Open Nav Logo Mais Retorno

Lucro Líquido

O que é o lucro líquido?

O lucro líquido é uma modalidade de lucro que visa medir quanto uma companhia verdadeiramente recebe como retribuição pelo seu trabalho (a produção ou fornecimento de produtos e/ou serviços).

Para tanto, se considera a diferença positiva entre o quanto a organização recebe em forma de receita, pela venda de um bem, e o quanto ela gasta para fabricá-lo, é o lucro.

É justamente esse saldo que motiva a empresa a continuar produzindo. Dessa forma, os seus proprietários poderão obter retorno do investimento e entendê-lo como algo vantajoso. No meio empresarial, portanto, o lucro é uma questão de sustentabilidade institucional.

Mas atenção! Não confunda o lucro líquido com o lucro bruto. Embora ambos sejam usados nas empresas, os objetos dos seus cálculos (ou seja, os tipos gastos envolvidos) são diferentes.


Como o lucro líquido funciona?

Toda a dinâmica estabelecida em volta do lucro se baseia na ideia de benefício, certo?

Afinal, manter uma empresa funcionando dá um baita trabalho. Já no começo, é preciso levantar o capital social e compor partes essenciais para a saúde financeira e sucesso da companhia, como o capital de giro.

No dia a dia, ainda é preciso controlar a produção (ou a execução, no caso dos serviços), os processos internos, a relação com fornecedores e clientes, os gastos… Ufa!

É tanta coisa que somente um interesse muito forte para manter o empresário (sócios ou acionistas) envolvido.

Pois bem, o interesse é o lucro: A vantagem que retorna dos riscos e da carga de atenção que o negócio demanda.

Mas como medir o lucro? Responder essa questão é importante pois, sem isso, é impossível medir se o retorno da organização é equivalente ao esforço (financeiro e laboral, entre outros) e encontrar oportunidades de fazer com que o lucro se expanda.

Uma das formas encontradas para a medição é o que se conhece como lucro líquido. Nessa modalidade, são considerados todos os gastos da empresa. Não somente os envolvidos na produção (como a matéria-prima e a mão de obra, por exemplo), como os que mantém as outras áreas funcionando (como a contratação de profissionais de Vendas e a compra do cafézinho oferecido aos funcionários).

O objetivo principal do auferimento do Lucro líquido é definir quanto se gasta para manter a empresa toda funcionando e, a partir disso, verificar a vantagem obtida com isso justifica o trabalho.

Para encontrar o lucro líquido, é utilizada a seguinte fórmula:

  • Lucro líquido = Receita total - custos totais

Por exemplo: suponhamos que a empresa X tenha faturado 100 mil reais em janeiro com a venda de produtos eletrodomésticos. Para produzi-los, no entanto, são gastos ao todo 80 mil reais - lembrando que, aqui, estamos falando tanto do trabalho na fábrica quanto nos setores administrativos de apoio.

Essa sobra positiva de 20 mil reais é o lucro líquido. Como você já deve supor, se o resultado fosse negativo estaríamos tratando não de lucro, mas de prejuízo.

Ainda assim: 20 mil reais é um número satisfatório? O único agente que pode definir isso é o proprietário. Para responder a essa questão não basta considerar o resultado (“Tivemos lucro? Perfeito!”): o desempenho dos concorrentes, dos outros setores e da economia como um todo também interferem na percepção.

Se houverem outros tipos de investimentos mais vantajosos no mercado, por exemplo, pode ser que esses 20 mil reais sejam considerados insuficientes.

Qual é a diferença entre lucro líquido e lucro bruto?

O lucro líquido, porém, não é a única maneira de auferir o lucro.

Pensando em mensurar como os custos ligados diretamente à produção interferem no retorno é que foi criado o chamado lucro bruto.

Nele, apenas o que se conhece como custos variáveis (aqueles que diminuem ou crescem a cada unidade fabricada) são considerados na base de cálculo. Veja:

  • Lucro bruto = Receita total- Custos variáveis

A fórmula-base do lucro bruto obedece à mesma estrutura do lucro líquido - embora, como já sabemos, não compartilhem dos mesmos tipos de gastos.

Como o cálculo do lucro líquido interfere nos investimentos?

Para o investidor, o lucro líquido corresponde ao rendimento obtido após o desconto de todos os custos (fixos e variáveis) específicos da operação.

Por exemplo, se um investimento retorna em lucro 200 reais, mas retém 100 reais para o pagamento da corretora (taxa de corretagem), impostos e afins, o lucro líquido dele é de apenas 100 reais.

Sabendo disso, o investidor pode avaliar melhor a real lucratividade da aplicação. O que inclui tomar precauções para conter os custos, como trocar de corretora.

Assim, com o uso do cálculo do lucro líquido, evitam-se as surpresas desagradáveis ao se deparar com um retorno muito abaixo do esperado no momento do resgate da aplicação.

Mas atenção! Tome cuidado ao adotar o uso do lucro líquido como um sinônimo do rendimento líquido (confusão comum no dia a dia do mercado financeiro).

Enquanto o lucro líquido é a diferença positiva entre aplicação e retorno (após o desconto dos custos totais), o rendimento líquido é o acréscimo percentual que a aplicação sofre no período de maturação (após o desconto dos custos percentuais relacionados).

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados