Open Nav Logo Mais Retorno

Black Monday

O que é Black Monday?

Black Monday é nome utilizado para se referir a um dia histórico no mercado de ações, marcado por fortes quedas em várias Bolsas ao redor de mundo e na desvalorização em cadeia de títulos e moedas.

A denominação, que em tradução livre pode ser cunhada como Segunda-feira Negra, é referente à data da “tragédia”: 19 de outubro de 1987.

Como atingiu ainda economias da Ásia e Oceânia, em alguns países o fato é conhecido como Black Tuesday (ou Terça-Feira Negra) e pontuado como tendo acontecido em 20 de outubro. Essa divergência se dá, é claro, pelas diferenças de fuso horário.

Diferentes também foram as consequências da Black Monday. Enquanto alguns mercados se recuperaram rapidamente do ocorrido, não se afundando em uma recessão, outros precisaram de alguns anos para recuperarem o desempenho pré-Black Monday.

Ainda assim, mesmo as vítimas mais “sortudas” enfrentaram desafios e tiveram que propor soluções para os fatores apontados como causadores dessa forte queda - soluções estas aprimoradas e utilizadas até hoje.

E falando em fatores causadores da Black Monday, você sabia que não há até hoje um consenso acerca da sua causa principal? É justamente sobre essa multiplicidade de “culpados” que falaremos adiante. Acompanhe!


Quais foram as causas da Black Monday?

Entre as causas da Black Monday, existem dois grupos centrais de culpados: os de ordem histórica e os de ordem emocional. Isto é, de um lado estão os fatos históricos e do outro, questões mais subjetivas, com igual poder de abalar a eternamente sensível confiança da massa de operadores.

Não se fala em causa principal, mas em somatória: todos esses fatores, em maior ou menor grau, levaram ao desespero pontual de um número cada vez maior de investidores.

Seguindo a lei da oferta e da demanda, ao tentarem se desfazer de um alto volume de títulos, eles acabaram por derrubar o seu preço.

E não foi pouco. A seguir, veja o percentual de queda em países dos mercados americanos, europeus e asiáticos:

  • Nos Estados Unidos, a queda na Black Monday foi contabilizada em 22,8%;
  • No Reino Unido, em 31%;
  • Em Hong Kong, em 45,5%;
  • Na Nova Zelândia, em 60%.

Como visto, os efeitos do ocorrido nessa data puderam ser sentidos ao redor de todo o planeta.

De qualquer forma, dentre as origens do fenômeno cita-se:

  • A reavaliação do bull market: Em 1987, o mercado financeiro enfrentava um prolongado período de altas, desenvolvido desde o início dos anos 80. As altas eram impulsionadas especialmente pelo setor de tecnologia, revigorado pela popularização dos computadores pessoais e o alcance de um novo público. Quando especialistas sugeriram uma tendência de queda (afinal, todo bull market é seguido por um bear market, ou seja, “tudo o que sobe, desce”) e a credibilidade dos títulos emitidos pelas companhias de tecnologia foi questionada, os investidores se sentiram ainda mais pressionados em direção ao abismo do desespero;
  • A tensão política internacional: Desde a Revolução Islâmica, em 1979, Estados Unidos e Irã têm suas desavenças. Quando no fim de semana anterior à Black Monday, as forças armadas iranianas atacaram navios petroleiros estadunidenses, a expectativa do acirramento das tensões militares entre os dois países angustiou ainda mais o mercado financeiro;
  • O program trading: Você se lembra que já citamos a popularização dos computadores nesta lista, certo? Bem, deriva disso outro fator causador da Black Monday, o program trading, que basicamente consiste em operações realizadas por um computador a partir de condições pré-determinadas para compra e/ou venda de ações. Acredita-se que, a partir da identificação da tendência de venda de ativos gerada pelos demais fatores (e consequente queda dos seus valores), os sistemas computacionais tenham acionado o seu “modo venda”, se desfazendo de títulos para evitar um prejuízo maior para os operadores, mas derrubando os seus preços ainda mais.

Como causas da Black Monday, pode-se ainda citar o comportamento das bolsas asiáticas, a desvalorização do dólar por lá, as políticas monetárias dos próprios Estados Unidos…

Como você já sabe, essas são apenas sugestões de especialistas, feitas ao longo dos anos para explicar esse evento. Nunca houve um consenso real do que seria a causa principal.

Quais foram as consequências da Black Monday?

Cada mercado criou a sua estratégia específica para combater a Black Monday, de acordo com as estratégias de política monetária e fiscal adotadas.

No mercado dos EUA, a Black Monday foi sucedida por cortes nos gastos do governo, entre outras medidas de caráter contracionista na esfera pública, e no desenvolvimento de sistemas tecnológicos para a proteção do mercado contra a volatilidade, como é o caso do circuit breaker.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados