O que é Risco Sacado?

Risco Sacado, também chamado de Desconto de Títulos, é uma alternativa para as empresas na obtenção imediata de recursos financeiros e muito usado para fortalecer o fluxo de caixa. Ele consiste na antecipação dos títulos a receber de clientes. Em outras palavras, o banco faz um adiantamento para a empresa do valor das dívidas que os clientes dessa companhia ainda não quitaram.


Entendendo o Risco Sacado

Quando uma empresa precisa de recursos financeiros, ela tem uma série de alternativas para explorar, desde empréstimos até emissão de títulos mobiliários, como ações e debêntures. Uma das alternativas nessa ampla lista é o risco sacado.

As empresas frequentemente vendem a prazo para os seus clientes, emitindo títulos como boletos ou notas promissórias. Isso significa que, em qualquer momento, provavelmente existem valores a receber que os clientes ainda não pagaram, porque a data de vencimento do respectivo título não chegou. 

Se a empresa precisar de dinheiro imediatamente, ela pode solicitar ao banco um adiantamento desses valores. Esse é o risco sacado, ou desconto de títulos. É uma alternativa vantajosa porque é relativamente simples e não está atrelada a taxas de juros, que podem afundar as finanças do negócio em um efeito bola-de-neve.

Como funciona o Risco Sacado?

Tudo começa no momento em que a empresa faz a venda e emite um título para que o cliente pague a prazo; por exemplo, um boleto para trinta dias. O cliente, por sua vez, usando o EDI Bancário (um arquivo eletrônico de troca de informações com o banco) informa ao banco do agendamento do pagamento desse título. 

O banco localiza todos os títulos agendados que podem ser antecipados e disponibiliza no seu sistema interno de risco sacado essa informação. Então, a empresa fornecedora acessa o sistema e solicita ao banco a antecipação daqueles que julgar necessários para atender sua demanda de recursos. 

O banco, então, antecipa para a empresa o valor dos títulos selecionados, descontando uma certa taxa. Finalmente, quando chegar o dia agendado para o cliente pagar o título, aquele dinheiro fica com o banco, pois a empresa já recebeu na antecipação.

Para entender melhor, vejamos um exemplo fictício.

Só Couro Eco é o nome fictício de uma organização que vendeu um contêiner de couro sintético para a empresa Tudo Bolsas - esta última, por sua vez, usa esse material em sua linha de produção. A venda é feita em 1° de Fevereiro, tem o valor de R$ 100.000 e a Só Couro Eco emite um boleto para a Tudo Bolsas pagar em 1° de Abril, ou seja, após 60 dias.

No entanto, a Só Couro sabe que vai precisar de dinheiro antes dessa data, pois as vendas caíram e o fluxo de caixa está fraco. Então, ela combina com a Tudo Bolsas que deve usar o EDI Bancário para informar ao banco o agendamento do pagamento daquele boleto em 1° de Abril.

Como a Tudo Bolsas tem um histórico de crédito muito positivo e é boa pagadora, o banco identifica aquele título agendado e marca como passível de antecipação. Então, em 20 de Fevereiro, a Só Couro Eco acessa o sistema interno de risco sacado da instituição financeira e solicita a antecipação desse boleto.

O banco autoriza, depositando R$ 95.000 na conta da Só Couro Eco, com um desconto de R$ 5.000 no valor do título, que é a remuneração do próprio banco pela antecipação. Afinal, se a Tudo Bolsas não cumprir com o pagamento agendado, é o banco que leva o prejuízo. Chegando a data agendada, 1° de Abril, a Tudo Bolsas efetua o pagamento e os R$ 100.000 ficam com o banco.

É importante notar alguns detalhes. 

Primeiro, para que seja possível fazer uma operação de risco sacado, o cliente pagador deve ter um bom histórico de crédito, pois a antecipação é realizada com base na premissa de que ele não vai “dar o calote”, ficando inadimplente e deixando de pagar. 

Segundo, o título que será antecipado precisa ter um prazo de pagamento mínimo de 7 dias. Se uma empresa emitir um boleto com vencimento em 3 dias, por exemplo, ela não conseguirá antecipá-lo usando o risco sacado, embora possa haver outras alternativas para isso.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Aporte Inicial

O que é aporte inicial? O aporte inicial, também chamado de aplicação inicial, corresponde à quantia em dinheiro que uma pessoa contribui para começar a investir…