Open Nav

Agiotagem

O que é agiotagem?

Agiotagem é o termo utilizado para definir o processo ilegal de empréstimo financeiro, realizado por agiotas

Muitas situações podem levar uma pessoa a buscar este tipo de empréstimo, mas geralmente essa ação é movida pela combinação de dívidas que necessitam de urgência no pagamento com a dificuldade de acesso ao crédito em instituições financeiras.

Por lei, agiotagem é considerada um crime, mas por quê? A resposta é simples: o agiota não tem vínculo com empresas legalizadas, como bancos ou qualquer espécie de correspondente bancário. Sendo assim, não segue regras legais para realizar o procedimento em questão. 

A pena contra prática de economia popular varia entre 6 meses a 2 anos de prisão. Além disso, o agiota pode também ser acusado de lesão contra o Sistema Financeiro Nacional, cuja pena varia entre 2 a 8 anos. 


Quais são os riscos da agiotagem?

Além de ser uma prática ilegal, existem outros riscos a serem considerados no processo de agiotagem.

A princípio, entrar em contato com um agiota pode soar como uma salvação divina. No entanto, depois o “abençoado” poderá cobrar a porcentagem de juros que bem entender – 20%, 30%, 40% ou mais a cada mês após o empréstimo.

O agiota também poderá exigir inclusive algum tipo de garantia: imóvel, veículo, cartão de crédito ou documentação. Caso o empréstimo – com juros – não seja pago corretamente no futuro, o golpista não ficará totalmente no prejuízo.

Vale lembrar que, episódios de cobrança, coerção e até mesmo agressão física não são raras, já que o “contrato” do serviço é totalmente verbal e o agiota poderá tirar proveito do momento de fragilidade do seu cliente para conquistar seu objetivo. 

Como evitar a agiotagem?

Uma vez que este empréstimo for realizado, a única forma de romper qualquer vínculo com o golpista é realizando, de fato, o pagamento da dívida ou contestando a cobrança judicialmente. Vale lembrar, no entanto, que a dívida não será extinta, mas a taxa de juros aplicada passará a respeitar um teto.

Antes mesmo de recorrer à agiotagem sugerimos algumas maneiras de gerar renda extra sem precisar vincular-se a um agiota, como por exemplo:

  • Fabricação caseira de doces ou salgados: hoje em dia, é muito comum que as pessoas recorram a este tipo de trabalho para gerar renda extra ou até mesmo para atuar de maneira autônoma e exclusiva na categoria. 
  • Fabricação de marmitas: para pessoas que residem próximo a fábricas ou comércios e dispõem de tempo hábil para cozinhar todos os dias no mesmo horário, também é uma ótima opção de venda. 
  • Realização de bazares: todos nós temos aquela roupa ou aquele objeto que já não possui serventia, que tal transformá-los em dinheiro? A venda pode acontecer de forma física, desde que seja na própria residência e haja espaço para receber os clientes. Ou, pode acontecer de forma online, com a criação de sites ou contas em redes sociais, e serviço de entrega à disposição. 
  • Serviços domésticos: caso o indivíduo seja saudável e possua disposição física, poderá oferecer-se para realizar serviços domésticos de limpeza ou até mesmo de cuidado com idosos, crianças ou animais.

Qualquer que seja a alternativa escolhida, o primeiro passo é sempre realizar uma boa projeção de gastos pessoas, pois de nada adianta ganhar dinheiro num dia e perder tudo no outro, não é mesmo? 

Fazer as somatórias de todas as dividas em aberto com as despesas fixas, como água, energia, aluguel, internet, entre outros, é a melhor forma de saber quanto de dinheiro deve ser poupado a cada mês. 

É possível ainda realizar a negociação das dívidas com gerentes bancários e, assim, não precisar recorrer ao processo de agiotagem para cobri-las. 

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados