pela inflação e problemas na cadeia de suprimentos, além de nervosismo do mercado sobre a startup de veículos elétricos.

Amazon
Vendas líquidas da Amazon aumentaram 7% e cehgaram a US$ 116,4 bilhões - Foto: Reprodução Twitter

As vendas líquidas aumentaram 7% para US$ 116,4 bilhões no primeiro trimestre, em comparação com US$ 108,5 bilhões no primeiro trimestre de 2021. Em movimento que os consumidores retornaram aos hábitos pré-pandemia e gastaram mais dinheiro pessoalmente nas lojas físicas.

Excluindo o impacto desfavorável de US$ 1,8 bilhão das mudanças nas taxas de câmbio ao longo do trimestre, as vendas líquidas aumentaram 9% em comparação com primeiro trimestre de 2021, aponta.

O desempenho da ampla coleção de negócios da Amazon reflete várias correntes que agora agitam o setor de tecnologia.

A quantidade de produtos que a Amazon vendeu durante o trimestre ficou essencialmente estável em relação ao ano anterior, e a empresa registrou uma queda de 3% ao ano em seu segmento de lojas online, que inclui vendas de produtos principalmente em seu site principal e conteúdo de mídia digital. Essa é a maior queda desde que a métrica foi divulgada pela primeira vez em 2016.

Os resultados também foram atingidos por sua participação na fabricante de veículos elétricos Rivian Automotive Inc., que viu suas ações caírem mais de 65% este ano. A Amazon tem uma participação de aproximadamente 18% na empresa e teve um prejuízo antes dos impostos de US$ 7,6 bilhões devido a suas participações.

O desempenho das receitas da Amazon

Enquanto isso, o crescimento da receita desacelerou em seu negócio de assinaturas - que inclui suas ofertas de entretenimento Prime - e em anúncios digitais, onde sua rápida expansão nos últimos anos desafiou os gigantes da indústria Google e o Facebook, da Meta Platforms Inc.

A receita de serviços de publicidade cresceu 25% no último trimestre, excluindo o impacto cambial – embora expressivo, ficou bem abaixo dos 33% registrados no quarto trimestre de 2021 e 76% nos primeiros três meses do ano passado.

A Amazon sinalizou que mais incertezas estão a caminho, disse que espera que sua receita operacional para o trimestre atual fique entre uma perda de US$ 1 bilhão e lucro de US$ 3 bilhões. A empresa registrou US$ 7,7 bilhões em receita operacional durante o segundo trimestre de 2021. As ações da empresa caíram cerca de 10% nas negociações após o expediente, atingindo o ponto mais baixo desde junho de 2020.

"A pandemia e a guerra subsequente na Ucrânia trouxeram crescimento e desafios incomuns", disse o presidente-executivo Andy Jassy em comunicado. Jassy disse que a Amazon melhoraria trabalhando com as pressões da inflação e sua cadeia de suprimentos.

Negócio de nuvem favoreceu a empresa

Um ponto positivo continuou sendo o negócio de nuvem da empresa, Amazon Web Services, onde as vendas aumentaram cerca de 37% no primeiro trimestre, para US$ 18,4 bilhões. A AWS é há muito tempo o principal serviço de computação em nuvem para empresas em todo o mundo, mas a unidade enfrentou uma pressão cada vez maior da Microsoft Corp. e do Google nos últimos anos.

Após um período de tremendo crescimento, à medida que a empresa procurava responder às novas necessidades dos consumidores durante a pandemia, a Amazon viu seu impulso parar recentemente ao tentar lidar com a inflação, a escassez nacional de mão de obra e interrupções na cadeia de suprimentos.

Brian Olsavsky, diretor financeiro da Amazon, disse nesta quinta-feira, 28, que a empresa viu cerca de US$ 6 bilhões em aumento de custos durante o trimestre relacionados à perda de produtividade, inflação e situações em que sua capacidade de armazenamento excedeu a demanda. Olsavsky disse que a empresa não está mais limitada por questões trabalhistas ou de capacidade.

As despesas operacionais da Amazon na América do Norte têm crescido a um ritmo mais rápido do que suas vendas. A empresa teve que gastar bilhões para manter suas instalações funcionando durante os altos e baixos da crise da saúde. Enquanto isso, o valor total dos produtos vendidos no site da Amazon em 2021 cresceu metade da taxa de 2020, de acordo com uma análise da empresa de pesquisa Marketplace Pulse.

A tendência não é exclusiva da Amazon. A participação das vendas no varejo dos EUA que acontecem online aumentou acentuadamente durante a pandemia, atingindo 15,7% no segundo trimestre de 2020.

Caiu para 12,9% nos últimos três meses de 2021, segundo dados do Census Bureau ajustados por fatores sazonais.

Março marcou o primeiro mês desde o início da pandemia em que as vendas de comércio eletrônico caíram em relação ao período do ano anterior, enquanto as vendas nas lojas aumentaram, de acordo com o Mastercard SpendingPulse, que rastreia transações feitas pela rede de pagamentos Mastercard, bem como estimativas baseadas em pesquisas para dinheiro e cheques.

A Amazon trabalhou para compensar os custos. A empresa elevou o preço de sua assinatura Prime nos EUA para US$ 139 por ano, de US$ 119, e este mês introduziu uma "sobretaxa de combustível e inflação" que equivale em média a 5% das taxas de atendimento cobradas dos vendedores que usam seus serviços.

No início deste ano, a empresa divulgou pela primeira vez os resultados de sua unidade de publicidade. A empresa registrou US$ 7,87 bilhões em vendas de anúncios no primeiro trimestre, um aumento de 23% em relação ao ano anterior.

A Amazon disse que espera que seu evento de compras Prime Day aconteça em julho. O evento normalmente dá à Amazon um aumento de receita.

A empresa pode ver pressões de custos adicionais à medida que navega nas tentativas contínuas de sindicalização dos funcionários do armazém. Em Nova York, os trabalhadores de seu maior armazém em Staten Island votaram no início deste mês para estabelecer o primeiro sindicato da empresa nos EUA.

Embora a Amazon tenha apelado dos resultados e alegado comportamento inadequado da agência federal que supervisionou a votação, especialistas trabalhistas disseram que a sindicalização generalizada pode forçar a empresa a mudar benefícios e políticas, o que pode multiplicar os custos. Trabalhadores em uma segunda instalação de Staten Island estão votando na sindicalização esta semana, e ativistas estão mirando em outros armazéns em todo o país.

O Conselho Nacional de Relações Trabalhistas contará as cédulas da segunda instalação de Staten Island na segunda-feira. Ativistas disseram que veem a votação como crítica em seu esforço para ampliar seus/ esforços. /Com Dow Jones e Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!