Última modificação em 19 de outubro de 2020

O que é SNIPC?

O Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor — SNIPC — combina diferentes metodologias para determinar a variação do preço pago pelos brasileiros em um conjunto de produtos e serviços consumidos pelas famílias. 

Para obter esse índice é preciso agregar as estimativas de consumo regionais referentes à faixa de renda analisada. 

O SNIPC agrega pesquisas realizadas nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador Recife, Porto Alegre, São Paulo, Belém, Curitiba, Distrito Federal, São Luís, Rio Branco, Aracaju, Campo Grande e Vitória - os últimos cinco com dados fornecidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)

Como é feita a análise de preços?

Os índices mensais são o resultado da comparação de preços de serviços e produtos coletados no período de referência, que corresponde a 30 dias.

Durante esse período ocorre a coleta integral e sem interrupção dos valores. Esse tempo de medição é segmentado em 4 sub-períodos — cada um contém cerca de 7 dias. As datas de início e de término são definidas pelo Calendário Anual de Coleta do SNIPC.

Em cada sub-período são coletados os preços de alguns produtos — essa medição ocorre sempre nos mesmos estabelecimentos comerciais, o que permite obter índices que servem de referência ao final de cada subconjunto.

Esse índice serve para verificar o poder de consumo de famílias que se enquadram na faixa de rendimento mensal em análise. 

Quais índices compõem o SNIPC?

Do ponto de vista temporal, a partir das séries históricas produzidas é possível analisar a variação de preços que ocorreram em um período de dois meses ou mais. No entanto, o sistema possibilita várias alternativas de cálculo e é composto pelos seguintes índices:

Nas áreas abrangidas por essa metodologia, os índices são calculados de forma contínua e sistemática, por isso servem de referência para análises e estudos posteriores. 

Os consumidores pesquisados pelo INPC moram nas áreas urbanas estudadas pelo SNIPC e contam com rendimentos entre 1 a 5 salários mínimos. Nesse caso, os trabalhadores devem ser assalariados. Já as famílias usadas como base pelo IPCA, IPCA-E e IPCA-15 têm rendimentos entre 1 a 40 salários mínimos e os trabalhadores podem declarar qualquer fonte de rendimentos.

Qual é a metodologia aplicada?

Os preços são coletados mensalmente em cada região e na primeira etapa é possível verificar a movimentação de preços de cada produto ou serviços pesquisado.

As estimativas são calculadas pela média aritmética dos valores dos produtos que, ao serem comparados por dois meses consecutivos, resultam no preço médio. Por meio da média geométrica da variação de preços é possível obter o índice de ponderação explícita. 

A partir daí é aplicada a fórmula Laspeyres,  de modo a obter todos os níveis que compõem a estrutura como subgrupo, grupo e, por fim, o índice geral da região.

Já os índices nacionais são calculados por meio da média aritmética ponderada e leva em consideração os resultados regionais. O INPC analisa a população urbana, já o IPCA, IPCAE e IPCA-15 estudam o rendimento mensal familiar disponível.

Termo do dia

Ação ao Portador

O que é uma ação ao portador? A ação ao portador é uma das classificações que um papel pode receber em relação ao seu tipo de circulação…