Open Nav

Milton Friedman

Quem é Milton Friedman?

Vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 1976, Milton Friedman foi um importante economista e estatístico norte-americano. Professor da Universidade de Chicago, se destacou pelas suas teorias em defesa do livre mercado.

PhD pela Universidade de Columbia, iniciou a carreira trabalhando na Agência Nacional de Pesquisa Econômica (NBER), local onde se dedicou aos estudos sobre a distribuição de renda nos EUA.

Friedman passou a ser mais conhecido a partir de 1957, quando elaborou a Teoria da Função de Consumo. De acordo com ela, as decisões individuais sobre consumo e poupança se amparam mais em mudanças permanentes na renda do que em qualquer incremento momentâneo na riqueza.

Como Investir nos Melhores Fundos

Quais as principais contribuições de Milton Friedman na economia?

Durante a sua vida acadêmica, ele refutou o Keynesianismo, modelo macroeconômico que defendia os gastos do Estado (política fiscal) como contraponto às limitações do modelo de livre mercado.

Assim, ele chegou ao monetarismo, modelo cujo foco é a política monetária e os seus efeitos sobre os níveis de preços, no curto e longo prazo. Como premissa básica, o pressuposto do crescimento, sem sobressaltos, da oferta de moeda.

Suas ideias influenciaram a segunda metade do século XX, trazendo de volta os conceitos clássicos de Adam Smith e a sua defesa na capacidade própria dos mercados em alcançar a eficiência e equilíbrio econômico.

O que é o monetarismo?

O monetarismo (conhecido também como a economia da “Escola de Chicago”) defende as seguintes condições para o crescimento:

  • Livre comércio;
  • Pouca presença do Estado na economia;
  • Crescimento lento e controlado da oferta de moeda.

Movimento chamado de “neoliberalismo”, ele foi adotado pelos governos de Ronald Reagan (EUA), Margaret Thatcher (Inglaterra) e Pinochet (Chile).

Foi a partir dele que essas nações passaram a se distanciar das políticas públicas de pleno emprego, principalmente após os anos de baixo crescimento e alta inflação da década de 70.

O que fez Milton Friedman ganhar tanta popularidade?

Ao longo de sua vida, ele expôs abertamente o seu pensamento econômico. Friedman ficou famoso pelas suas frases o pelo seu estilo direto de se comunicar:

As políticas econômicas devem ser avaliadas pelos seus resultados e não pelas suas intenções.

Ele sempre buscou mostrar os efeitos colaterais de algumas políticas públicas. Como exemplo, demonstrava que:

  • O aumento do salário mínimo deixava fora do mercado de trabalho pessoas com menor qualificação, dada a falta de preparo delas para determinadas atividades;
  • A introdução de tarifas e subsídios prejudicava os consumidores, que eram ofertados com produtos de menor qualidade, dados os preços praticados;

Esse conceito atingiu o auge quando o economista enviou uma carta aberta a um grande traficante da época, defendendo a total legalização das drogas.

Entre os seus argumentos, citava os efeitos colaterais sofridos pela sociedade com a guerra entre as gangues.

As políticas econômicas podem ser explicadas para pessoas comuns.

Além das várias obras que publicou, ele tinha o hábito de dar palestras e participar de programas de televisão.

A inflação é um fenômeno monetário em qualquer parte do mundo.

Friedman defendia que, no longo prazo, um aumento na oferta de moeda fazia os preços mudarem de patamar, sem o equivalente aumento na produção. Portanto, a política monetária (juros) deveria ter o mesmo rigor da política fiscal (gastos do governo).

Burocratas no governo não conseguem controlar a economia.

Como as políticas econômicas são impostas, elas causam consequências não previstas na sociedade, visto que não necessariamente seguem o conceito da eficiência e da racionalidade individual dos agentes.

Os governos podem falhar tanto quanto os mercados.

Voltando ao problema do foco nas intenções das políticas econômicas, e não nos seus resultados, Friedman usou outros exemplos da própria economia norte-americana para mostrar como políticas de controles de preços e salários levavam ao desabastecimento e ao desemprego.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados