Open Nav

Jesse Livermore

Quem é Jesse Livermore?

Jesse Lauriston Livermore foi um dos maiores e mais famosos especuladores do século XX, fazendo sua história pelo coração financeiro de Manhattan, na famosa Wall Street.

Nascido em 1877 no estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, Livermore deu início a sua carreira bem cedo, ainda aos 14 anos de idade, quando começou a trabalhar em uma corretora de ações e investiu pela primeira vez aquilo que possuía: promissores 5 dólares.

Devido a um talento natural, cerca de apenas vinte anos mais tarde, já estaria reunindo uma fortuna equivalente a 3 milhões de dólares.

Passou por três casamentos, aos quais resultaram-no dois filhos. No ano de sua morte, em 1940, deixou para sua família uma herança no valor total de 5 milhões de dólares. Jesse Livermore suicidou-se com um tiro, e a razão ainda é alvo de muita especulação: há quem diga que o trader estava sofrendo em silêncio com a depressão.

Seus princípios são estudados e absorvidos até hoje, principalmente no que diz respeito ao seu aspecto emocional. Suas crenças incluíam sempre seguir e compreender profundamente as condições do mercado financeiro: construir grandes posições se o mercado lhe confirmasse a direção esperada. 

Dizia que o jogo de especulações era fascinante, mas que não era para qualquer um, principalmente para pessoas mentalmente perigosas e com desejo de conquistar riquezas rapidamente.


Como Jesse Livermore ganhou notoriedade no mercado financeiro?

Ao longo de sua vida, Livermore conquistou e perdeu quatro vezes fortunas multimilionárias. A princípio com operações curtas de compra e venda, seu primeiro grande investimento foi aos 24 anos, onde transformou US$10 mil em 50 mil dólares numa escala curtíssima de tempo. Nos momentos descendentes ou ascendentes do mercado, ele sempre operava comprando ou vendendo, sempre seguia o preço e movia-se com ele para o lado que oferece menos resistência.

Em 1906, com a venda de sua posição na “Union Pacific”, Livermore arrecadou cerca de 250 mil dólares, o que foi uma aposta de muita sorte já que tempos mais tarde um terremoto arruinaria a cidade de San Francisco. Este talento nas decisões intuitivas quase sempre renderam-no grandes lucros, o que para muitos sempre foi um mistério, e até para ele próprio, embora no ano seguinte viesse a perder todo o patrimônio conquistado até o momento.

Possivelmente, sua maior e mais famosa movimentação foi durante o “crash” de 29 de Outubro de 1929, mais conhecido como “Terça-Feira negra”, onde milhares de investidores foram destruídos pela perda de bilhões de dólares, exceto Livermore, que havia acumulado e manteve o valor de 100 milhões líquidos vendidos no mercado. Chegou a ser responsabilizado por parte do “crash”, mas logo foi titulado de “O Grande Urso da Wall Street”: aquele que ataca de cima para baixo, mostrando a visão de quando o mercado tende a cair.

Cabe dizer que 100 milhões de dólares naquela época equivalem a cerca de 1,5 bilhão de dólares nos tempos atuais - de forma imprecisa, é claro.

Jesse Livermore deixou um legado bibliográfico que é seguido mundialmente, com o livro “How to Trade in Stocks” (Como Negociar Ações), escrito por ele mesmo, e também “Reminiscences of a Stock Operator” (Reminiscências de um Especulador Financeiro), escrito pelo jornalista Edwin Lefève com total referência as estratégias do especulador. Em seu livro há uma citação de Livermore, que se acredita ser a maior lição já deixada por ele:

“Aprendi desde cedo que não há nada de novo em Wall Street. Não pode haver, porque a especulação é tão antiga quanto as colinas. Aconteça o que acontecer no mercado de ações hoje, já aconteceu antes e vai acontecer de novo. Eu nunca esqueci isso.”

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados