Última modificação em 3 de julho de 2020

O que é Índice de Endividamento Geral?

De uma forma mais abrangente, o Índice de Endividamento Geral (EG) ajuda a informar se uma empresa utiliza mais recursos próprios ou de terceiros. O que isso quer dizer? Que é um demonstrativo de como é a sua capacidade de mobilizar ativos, arcar com juros e outros indicadores.

O ideal é que uma empresa não tenha um índice de endividamento nem muito baixo e nem muito alto. Quando há pouca dívida, pode ser sinal de que a alavancagem pode não estar sendo utilizada de forma correta no momento, o que abre brechas para elevar o nível da lucratividade do negócio futuramente.

Já quando os níveis estão muito altos, essa fator pode indicar que uma parte significativa do fluxo de caixa é comprometida no pagamento de dívidas e juros referentes a ela. Por esse motivo, para manter a saúde financeira em bons níveis, é preciso que haja um equilíbrio.


Quais são os tipos de endividamento mais comuns?

É preciso frisar que não há somente um tipo de dívida dentro do Índice de Endividamento Geral. Existem algumas divisões que, quando se tratam de empresas, precisam ser conhecidas para que a situação financeira do negócio seja facilmente identificada para poder ser trabalhada.

Endividamento sobre patrimônio

O endividamento sobre patrimônio indica a relação existente entre o capital que é uma contribuição de seus acionistas e aquele que é alcançado pelo advindo de terceiros. Isso porque o capital líquido pode, normalmente, ser definido como uma fonte de capital própria.

Para obter o resultado da relação dos capitais é só dividir o patrimônio líquido pela dívida líquida. Quando o indicador estiver baixo, é sinal de que a empresa pode ter uma maior flexibilidade para conseguir empréstimos de terceiros.

Endividamento total

Basicamente, o endividamento total é um índice financeiro de estrutura capital. Na prática, isso significa a existência da relação entre o capital investido e a dívida total da empresa. Aqui, o resultado é a junção entre o patrimônio líquido do negócio e uma dívida feita a longo prazo.

Endividamento a longo prazo

Um indicador de análise financeira, o endividamento a longo prazo serve para auxiliar na compreensão da estrutura do capital de um negócio. O seu cálculo pode ser feito com as informações em relação à porcentagem do capital investido — que é composta de fundos de longo prazo e tem origens em empréstimos.

Aqui, é preciso lembrar que o capital em que uma empresa investe pode ser definido como a soma de todas as obrigações feitas com terceiros. Ou seja, as dívidas provenientes do patrimônio líquido (ou capital investido) e dos acordos fechados a longo prazo.

Como analisar e calcular o Índice de Endividamento Geral?

A forma de encontrar o Índice de Endividamento Geral é muito simples, mas necessita de dados do balanço patrimonial ​​​​​​​. Em outras palavras, isso significa que é importante que a contabilidade do negócio esteja sempre em ordem e que execute as atividades dentro dos padrões exigidos de forma legal.

Portanto, o EG é extraído da divisão entre os passivos e ativos da empresa, que podem ser encontrados no seu balanço. Dessa forma, a aplicação é feita da seguinte forma:

EG = (Passivo Não Circulante + Circulante / Ativo) x 100

Para compor o passivo, todas as contas que a empresa tem são incluídas — tanto as de curto ou de médio prazo​​​​​​​ — contra tudo o que é contabilizado no seu ativo total. O resultado encontrado é multiplicado por 100 para que seja possível transformá-lo em percentual.

Em relação à análise do valor encontrado, ela é muito fácil de ser realizada. Para isso, basta entender que: quanto menor, melhor. Isso significa que índices menores equivalem a uma melhor saúde financeira da empresa.

Como é feito o cálculo da composição de um endividamento?

Da mesma forma que o Índice de Endividamento Geral, o cálculo referente à composição do endividamento tem como base o balanço patrimonial da empresa. Nesse caso, porém, a conta é feita a partir da seguinte equação:

CE = (Passivo circulante (a curto prazo) / Passivo Exigível Total (a curto e a longo prazo)) x 100

A soma do passivo de longo e curto prazo recebe o nome de passivo elegível da empresa. Para chegar ao seu cálculo, não é preciso levar em conta o seu patrimônio líquido. Isso porque essa é uma dívida do negócio com seus sócios — logo, não precisa ser paga.

Quanto menor for o valor da CE, melhor para a saúde da empresa. Isso significa que ela deverá desembolsar um valor menor de capital a curto prazo para aplicar na quitação de suas dívidas.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Ação Ordinária

O que é ação ordinária? A ação ordinária é uma parcela do capital social de uma companhia que, em suma, oferece o benefício do voto em…

Veja outros termos