Open Nav

Beta Hedging

O que é Beta Hedging?

Você já deve ter escutado a clássica frase que aconselha a "não colocar todos os ovos na mesma cesta". O conceito aqui é promover a diversificação dos ativos, algo que o Beta Hedging pode ajudar de maneira significativa.

Essa é, afinal, uma ferramenta que visa medir o risco e o comportamento de ativos em relação ao seu índice de referência. Sendo assim, há também a necessidade de avaliar a correlação entre os ativos.

Tudo isso pode parecer muito técnico neste momento inicial, mas vamos explicar melhor essas questões entre o Beta Hedging e o comportamento dos ativos ao longo do texto.

O que é o Beta de um ativo?

O Beta (representado matematicamente pela letra grega com o mesmo nome) é um cálculo que apresenta ao mercado o risco sistêmico de um ativo. Como já adiantamos, trata-se da relação do seu comportamento em relação ao índice de referência.

Nos Estados Unidos, por exemplo, esse índice costuma ser o S&P 500. Por aqui, no Brasil, podemos selecionar o Ibovespa. Quando há risco sistêmico igual ao índice, o Beta atribuído é igual a 1,00.

Isso significa que, quando o índice subir, o ativo move-se de maneira positiva na mesma proporção. O contrário também é verdadeiro: quando o índice cai, a desvalorização do ativo segue a mesma lógica.

É claro que, na enorme maioria dos casos, o cálculo do Beta não será igual ao do índice. No entanto, ele terá uma relação comportamental que pode ser positiva ou negativa. Veja abaixo a diferença:

  • Beta positivo: quanto maior o Beta, isso significa que o ativo possui maior volatilidade. Assim, supondo que o valor seja de 1,5, representa que ele se comportará com uma variação 50% maior do que o índice (para cima, mas também para baixo). O valor também pode ser menor do que 1,0, indicando que acompanha o índice com menor força.
  • Beta negativo: se o Beta estiver negativo, significa que há correlação negativa com o índice. Ou seja, ele se moverá em direção contrária.

Como aplicar o Beta Hedging?

Uma vez que você entenda esse conceito sobre o risco sistêmico dos ativos, podemos voltar a focar no Beta Hedging que, em suma, representa uma boa maneira de diversificar um portfólio.

O objetivo desse cálculo é identificar o seu real risco de uma carteira, preferencialmente usando ativos que sejam antagônicos no mercado financeiro para essa finalidade. Essa é, afinal, uma boa técnica para diversificar um portfólio.

Lembrando que, caso você tem ativos com alta correlação com o índice, não há diversificação. Para este objetivo, é preferível ter menos ações, mas com um risco sistêmico reduzido, do que possuir 20 ativos com alto Beta.

Portanto, o Beta Hedging é uma estratégia que visa reduzir o valor do Beta de uma carteira, balanceando os riscos por meio de ativos com comportamentos distintos em relação ao seu indicador.

Vantagens e desvantagens do Beta Hedging

A aplicação de Beta Hedging na sua carteira traz como principal benefício a proteção ao risco sistêmico. Isso ocorre na medida em que os ativos são complementares entre si, reduzindo assim a agressividade da carteira.

Por outro lado, como sempre acontece em qualquer operação de Hedge, essa característica tende a reduzir os potenciais ganhos. Não se esqueça, por outro lado, que essa redução se aplica também às perdas. É, portanto, necessário avaliar os seus objetivos com os investimentos para uma melhor tomada de decisão.

Por fim, vale ressaltar que o mercado financeiro não é estático. Em outras palavras, haverá necessidade constante de monitoramento, pois o comportamento dos ativos pode mudar ao longo do tempo, exigindo reavaliação periódica da sua carteira de investimentos.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados