Open Nav

Ativo-objeto

O que é Ativo-objeto?

Também chamado de ativo subjacente, este é o nome dado ao ativo sobre o qual é criado um derivativo. Os derivativos não têm valor intrínseco, por si mesmos; o valor deles é determinado pelo seu ativo-objeto. Ações, moedas, índices e commodities, entre outros, são alguns dos principais exemplos de ativos-objetos existentes hoje em dia.


Entendendo o Ativo-objeto

No mercado financeiro, é possível criar ativos derivativos de outros ativos. Por exemplo, um contrato futuro de soja é um ativo derivativo da commodity soja. Nesse caso, a soja é o ativo-objetivo do contrato futuro de soja.

Um fato interessante é que é possível até criar derivativos de derivativos. Portanto, um derivativo pode ser o ativo-objeto de outro derivativo. 

Como o derivativo está necessariamente vinculado a um ativo principal, seu valor reflete o comportamento desse ativo no mercado. O que quer dizer que ele oscila seguindo o preço de referência.

Para entender melhor, vejamos um exemplo simples, usando ações e opções.

As opções são derivativos das ações; as ações, por sua vez, são ativos-objetos das opções.

Uma opção é, essencialmente, um ativo que permite vender (no caso de opção de venda) ou comprar (no caso de opção de compra) uma ação específica, por um certo preço, dentro de um prazo determinado. Elas são usadas para o investidor se proteger contra altas ou baixas no preço da ação. Porém, o preço da opção depende do preço da ação.

Imagine, por exemplo, que você tem ações da empresa fictícia ABC Metais. A expectativa é que o valor dessas ações vai cair em breve. Isso é ruim para você, que vai perder dinheiro se isso acontecer. Então, você compra opções de venda, que vão assegurar o direito de vender suas ações pelo preço atual, sem sofrer prejuízos, depois que elas caírem. 

O problema é que, como você, muitos outros investidores vão querer essas opções; e, com a alta demanda, o preço delas sobe. Portanto, a expectativa de queda no preço das ações da ABC Metais (ativo-objeto) faz o preço das opções de venda (derivativo) subir.

Agora, imagine uma situação contrária: a expectativa é que o preço das ações da ABC Metais deve subir nos próximos dias. Ora, se o preço vai subir, todos que têm as ações da empresa terão um ganho de capital. Nesse caso, os investidores não vão querer vender pelo preço atual; quem optar pela venda, vai fazê-la pelo preço valorizado, para embolsar esse ganho. 

Portanto, em uma tendência de queda, não existe demanda por opções de venda e o preço dessas opções cai. Mais uma vez, o comportamento do ativo-objeto no mercado determina o comportamento do derivativo.

É interessante observar que os dois estão sempre interligados, mas isso não significa que eles vão se mover na mesma direção. Em alguns casos, como o desse exemplo, o fato de o ativo-objeto se valorizar pode causar uma desvalorização dos seus derivativos.

Quais são os principais ativos-objetos?

A lista de ativos-objetos é tão longa quanto a de derivativos. Se existe um derivativo, é porque existe um ativo-objeto ligado a ele. E, em alguns casos, um derivativo que não é normalmente negociado no mercado de capitais pode ser criado especialmente para um investidor, por meio de contrato. Nesse contrato é estabelecido o seu respectivo ativo-objeto. 

Por esse motivo, é impossível criar uma lista completa de ativos-objetos; porém, podemos listar alguns dos mais comuns.

Para opções de ações, como já vimos, o ativo-objeto são as ações. Para swaps, o ativo-objeto, em geral, é a moeda. 

Para um contrato futuro de índice, o ativo-objeto é o índice. Por exemplo, em um contrato futuro de Ibovespa, o ativo-objeto é o Ibovespa. Em um contrato futuro de S&P 500 contrato futuro de Ibovespa, o ativo-objeto é o S&P 500.

Para um contrato futuro de commodity, o ativo-objeto é a commodity. Por exemplo, em um contrato futuro de petróleo, o ativo-objeto é o petróleo. Algo equivalente acontece se o contrato estiver ligado ao ouro e outros.

Por fim, nosso último exemplos são as moedas. Para um contrato futuro de dólar, por exemplo, você já sabe que o ativo-objeto é o dólar. Se estivéssemos tratando de um contrato futuro de euro, seria o euro. 

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados