O que é o capital de giro?

O capital de giro é a parcela das reservas econômicas de uma companhia que se dedica, exclusivamente, a garantir que a companhia honre com as suas obrigações de curto prazo.

No meio contábil, é classificado como ativo circulante: é um conjunto de bens e direitos que, por sua alta liquidez, possibilitam que a empresa arque com os seus custos e despesas mesmo que o faturamento esteja abaixo do necessário para tal.

Entre os principais itens que compõem o capital de giro, pode-se citar: os valores em caixa, em bancos e em aplicações financeiras de alta liquidez, assim como os estoques.

As empresas, principalmente as recém-fundadas, devem dar atenção especial à criação do capital de giro. Em especial, as pessoas que encontram no empreendimento um meio de trabalho pessoal e, como 88% dos empresários brasileiros, utilizam os próprios recursos ou os recursos familiares para abrir o negócio.

Sim, saúde financeira importa - e muito!


Como o capital de giro é calculado?

Definir o valor de capital de giro intuitivamente não é fácil.

Para tanto, existem alguns pontos a se observar na sua definição:

Cada um deles tem o poder de diminuir o capital de giro, quando sofrem variações.

O aumento inesperado dos custos, por exemplo, exige que a empresa retire uma parcela do capital de giro para realizar o pagamento das dívidas. O mesmo acontece no caso de clientes inadimplentes ou queda no volume de vendas.

Garantir que esse “socorro” seja possível é o principal objetivo do capital de giro.

Portanto, avalie continuamente se o valor reservado a ele supre essa necessidade.

Dentro da Contabilidade, existe ainda o conceito de Capital de Giro Líquido (CGL). Ele nada mais é do que o capital de giro tradicional anexado à possibilidade em aberto de se pegar empréstimos para compor a reserva.

Em geral, a fórmula utilizada para a definição do Capital de Giro Líquido é adotada pela maioria dos gestores para definir o valor que deve ser separado para esse fundo.

É ela:

Como já explicamos, o ativo circulante é o conjunto de todos os bens e direitos de uma empresa que podem ser facilmente transformados em dinheiro.

O passivo circulante, por sua vez, engloba todas as dívidas que a companhia deve quitar nos próximos doze meses, como impostos e contas de instalação (água, luz, internet), por exemplo.

Para que serve o capital de giro?

A principal função do capital de giro diz respeito à saúde financeira das empresas.

Afinal, os recursos são a matriz do trabalho corporativo: dinheiro entra através das vendas, financia a execução das atividades (no que tange ao pagamento dos profissionais) e sai novamente para o pagamento das dívidas com fornecedores.

Ele é essencial para o funcionamento da companhia, visto que o serviço prestado ou o produto entregue não são gratuitos - nem para produzir, nem para distribuir.

O que o capital de giro faz é garantir que a companhia siga positivamente por esse ciclo.

Entre algumas das vantagens de se ter um capital de giro, no que tange às possibilidades que ele oferece, pode-se citar:

O capital de giro segue o mesmo princípio de se ter uma reserva de emergência a nível pessoal: se manter seguro diante de situações adversas.

No entanto, entenda que no capital de giro o mesmo ganha um impacto novo e maior. São funcionários, clientes, fornecedores, credores… Todos dependendo, em grande parte, da sua gestão e do sucesso do seu negócio.

 

Termo do dia

Agente superavitário

O que são agentes superavitários? Agente superavitário é um termo comumente usado ao se explicar como o sistema financeiro basicamente funciona, com o dinheiro saindo das…

Veja outros termos