Última modificação em 25 de novembro de 2019

O que é o Efeito de Desinformação?

Efeito de Desinformação (ou Misinformation Effect, conforme o termo original em Inglês) é o nome dado a um tipo específico de viés cognitivo.

Por definição, o Efeito de Desinformação é caracterizado como a tendência que todos os seres humanos possuem de, ao se recordarem de um evento testemunhado, apresentar inconsistências entre a memória e o fato. Tudo porque, nesse meio tempo, algum tipo de informação falsa sobre aquela experiência foi apresentada.

A pesquisa mais famosa sobre o Efeito de Desinformação até agora teve como objeto central a batida entre dois carros. Os participantes eram apresentados a um vídeo com o acidente (produzido em estúdio) e, em seguida, convidados a estimar qual era a velocidade dos carros.

A depender da forma como a pergunta era apresentada ("qual era a velocidade dos carros quando eles bateram?", 'qual era a velocidade dos carros quando eles se espatifaram?", "qual era a velocidade dos carros quando eles colidiram?") a resposta mudava. Termos como "espatifar" dão uma noção de maior impacto para o cérebro, sugerindo inconscientemente, para este, que a velocidade era maior.

Assim, as pessoas poderiam jurar "de pé junto" que os carros duas vezes mais velozes do que estavam, na verdade.

Estariam elas mentindo? Não. Infelizmente, elas estavam apenas sob o Efeito de Desinformação - informações novas e equivocadas (mesmo que apenas através da sugestionabilidade) corromperam as suas memórias.

Como Investir nos Melhores Fundos

Como o Efeito de Desinformação funciona?

Ele está relacionado com outros vieses? Se você já leu outros dos nossos artigos sobre vieses ligados à memória, deve ser capaz de enxergar a relação entre o Efeito de Desinformação e alguns outros.

Para fins de entendimento, decidimos focar em apenas um, que será muito útil para compreendermos melhor como esse efeito funciona - além, é claro, da memória como um todo.

Quando se fala de Efeito de Desinformação é praticamente impossível não se recordar do viés de retrospectiva. Como "a tendência mental humana a reinterpretar os acontecimentos depois que os mesmos já aconteceram, em especial no que tange à nossa leitura dos fatos antes ou durante o seu desenvolvimento", ele apenas se difere do Efeito de Desinformação quanto à razão.

No viés de retrospectiva, a causa da reinterpretação é sobretudo interna. Nós mudamos de perspectiva conforme as nossas emoções mudam. Já no Efeito de Desinformação, ela se fundamenta em uma informação externa - um dado que vem do mundo que nos cerca e faz com que reavaliemos nossa experiência.

Isso quer dizer que, uma vez afetados pelo Efeito de Desinformação, estamos imunes ao Viés de Retrospectiva? Absolutamente não.

Os dois podem, inclusive, aparecer interligados a depender do evento analisado. Assim, eles não apenas compartilham da forma premissa (uma falha no processamento dos dados na memória), como s retroalimentam.

Como o Efeito de Desinformação afeta a sua vida financeira?

No artigo sobre sugestionabilidade, já contamos como recomendações de investimentos podem ser compostas com o objetivo de suavizar riscos e superestimar emocionalmente os ganhos.

No caso do Efeito de Desinformação, algo semelhante pode acontecer. Isto é, a sua visão sobre uma companhia, um tipo de investimento ou um profissional do ramo podem ser afetadas positiva ou negativamente a depender de sugestões e/ou a apresentações de informações diretamente. E não é apenas a sua percepção do presente que é afetada, como principalmente a do passado.

Ver irregularidades financeiras como algo normal do mercado, um currículo de tragédias gerenciais como uma maré de azar ou uma bela furada como uma "oportunidade ignorada pela maioria" parece algo distante demais, especialmente sob os olhos do ponto cego.

Contudo, quando se trata da memória e das armadilhas que ela prega (mesmo com as melhores das intenções), ninguém está imune.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Capital Próprio

O que é o capital próprio? É chamado de capital próprio a parcela de capital disponível para as companhias que advém exclusivamente de seus sócios, acionistas…

Veja outros termos