O que são Meios de Pagamento?

À primeira vista, este termo pode parecer um tanto sugestivo ou até mesmo, óbvio. Você pode pensar que os meios de pagamento correspondem ao tipo de quitação realizada sobre qualquer produto ou serviço, através de cartões de créditos ou qualquer outra forma.

Tem certa relação sim, porém, não se trata diretamente disso, pois nem todas as formas de quitação são consideradas meios de pagamentos.

Confuso? Calma, nós explicamos:

São considerados meios de pagamento somente o capital disponível – dinheiro propriamente dito, seja em forma de cédula ou moeda – ou saldo gasto diretamente da conta corrente.

Vamos utilizar um exemplo prático para melhor compreensão. 

Suponhamos que você tenha uma dívida com um investidor. Ele te emprestou R$500,00 e você precisa devolver esta quantia o mais rápido possível.

Os únicos meios de pagamento considerados para devolução do dinheiro, seriam o seu pagamento em espécie, ou seja, você entregaria a ele as cédulas monetárias propriamente ditas. 

Ou então, você realizaria a transferência do valor entre ambas as contas, quitando a dívida sem a necessidade de entrega-lo “dinheiro vivo” em mãos.

É possível pagá-lo com cartão de crédito? Pode ser que sim, dependendo do caso e do cidadão. Entretanto, você estaria apenas mudando de credor ou invés de paga a dívida – deixaria de dever ao investidor para dever ao banco! 

Por esta razão, quitação com cartão de crédito não são considerados um meio de pagamento.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Qual é o critério utilizado para definição de Meios de Pagamento?

O critério utilizado para definição de meios de pagamento vai de acordo com a liquidez do ativo em questão. São os chamados agregados monetários!

Um agregado monetário pode possuir liquidez total, como é o caso da moeda em si, ou então, gradações menores de liquidez como é o caso das “quase moedas”. Vejamos:

Os agregados monetários são classificados da seguinte forma:

Mas, por que o M2, M3 e M4 são chamados de “quase moedas”? 

A respostas é simples: o ativo precisará ser convertido antes de ser utilizado como moeda de liquidez absoluta, ou seja, antes de estar disponível para realização de um pagamento através dos meios considerados.

Voltemos a hipótese anterior, onde você deve R$500,00 ao investidor:

É possível pagá-lo com um título de CDB, por exemplo? Embora seja um título financeiro, ainda assim não seria possível, porque este CDB precisaria ser liquidado e transferido para conta corrente a fim de realizar a quitação da dívida.

Ou seja, todo ativo que não está classificado como M1, precisa ser convertido em moeda para poder ser utilizado como meio de pagamento!

Qual a diferença entre forma de pagamento e meios de pagamento?

Conforme dito no início, há uma diferença muito sutil entre ambos os termos. Por esse motivo são facilmente confundidos.

As formas de pagamento são o que o próprio nome sugere: formas de quitação de produtos ou serviços. Você pode realizar um pagamento através de dinheiro em espécie, cartões de débito ou crédito, boletos bancários, entre outras maneiras.

A quitação acontece? Sim. Mas apenas pagamentos realizados através de dinheiro em espécie ou saldo de conta corrente, são considerados meios de liquidação propriamente ditos.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Patrimônio Líquido

O que é Patrimônio Líquido? O Patrimônio Líquido é mais um grupo que faz parte do Balancete e do Balanço Patrimonial das empresas. Esse grupo, em…

Veja outros termos