Última modificação em 17 de dezembro de 2020

O que é Inplit de Ações?

Inplit de ações, também chamado de grupamento de ações, consiste na aglutinação de vários ativos, que antes estavam separados, em um só. Ao realizar essa operação, o capital da empresa é condensado e o número de ações diminui. Como resultado, o valor patrimonial aumenta, que consiste no patrimônio líquido da empresa dividido pelo número de ações.

As empresas procedem ao inplit de ações, normalmente, quando seus preços caem na bolsa de valores. A B3 impõe uma regra em que, se o preço de uma ação cai e permanece a menos de R$ 1, ela pode ser removida da bolsa em um prazo máximo de um mês, caso a empresa não apresente um plano de recuperação.

O processo oposto de inplit é bastante popular e se chama split de ações, isto é, desdobramento — no qual uma empresa divide suas ações em dois, três ou 10 partes cada, tornando seu preço mais acessível ao pequeno investidor.

Qual é o melhor momento para realizar um Inplit de Ações?

Sempre vão existir chances, mesmo mínimas, de uma companhia entrar em decadência na bolsa de valores e atingir cotações cada vez menores. Se isso ocorrer, os cotistas perdem a segurança de fazer aplicações na empresa e muitos até retiram seu capital porque preços muito baixos são realmente pouco visados por quem investe, já que geralmente sinalizam que a empresa 'vai mal'.

Vale destacar que o inplit de ações não muda a tendência da empresa no mercado, ou seja, se o seu valor está em decadência, essa operação não reverterá a situação.

O grupamento de ações é feito mediante uma votação no Conselho dos Acionistas e o mercado deve ser informado a respeito da mudança. O inplit auxilia a frear a alta volatilidade, o que acontece naturalmente quando o preço das ações está muito reduzido.

Isso porque, nestes casos de ações menores que R$ 1, a variação de centavos gera um aumento ou redução expressivo no valor (10 centavos representa 11,11% de uma ação que custa R$ 0,90).

Por isso que para subir o preço e reduzir a volatilidade de suas ações a empresa pode realizar o inplit, isto é, elevar o preço por unidade. Por exemplo, suponha que uma ação custe R$ 0,05 e a empresa realize um grupamento de 1000 dessas ações: cada ação passa a valer R$ 50. Lembrando que esse processo não muda o capital do investidor.

Exemplos reais de Inplit de Ações

Vamos conferir alguns casos em que o recurso de inplit foi utilizado.

Em 2007, a Ambev tinha ações a R$ 0,01. Então seus gestores realizaram o agrupamento de suas ações: 100 ações passaram a equivaler R$ 1 cada.

Já no ano de 2016, as ações da empresa de energia Eneva ultrapassaram o prazo de 30 dias consecutivos com cotação abaixo de R$ 1. A companhia, que estava passando por um processo de recuperação judicial, foi notificada e o grupamento de suas ações foi anunciado na proporção também de 100 para 1.

Poucos anos depois, em 2020, a Liq Participações, que atua no ramo de gestão entre empresas e clientes, anunciou a operação de grupamento de suas ações na proporção de 30 para 1. Conforme o esclarecimento da empresa, esta manobra tem o objetivo de reduzir a probabilidade de volatilidade excessiva no preço das ações.  

Igualmente em 2020, a empresa de telecomunicações Oi (OIBR3) sofreu desvalorização intensa e ultrapassou a marca de 30 dias cotada a menos de R$ 1 na B3. A corporação recebeu uma notificação, mas conseguiu o adiamento para apresentar o plano de recuperação e realizar o inplit de ações.

Termo do dia

STVM (Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários)

O que é a STVM? STVM (Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários) permite que um investidor transfira seus investimentos de um banco para uma corretora – ou, então, de…