Última modificação em 26 de fevereiro de 2019

O que é wealth management?

O wealth management (conhecido, em Português, como gestão patrimonial) é o termo utilizado para descrever as funções daquele que realiza a gestão de patrimônio de particulares e empresas.

A principal responsabilidade de quem trabalha com wealth management, seja de forma autônoma, como departamento ou como empreendimento, é gerenciar os bens, os direitos e as obrigações de seus clientes, de modo que as suas riquezas sejam protegidas e ampliadas.

A atividade agrega uma série de responsabilidades de cunho administrativo, contábil, financeiro e jurídico, o que geralmente implica em ter mais de um profissional envolvido na gestão e exigir que tenha elevado know-how  na área de atuação.

Como o wealth management funciona?

O wealth management pode se concretizar através de um único gestor, de um setor específico dentro das companhias ou de uma instituição financeira.

Entre as suas principais funções estão:

Realizar um inventário de todos os bens que o cliente possui (assim como atualizá-lo).

Quem são os clientes do serviço de wealth management?

Em geral, os perfis que contratam os serviços de wealth management são empresas, famílias e indivíduos.

As empresas, como já falamos, costumam criar departamentos específicos para gerenciar o seu patrimônio.

Mas, mesmo aquelas que ainda não possuem porte para tanto, já investem na contratação de um gestor de patrimônio ou de prestadoras de assessoria.

Isso porque a área contábil, juntamente com o financeiro e o fiscal, possuem grande influência sobre as operações de uma organização, demandando conhecimentos aprofundados e um foco especial por parte da administração.

As famílias, por sua vez, buscam suporte para gerir patrimônios de vasta extensão, que são frutos, em geral, de suas empresas familiares.

Para tal, existe até um tipo de companhia especializado no wealth management familiar, denominado family office management.

Os indivíduos de padrão mais elevado, por fim, mesmo que não busquem uma empresa inteiramente focada na gestão patrimonial, acabam por receber o serviço por parte de instituições financeiras.

Entre os objetos-alvos nesse perfil estão as heranças e os padrões de gastos.

Qual é o perfil do profissional de wealth management?

Se engana quem pensa que só é possível trabalhar na área atuando como gestor de patrimônios.

Na verdade, qualquer profissional com formação contábil, financeira, fiscal ou jurídica pode compor uma equipe de wealth management, contribuindo com o seu conhecimento específico.

O maior requisito, para tal, é ter elevado know-how dentro da sua área, de modo que possa auxiliar o gestor em suas atividades.

Por outro lado, no que tange às organizações que prestam esse tipo de serviço, é comum que já atuem no mercado financeiro.

Bancos, por exemplo, costumam ter um setor inteiramente destinado à gestão de patrimônio de grandes clientes.

E não é à toa: esse é um ramo muito lucrativo.

Para se ter uma ideia: em 2018, as 3 maiores empresas do mundo em wealth management (UBS, Bank of America Merrill Lynch e Morgan Stanley) gerenciavam volumes somados de mais de 3 trilhões e meio de dólares.

Quais são as vantagens de se contratar um serviço de wealth management?

Entre os maiores benefícios de contar com assessoria na gestão patrimonial, seja ele empresarial ou pessoal, estão:

Termo do dia

Cota Subordinada

O que é cota subordinada? A cota subordinada é um dos tipos de cotas disponibilizadas aos cotistas  dos Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). Ela tem…