Última modificação em 11 de janeiro de 2021

O que é Aporte?

Aporte é a aplicação de um valor que você faz em um ativo financeiro. Esse ativo financeiro poderá ser um ativo de renda fixa ou de renda variável.

A principal dúvida sobre o aporte é: devemos juntar dinheiro e fazer um único aporte, ou devemos ir fazendo aportes mensais de maneira regular ao longo do tempo?

Aporte único
O aporte único representa um investimento de alto valor, realizado apenas uma vez. Por exemplo, você tem 5 mil reais disponíveis e compra títulos públicos com a quantia, de uma só vez. Esse seu investimento ficará sofrendo a ação dos juros durante o tempo em que estiver investido.

Quando você retirar terá de volta o seu investimento - 5 mil reais, acrescidos de juros sobre esse valor.

Aporte mensal
O aporte mensal, por sua vez, é o investimento em um ativo financeiro onde você irá, de maneira regular, aplicar seu dinheiro todo mês. Por exemplo, tendo disponibilidade de 500 reais mensais, poderá aplicar tal capital em ativo.

A rentabilidade conforme o acréscimo de juros dependerá de cada ativo, bem como a modalidade de mercado a ser escolhida.

Qual tipo de Aporte escolher?

Em geral a aplicação mensal é mais recomendada, afinal de contas você estará todo mês aumentando seu patrimônio e, se tiver disciplina, ultrapassará aquele valor fictício de 5 mil reais aplicado uma única vez.

Em alguns casos, porém, devemos levar em consideração um fator importante na hora de aplicarmos nosso dinheiro em um ativo financeiro: as taxas de corretagem.

A taxa de corretagem é uma porcentagem do valor que você aplicou em um ativo que irá para sua corretora. Isso acontece pois são as corretoras que fazem a intermediação entre você e a sua aplicação no mercado financeiro.

Cada corretora possui taxas diferentes para diferentes tipos de operações, e essa variação das taxas será um fator importante.

Vamos supor que você tenha disponível apenas R$30,00 para fazer um aporte mensal - sendo esse o valor mínimo para começar a aplicar através do Tesouro Direto. Vamos supor também que a taxa que a corretora cobra por operação é de R$7,00 reais.

Isso significa que, sempre que você aportar R$30,00 em um ativo, a corretora pegará R$7,00 desse valor, como forma de pagamento pela intermediação da operação. Ao final de 12 meses de aportes mensais, você terá aplicado 360,00 reais, e a taxa cobrada pela corretora terá chegado um total de 84,00 reais.

Agora, imagine que você decidiu fazer um aporte único no valor de R$360,00. A taxa da corretora continua sendo R$7,00 sob o valor total. Isso significa que você ficou com um valor final de R$353,00.

Ou seja, devido ao aporte mensal ser baixo em relação à taxa da corretora, o aporte único mostrou ser mais vantajoso nesse caso!

É claro que esse é apenas um exemplo simplista para que você entenda de maneira básica. Na prática, seu aporte ainda sofrerá ação dos juros e também de outras taxas que a corretora poderá cobrar. Como dito acima, cada corretora oferece taxas diferentes umas das outras.

O ponto em questão é que dependendo do valor do seu aporte, a taxa cobrada pela corretora aumentará ou diminuirá a rentabilidade da sua aplicação.

O que ninguém discorda é que, independentemente de uma aplicação ser única ou mensal, o importante é que você comece a aplicar. Caso tenha uma baixa quantia disponível, certifique-se que sua corretora ofereça taxas e juros que te permitam ter uma boa rentabilidade com seus investimentos.

Caso sua renda te permita investir valores maiores, você também deve procurar corretoras com as melhores taxas e juros, afinal de contas, maximizar seus rendimentos é o passo essencial para ter sucesso no mercado financeiro.

Termo do dia

Home Broker

O que é Home Broker? O Home Broker é uma ferramenta digital criada para facilitar as operações de compra e venda de ações e demais ativos…