Última modificação em 14 de setembro de 2020

O que é Fannie Mae?

Fannie Mae era um nome popular dado para o Federal National Mortgage Association, uma instituição que atuava no mercado de hipotecas dos Estados Unidos, exercendo um papel fundamental no financiamento imobiliário junto a empresas financeiras — como os bancos.

A origem do apelido dado para a entidade está na abreviação das suas iniciais (FNMA) que, lidas de maneira oral, apresentavam um resultado sonoro muito similar a "Fannie Mae", algo que ficou popular entre os estadunidenses e logo se tornou um termo comum.

Como você deve ter percebido, utilizamos o tempo verbal no passado. Isso porque o Federal National Mortgage Association não existe mais. A empresa, que atuava no mercado de hipotecas, não resistiu à Crise do Subprime, em 2008.

Assim, a Fannie Mae se juntou a outras grandes instituições que tiveram sérios problemas em suas atividades na oportunidade, assim como aconteceu com o também lendário Lehman Brothers. 

Qual é a história da empresa Fannie Mae?

O Federal National Mortgage Association (Fannie Mae) foi fundado no ano de 1938 pelo governo norte-americano com o intuito de oferecer liquidez ao mercado imobiliário por meio de empréstimos e financiamentos hipotecários.

No Mercado Financeiro, o FNMA atuava como um agente intermediário no setor de crédito, vendendo empréstimos realizados pelos bancos e oferecendo liquidez aos mesmos. Tinha, portanto, um papel ativo na economia estadunidense e, por consequência, na economia global dado que os Estados Unidos estão no centro da cadeia financeira.

No ano de 1968, a empresa passou a ser do setor privado. Essa condição durou até o dia 7 de setembro de 2008, quando a entidade precisou receber intervenção do governo para não ser encerrada.

Qual a relação da Fannie Mae com a Crise de 2008?

Como todos nós sabemos, a Crise de 2008 foi marcado por um problema com o mercado de crédito imobiliário dos Estados Unidos. E, naturalmente, muitos especialistas apontam uma relação direta entre a Crise do Subprime e o Federal National Mortgage Association.

Como vimos, a instituição era responsável por injetar liquidez no mercado imobiliário, algo que facilitava a concessão de empréstimos pelos bancos. No entanto, assim como a história provou, os critérios para essas atividades de financiamento precisam de filtros mais rigorosos.

Desta forma, quando a população que pegou esses empréstimos passou a não honrar com seus compromissos, explodiu o que se chamou de "bolha imobiliária". E, claro, o FNMA estava no coração dessa crise, sendo um dos responsáveis por promover o exagero dos títulos de alto risco no mercado hipotecário.

Há quem defenda que o próprio governo pressionava a empresa para ajudar a conceder crédito para pessoas de baixa renda. O fato é que, pressionada ou não, a atuação da empresa Fannie Mae colaborou com o aumento do risco do mercado imobiliário.

Os resultados verificados com a Crise do Subprime foram devastadores para a economia estadunidense e global, levando diversas empresas relevantes à falência.

Como o governo americano atuou junto à empresa Fannie Mae?

A caótica situação financeira dos Estados Unidos com a explosão da Crise do Subprime exigiu uma forte atuação do governo para evitar que outra importante organização do país quebrasse.

E uma dessas ações foi a intervenção sobre a empresa Fannie Mae, algo que incluiu a compra de 80% de suas ações com um investimento superior a 100 bilhões de dólares. Na sequência, coube ao Estado reestruturar completamente o funcionamento da companhia e dos seus processos de financiamento.

Vale lembrar que, até a explosão da crise, o Federal National Mortgage Association era responsável por aproximadamente 50% do mercado de hipoteca dos EUA.

Termo do dia

Cota Subordinada

O que é cota subordinada? A cota subordinada é um dos tipos de cotas disponibilizadas aos cotistas  dos Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). Ela tem…