Empresa

A Terra Santa Propriedades Agrícolas registrou um prejuízo líquido de R$ 5,1 milhões no segundo trimestre, ante prejuízo de R$ 3,84 milhões no mesmo período do ano passado. Os números levaram as ações da empresa na Bolsa a registrarem baixa de 3,45%, às 11h43.

Foto: Reprodução
Terra Santa prejuízo de R$ 5,1 milhões no segundo trimestre e lucro líquido de R$ 18,3 milhões no primeiro semestre - Foto: Envato

No primeiro semestre, no entanto, o lucro líquido foi de R$ 18,3 milhões, queda de 40,3%. A companhia nasceu após a venda de sua operação agrícola para a concorrente SLC Agrícola e agora de define como "uma empresa focada exclusivamente no mercado imobiliário rural".

A companhia destaca que "a comparabilidade com dados dos períodos anteriores não se mostra adequada, visto que os dados históricos se referem aos dados da até então subsidiária integral da Terra Santa Agro, enquanto os dados correntes passam a incorporar despesas operacionais e financeiras que migraram da controladora (Terra Santa Agro) para a Terra Santa Propriedades Agrícolas".

A Terra Santa salienta que "o resultado de R$ 18,3 milhões é proveniente de uma receita de R$ 41,1 milhões da venda do resultado parceria agrícola da safra 2020/21 com a Terra Santa Agro (25,9 mil toneladas de soja ao preço de R$ 1.500/t e 3,0 mil toneladas de milho ao preço de R$ 752/t) e de despesas operacionais, que neste trimestre, foram elevadas em detrimento de valores não recorrentes referentes à reorganização societária da companhia".

Semestre

Para o 2º semestre, a expectava de receita é de aproximadamente R$ 67,2 milhões: R$ 36,1 milhões da venda do resultado parceria agrícola da safra 2020/21 com a Terra Santa Agro; R$ 30,0 milhões referente a 4/12 do contrato de arrendamento com a SLC Agrícola, cujo prazo de apuração vai de setembro a agosto de cada ano; e R$ 1,1 milhão de apropriação do downpayment do arrendamento.

No primeiro semestre, o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização0) apresentado pela companhia foi positivo em R$ 33,5 milhões, em comparação com R$ 43,7 milhões positivos no primeiro semestre de 2020.

O Ebitda ajustado no período foi de R$ 37,2 milhões, ante R$ 41,9 milhões positivos no primeiro semestre de 2020. O endividamento bruto líquido consolidado, no fim de junho de 2021, totalizou R$ 110,3 milhões.

Para fazer frente a este endividamento, a Terra Santa tem a expectativa de uma geração de caixa no segundo semestre de R$ 106 milhões, sendo R$ 70,0 milhões do pagamento do downn payment do contrato de arrendamento, e R$ 36,0 milhões da venda do resultado parceria agrícola da safra 2020/21 com a Terra Santa Agro.

Fazendas

Atualmente, a Terra Santa Propriedades Agrícolas tem sete fazendas localizadas no Estado de Mato Grosso, as quais somam 39,2 mil hectares arrendados, dos quais 39,1 mil hectares têm como arrendatária a SLC Agrícola.

O contrato de arrendamento com a SLC Agrícola tem prazo de 20 anos e ajustes de preço a cada 3 anos, o valor acertado foi um pagamento inicial de R$ 70 milhões, que já ocorreu em 2 de agosto, e um valor anual inicial de 39,9 mil toneladas de soja. / com Agência Estado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais