O que é Fundo Macro?

O Fundo Macro é uma categoria de fundo com uma estratégia de investimentos específica. Ela faz parte do grupo de multimercado, ou seja, uma modalidade que investe em diferentes tipos de ativos financeiros.

O nome é familiar para você? Não é por acaso: essa nomenclatura foi escolhida em função do termo "macroeconomia", pois é em função dela que o fundo irá fazer suas análises para escolher os ativos que farão a composição de carteira.

Ou seja, a escolha do que comprar com o dinheiro dos cotistas não leva em consideração apenas o tipo do ativo ou o seu preço (embora, claro, isso faça parte da avaliação), mas principalmente alguns indicadores macroeconômicos.

E quais seriam esses indicadores? Podemos citar, por exemplo, taxa de desemprego, inflação, taxa de juros ou até o câmbio. Tudo que influencia a economia de um país pode pesar.


Como funciona um Fundo Macro?

 

Em função dessas características macroeconômicas, um Fundo Macro tem como foco investimentos de médio e longo prazo. Não são, portanto, focados em operações curtas, ao menos de um modo geral.

A ideia é entender o cenário econômico e realizar projeções sobre o que pode acontecer, comprando e vendendo ativos visando a antecipação desse cenário. Com isso, a busca acaba sendo por situações que aproveitem essa projeção traçada para o período futuro.

Além disso, o economista do Fundo Macro ganha uma importância ímpar. Ele é, afinal, responsável por indicar os cenários esperados e sua análise precisa ser certeira para garantir bons investimentos.

Vale observar que, de acordo com cada projeção, os ativos que farão a composição da carteira do fundo podem modificar totalmente. Deste ponto surge a importância de ter na equipe especialistas em economia.

Quais os tipos de Fundo Macro?

Apesar da sua orientação ser clara e ter como base o cenário macroeconômico, um Fundo Macro pode ser dividido em duas categorias principais: Trading e Carregamento.

No caso de um Fundo Macro Trading, o foco passa a ser para períodos mais curtos — embora não tão rápidos como uma estratégia de Day Trade. Os fatores de análise, salvo exceções, não produzem resultados de forma tão breve assim. Já no Fundo Macro Carregamento, você tem a orientação para o longo prazo, especialmente em análises estruturais da economia de um país.

De um modo geral, ambos tentam superar o CDI, sendo esse indicador o benchmark mais comum no Brasil. Quanto maior o potencial retorno do Fundo Macro, também maiores tendem a ser os riscos oferecidos ao investidor. Uma regra básica do Mercado Financeiro.

Quais são as vantagens e desvantagens do Fundo Macro?

O principal ponto positivo do Fundo Macro é a forma pela qual as tomadas de decisão são feitas. Ou seja,  há um embasamento técnico de acordo com estudos e análises de amplo aprofundamento. Assim, todo o cenário econômico é levado em consideração, algo que nem sempre é prioritário em outros modelos de fundos de investimentos.

Além disso, o Fundo Macro é de formato multimercado. Ou seja, ele mesmo já é, por si só, uma forma que o investidor tem de diversificar os seus investimentos. Isso sem falar no fato de que a tomada de decisão é feita por especialistas em economia, uma vantagem comum em fundos.

No entanto, existe também o outro lado da moeda. Pelo foco de longo prazo, um Fundo Macro acaba sofrendo mais com oscilações do que outros modelos de investimento. Isso porque fatos inesperados podem surgir e, como consequência, alterar toda a expectativa inicial e afetar os resultados.

Por fim, para investidor mais apressados, nem sempre o Fundo Macro é uma boa pedida. Não deixe de avaliar o seu próprio perfil antes de comprar cotas dessa modalidade de investimento dentro do Mercado Financeiro.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Economista Doméstico

O que é um economista doméstico? De forma simplista, o economista doméstico é um tipo de economista com formação específica em Economia Doméstica. Atualmente, no Brasil,…

Veja outros termos