O que é Custo Variável?

O custo variável é aquele que está totalmente ligado ao tipo e volume de produção que uma empresa pode realizar ao longo do mês.

Portanto, é um tipo de custo que varia de acordo com a atividade-fim: se a empresa produz mais, tem maiores gastos, mas se produz menos, os gastos serão equivalentes com a respectiva redução.

Porém, antes de nos aprofundarmos no assunto, é preciso de você saiba a definição e diferencie custo de despesa:

Todo e qualquer custo, seja ele variável ou não, estará diretamente ligado à produção. Ou seja, é o próprio capital investido no core business da empresa.

Por outro lado, para que o produto seja comercializado e de fato aumente a receita da companhia, os gestores deverão arcar com algumas despesas: utilização de recursos que independem do volume de produção.

Isso significa que, independentemente da quantidade produzida, o produto deverá ser exposto através de campanhas publicitárias, vendido por colaboradores autônomos ou internos, dentre outras despesas.

Para facilitar e entender de vez: os custos sempre estarão relacionados diretamente com a produção, enquanto as despesas ficam reservadas a administração dos produtos já finalizados!

Uma vez que tudo isso esteja claro, podemos avançar sobre as características do custo variável.


Quais são dos tipos de Custo Variável que uma empresa pode ter?

Dentre os tipos mais comuns de custo variável estão: a matéria-prima e demais elementos que compõem o produto, a energia elétrica utilizada na produção, água, gás e afins.

Tudo aquilo que é utilizado para gerar a atividade-fim da empresa e varia conforme o volume produzido deve ser considerado como custo variável. Portanto, cada empresa deve tê-lo definido de modo particular, afinal, os ramos comerciais possuem propostas bens diferentes uns dos outros.

Uma empresa que fabrica bonecas de plástico certamente terá um custo variável diferente de uma companhia produtora de sorvetes, concorda? A ideia é essa mesmo!

Essa modalidade de custo não está presente só no ramo industrial. Uma empresa prestadora de serviços, por exemplo, também terá um custo variável para administrar.

É importante calcular o Custo Variável?

Se o custo variável possui ligação direta com o produto da empresa – como é o caso –, sim, é extremamente importante, principalmente porque ele vai ditar a qualidade do serviço final.

Isso significa que o gestor da companhia deve fazer uma boa pesquisa de mercado e selecionar com exatidão os elementos necessários para sua produção.

Por mais que hajam diversos custos com a produção, é importante lembrar que tais gastos retornarão como receita mais tarde.

Portanto, vale a pena investir num produto de qualidade e receber de forma proporcional a ele, não acha?!

Qual é a diferença entre Custo Variável e Custo Fixo?

Se o custo variável é representado pelo gasto que varia de acordo com o tipo e volume de produção, o custo fixo, por sua vez, não sofrerá a menor alteração.

Veja, para que o produto seja fabricado de fato, é necessário mais do que sua própria matéria-prima ou qualquer elemento natural utilizado em sua confecção. Muitas vezes, são necessárias máquinas e, principalmente, operadores (que compõem o capital humano)!

A manutenção preventiva dos equipamentos não pode ser feita de acordo exclusivamente com o volume de produção, pois esta deve seguir um cronograma específico de acordo com suas peças e funcionalidades.

Da mesma forma, os colaboradores que atuam na linha de produção não costumam receber de acordo com o volume do mês. Se a empresa produziu mais ou menos é indiferente: o salário dos funcionários deve ser pago sem distinção.

Estes são exemplos de custos fixos. Ou seja, que possuem relação com a produção – conforme explicado lá no início – mas não dependem do seu tipo ou volume.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Ceteris Paribus

O que é o Ceteris Paribus? Ceteris Paribus, também conhecido como Coeteris Paribus é um conceito da Economia, que traduzido para o português significa, “todo o…

Veja outros termos