Open Nav Logo Mais Retorno

Nome Sujo (na praça)

O que significa ter Nome Sujo na Praça?

As pessoas que estão com o “nome sujo na praça” não são boas pagadoras e estão devendo nas empresas nas quais compraram um determinado produto ou serviço. Muitas das vezes, esse fato acontece porque os indivíduos gastam mais do que podem e, portanto, não têm condições financeiras de arcarem com o pagamento de todas as contas.

Vale destacar que, por meio de uma consulta nos serviços de proteção ao crédito como o SPC e o Serasa, os comerciantes conseguem saber se um determinado indivíduo já teve problemas de pagamentos de dívidas anteriores e se precaverem contra possíveis calotes. Eles, inclusive, utilizam os dados presentes nesse cadastro com a intenção de decidirem se vão ou não conceder crédito a um consumidor.


O que acontece com quem está com o “nome sujo na praça”?

Primeiramente, quem deixou de pagar uma conta pode ter o seu nome registrado nas listas nos órgãos de proteção ao crédito. Entre eles estão o Serasa e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Ambos disponibilizam aos comerciantes uma lista de maus pagadores.

Dessa maneira, quando esse indivíduo fizer uma nova compra futuramente, o responsável pelo estabelecimento pode consultar esses órgãos e até negar, em alguns casos, o crédito ou a venda a prazo ao verificar que o consumidor está com o nome sujo.

Vale destacar, porém, que antes que o nome seja inserido no SPC ou Serasa, o cliente recebe uma notificação. Ela pode ser por meio de uma carta, telefonema ou mensagem no celular, sobre a provável inclusão do nome nos órgãos de proteção. Se a dívida não for quitada em um determinado prazo, o nome dessa pessoa será negativado.

Como saber se está com o “nome sujo”?

Qualquer cidadão pode fazer a consulta gratuitamente por meio dos órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa e o SPC. Caso resolva comparecer pessoalmente às agências, aproveite a oportunidade também para atualizar os dados cadastrais, como endereço e telefone. Dessa maneira, você receberá a notificação quando estiver na lista de negativados e, consequentemente, poderá checar se a sua entrada na lista foi justa ou não.

Além disso, mesmo que esteja com os compromissos em dia, vale muito a pena monitorar o seu CPF (Cadastro de Pessoa Física) nesses órgãos com a intenção de verificar se há dívidas fraudulentas, ou seja, fraudes cometidas por terceiros fazendo o uso dos seus dados.

Quais os motivos que levam as pessoas a ficarem com o “nome sujo”?

Diversos imprevistos podem fazer com que muitas pessoas enfrentem problemas financeiros e, consequentemente, encontrem dificuldades para pagar as suas dívidas. Entre eles estão a perda do emprego, problemas de saúde, acidentes etc. Não é por acaso que 62,4% das famílias brasileiras estão endividadas, de acordo com a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Além disso, há também a falta de planejamento financeiro por parte de muitas famílias. Várias pessoas realizam inúmeras compras a prazo, gastam mais do que ganham e contraem dívidas. No entanto, futuramente, com o efeito dos juros compostos, elas crescem rapidamente, tornando mais difícil o pagamento de todos os compromissos financeiros, o que pode o levar a ficar com o “nome sujo”.

Ficar com o nome negativado nos órgãos de proteção ao crédito não é uma situação agradável e, infelizmente, isso acontece por diferentes motivos. Isso é ruim, pois nesses casos as pessoas podem encontrar dificuldades na obtenção de crédito.

Evidentemente isso também é prejudicial também aos comerciantes, pois há uma grande probabilidade de eles não receberem todos os recursos dos quais têm direito, devido a impossibilidade de pagamento por parte do consumidor.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão