O que é LFT?

LFT é uma sigla para Letra Financeira do Tesouro. A LFT ou atual Tesouro Selic é uma das três letras disponíveis para investimento no Tesouro Direto.

O Tesouro Direto é o programa de investimentos do Tesouro Nacional. Uma iniciativa do governo federal para oferecer aos pequenos investidores a oportunidade de comprar títulos públicos.

Os títulos públicos estão entre os papéis de renda fixa mais seguros do mundo. A LFT oferece aos seus investidores rendimentos atrelados à taxa Selic.

Como a letra possui ainda alguns emolumentos referentes à bolsa de valores, a rentabilidade sofre uma leve redução, mas ainda muito próxima dos 100% a 90% da taxa Selic.

Por ser um título que não possui nenhum tipo de rendimento atrelado a juros prefixados, a LFT acaba sendo pouco influenciada pelo mercado, tendo os seus rendimentos diariamente atualizados.

Vale destacar que a LFT, como boa parte dos investimentos em renda fixa no Brasil, possui a retenção de IR regressiva e ainda conta com o IOF em caso de resgates antes do investimento completar os primeiros 30 dias.

Como funciona a LFT?

Qualquer pessoa pode comprar uma LFT. Aliás, é possível comprar até 1% dessa letra.

Ou seja, se o título está avaliado em pouco menos de R$ 10.000,00, o investidor tem a possibilidade de comprar pedaços dele, com pouco menos de R$ 100,00.

O investimento em letras do Tesouro Direto como a LFT, pode ser feito por meio de uma instituição financeira como um banco ou as corretoras de valores.

Atualmente, tanto os bancos quanto as corretoras já vêm isentando seus clientes de eventuais taxas de administração.

Essa é uma prática que traz grandes benefícios para os dois lados: os clientes dos bancos não precisam recorrer às corretoras e aqueles que já possuem conta em corretoras podem permanecer nas mesmas e investir por lá.

Sendo assim, o rendimento acaba se tornando ainda melhor com a redução de custos. O Tesouro Direto funciona toda semana, exceto feriados e finais de semana.

Os horários de compra e venda de títulos podem variar com relação ao fuso horário brasileiro, mas em grande parte o mercado do Tesouro Direto tem abertura às 9:30 da manhã e se fecha às 18:00 horas.

Existem momentos no mercado em que o Tesouro Direto pode fechar as operações por tempo indeterminado influenciado por questões de volatilidade do mercado.

Mas o investidor pode ficar tranquilo que no próprio site do Tesouro Direto existem comunicações informando os interessados do “porquê” o mercado está fechado e qual é a estimativa de reabertura.

Por mais que as letras do Tesouro tenham vencimentos em seus nomes, o investidor pode liquidar sua posição a qualquer momento.

A liquidação ocorre dentro dos dias úteis, portanto, quando for realizar a venda em um final de semana, por exemplo, a operação será agendada para o dia que o investidor determinar.

Todas as ferramentas de agendamento de aplicação ou liquidação e até o próprio extrato da conta pode ser visualizado e feito no site do Tesouro Direto.

Mas as corretoras vêm cada vez mais oferecendo a possibilidade de acessar todas as funções e dados referentes ao Tesouro Direto por meio das suas próprias plataformas. Para isso, basta o investidor consultar se a mesma possui o sistema interligado ao Tesouro.

Pós e contras da LFT

A LFT é uma letra bem interessante para aqueles que têm a intenção de construir reservas financeiras.

Por ser uma letra que não sofre tanta influência do mercado, dado que seus rendimentos são constantes, porém, menores do que outros ativos disponíveis no mercado. Dessa forma, a LFT acaba sendo uma excelente alternativa de reserva financeira.

Para pessoas que tem a intenção de construir um patrimônio maior e mais robusto para o futuro como para a aposentadoria, a LFT pode não ser o investimento mais interessante.

Mesmo contando com rendimentos constantes, a LFT pode perder para outros produtos de renda fixa que oferecem porcentagens do DI superiores aos rendimentos oriundos da taxa Selic.

Estamos falando de CDBs com rendimento de 105% do DI, 110% e até superiores. Sem falar de outros produtos financeiros como as debêntures e até as outras duas letras do Tesouro como a NTN-F e a NTN-B.