O que é a reestruturação de dívida?

Empresas mal administradas ou que experimentem perdas financeiras devido à queda do consumo ou a mudanças econômicas podem acabar não tendo dinheiro em caixa para pagar as suas dívidas. Nesse cenário, a reestruturação de dívida pode ser fundamental para que o negócio possa se recuperar. 

Esse procedimento é utilizado por empresas que desejam melhorar a sua situação financeira e aumentar, assim, as chances de quitar suas dívidas com terceiros. O sucesso dessa operação depende de planejamento e de conseguir estabelecer um diálogo eficientes entre credores e devedores

Indivíduos à beira da insolvência também reestruturam sua dívida, assim como os países que estão caminhando para o default da dívida soberana.

Essa operação visa, portanto, garantir que o negócio deixe de operar no vermelho e possa dar andamento as suas atividades produtivas. Além disso, busca aumentar a sua capacidade de adimplência.

Como Investir nos Melhores Fundos

Como é feita a reestruturação de dívida?

Empresas que desejam reestruturar suas dívidas devem observar os seguintes pontos:

Varredura financeira

Para fazer a varredura financeira, a empresa deficitária deve listar todos os seus débitos de forma completa e organizada. Essa análise deve exibir informações como o nome dos credores, a data de vencimento dos débitos, assim como o valor e os juros contratuais de cada dívida. 

A par dessas informações será possível montar um plano de reestruturação de dívida com maior assertividade, focando na situação financeira da empresa. 

Renegociação de dívidas

Nessa etapa, o ideal é que a empresa contrate uma consultoria, cujo foco esteja na renegociação de débitos com instituições financeiras, prestadores de serviço terceirizado, fornecedores e órgãos do governo.

A reestruturação da dívida pode incluir a substituição do débito por uma fatia do patrimônio []/link, nesse caso, os credores concordam em cancelar uma parte ou toda a dívida da empresa por uma fatia das suas ações, por exemplo. 

Esse procedimento deve garantir a redução de juros incidentes sobre o saldo devedor da dívidas em aberto. 

Extensão do prazo de pagamento

O processo de reestruturação da dívida também deve priorizar o alongamento do prazo de pagamento ou a alteração da amortização. Isso é de fundamental importância para que a empresa diminua a pressão sobre a geração de caixa. 

A extensão do pagamento permitirá ainda que a empresa tenha mais tranquilidade para dar continuidade as suas atividades industriais e consiga obter capital suficiente para quitar suas dívidas o mais rápido possível. 

Prioridade de pagamento

Ao reestruturar as dívidas a empresa também precisa definir quais débitos devem ser os primeiros a serem quitados. Segundo os especialistas, os credores com maior saldo devedor devem ser priorizados.

No entanto, para definir a ordem de pagamento é preciso analisar o perfil da dívida de cada empresa, assim como as operações essenciais ao seu funcionamento.

Nessa etapa, a empresa não pode abrir mão do capital de giro, por isso os pagamentos precisam ser realizados na data previamente estipulada e de modo algum devem ser antecipados. 

Boa comunicação

Para que o procedimento de reestruturação de dívida seja, de fato, eficiente é preciso estabelecer uma boa comunicação com os credores da empresa.

Um diálogo claro e eficiente pode facilitar todo o processo e torná-lo mais transparente, por isso essa etapa não deve ser ignorada. Tal ação pode evitar, por exemplo, que as dívidas sejam cobradas judicialmente. 

Aqui, o ideal é manter um canal de comunicação aberto com os credores da empresa, informando-os sobre o processo de reestruturação da dívida, a previsão de pagamentos e o andamento das operações. 

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

DLPA

O que é DLPA? DLPA é uma abreviação para a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados. Esse é mais um documento contábil bastante utilizado pelas empresas brasileiras,…