O que é know-how?

O know-how é um termo em inglês que se refere a todo o conjunto de conhecimentos e habilidades práticas que uma empresa ou profissional adquirem ao longo das atividades e que permite que sejam considerados especialistas em suas áreas.

Em Português, o know-how é livremente traduzido como “saber como” ou “saber fazer”. Além disso, há ainda a expressão “conhecimento processual”, menos conhecida, mas usada para descrever o mesmo fenômeno.

Independentemente da versão escolhida, é considerado um dos mais importantes diferenciais no meio profissional, justo por seu caráter intransferível.

Dispor de know-how auxilia as organizações e os colaboradores no desenvolvimento de estratégias mais assertivas e soluções práticas. Ambos são fatores competitivos de grande impacto sobre a fidelização de clientes e a liderança no mercado.

Como o know-how funciona?

O know-how engloba competências técnicas e práticas, e como veremos a seguir, possui uma versão individual e outra coletiva.

O know-how do profissional

Quando tratamos do know-how de um único profissional, nos referimos, principalmente, à sua capacidade de comprovar que assimilou profundamente um conhecimento, demonstrando-o na realidade.

Mais do que isso, ele está apto a desviar dos obstáculos comuns à atividade e encontrar formas mais assertivas de realizá-la.

Para tanto, somente a experiência pode treiná-lo.

Para ilustrar, imagine que estamos tratando, aqui, de um jogador de futebol.

Não importa quantas aulas ele receba sobre como realizar um drible, certo? Apresentações de PowerPoint e cálculos matemáticos se tornam secundários, porque é apenas durante o jogo, sentindo o peso da bola, o posicionamento correto dos pés e a necessidade de se desvencilhar dos adversários, que ele mostrará se domina ou não a técnica.

A teoria do drible pode até ser utilizada, mas apenas a situação real pode atestar que o jogador sabe como fazê-lo de forma perfeita em variadas situações – ou seja, tem know-how no assunto.

E assim é em todas as profissões. O pedreiro pode estudar quantas horas quiser, mas apenas a sua perícia para erguer uma parede perfeitamente lhe confere prestígio entre os demais.

Mas não se engane! O know-how de um profissional não é construído do dia para noite. Em geral, demanda anos de dedicação a uma área específica.

Um jogador de futebol que tem know-how no drible não é aquele que conseguiu executar o movimento uma vez. Pelo contrário, ele deve ser um verdadeiro especialista no assunto – assim como em todas as outras profissões.

O know-how das empresas

Uma empresa que possui know-how não apresenta grandes diferenças frente aos profissionais com know-how. Ambos têm muita autoridade na área.

A diferença é que, para tal, a companhia deve alinhar um conjunto de colaboradores, de modo que, o know-how de cada um deles seja somado. O resultado é um coletivo de pessoas e processos internos de excelência.

Ainda usando o nossa ilustração anterior, as empresas que têm know-how são semelhantes aos grandes times de futebol.

Na vida real, existem algumas organizações que podemos citar como fortemente reconhecidas por essa característica.

Os Correios, por exemplo, têm know-how na logística terrestre. A Apple, nos eletrônicos. Por sua vez, Ambev e Walmart, dominam, respectivamente, os processos práticos na produção de bebidas e na administração de lojas de departamento.

Por que o know-how é tão importante?

Seja na perspectiva do profissional, seja na das empresas, a relevância do know-how é praticamente a mesma.

Isso porque ele confere prestígio, frente aos clientes. Indica que, mais do que entender o básico sobre a atuação, o profissional/empresa é capaz de aperfeiçoá-lo, ao ponto de, verdadeiramente, entregar o melhor resultado do mercado.

Imagine que você irá trocar de residência e precisa contratar um serviço de mudanças. Além de pesquisar pelo preço mais vantajoso, sabemos também que você buscará pelos estabelecimentos mais bem avaliados.

Você já parou pra pensar o porquê?

A verdade é que, mesmo que os outros negócios possam oferecer bons serviços, os seus itens domésticos são de grande valor material ou sentimental. Não pode haver erros na locomoção – já que o prejuízo futuro tende a ser maior do que a diferença no valor dos orçamentos.

Portanto, você procura pela empresa mais qualificada, ou seja, aquela que tem mais know-how. O mesmo fazem outros clientes. Essa preferência, aplicada a nível de mercado, é que confere às empresas, e seu know-how, mais lucratividade.

Assim como aos profissionais, que são disputados por contratantes e clientes, garantindo remunerações elevadas e grande reconhecimento.