Renda Variável

Seja qual for o seu tipo de investimento favorito, o objetivo de se investir para muita gente é a busca pela valorização patrimonial.

No atual momento da história econômica do Brasil, temos a Taxa Selic (a taxa básica de juros do país) em sua mínima histórica. E a tendência é que ela não aumente tão cedo para patamares elevados, como sempre tivemos por aqui.

O que isso significa na prática? Que se você é daqueles que contava com investimentos em renda fixa (como poupança ou títulos públicos) para valorização patrimonial, perceberá uma redução de eficácia dessa estratégia na entrega de bons resultados.

Neste novo momento econômico do país, com inflação mais controlada e Selic lá embaixo, muita gente acaba optando por migrar para ativos de renda variável, como as ações. E, neste artigo, vamos mostrar que esse pode ser sim um bom caminho.

No entanto, como talvez você já saiba caso acompanhe nossos conteúdos, não adianta tirar todo seu dinheiro da poupança e sair comprando ações. Renda variável tem maior risco e, portanto, você deve montar uma carteira baseada no seu perfil de investidor, ok?

Por que investir em ações?

Dentro do Mercado de Capitais, existem inúmeras estratégias que permitem que você obtenha o seu aumento patrimonial. Uma delas é comprar ações que se valorizem ao longo do tempo, vendendo-as posteriormente por um preço maior do que o preço de compra. É uma técnica que visa o ganho de capital.

Outra, talvez um pouco mais conservadora, consiste em comprar ações de empresas que façam bons pagamentos de dividendos, isto é, compartilhem com seus acionistas uma parte do seu lucro. Neste caso, há recebimento da famosa renda passiva, incrementando o seu orçamento.

As estratégias, embora possam ser aplicadas em conjunto, apresentam companhias de perfis diferentes. A valorização de capital consiste em comprar ações com maior risco, mas também com potencial de valorização. Geralmente, são negócios menores com oportunidade de crescimento.

Já no caso de dividendos, o mais comum, embora não seja regra, é que você tenha na sua carteira empresas consolidadas. Essas empresas são geradoras de lucro constante e bem estruturadas.

Este segundo cenário costuma atrair muitos investidores, especialmente pensando no longo prazo e até mesmo na geração de  renda como aposentadoria. E, se você ainda tem um pé atrás com essa estratégia, saiba que alguns dos maiores investidores da história são adeptos dela. É o caso, por exemplo, do lendário Warren Buffett.


10 exemplos de ações que pagam mais dividendos que a Selic

Ainda não está convencido de que as ações podem ser um bom investimento para compor a sua carteira? Então se prepare, pois a seguir você vai ver 10 empresas que são excelentes pagadoras de dividendos.

Além disso, elas conseguem entregar uma rentabilidade anual superior à Taxa Selic. Ou seja, você pode receber na sua conta mais dinheiro em dividendos do que receberia caso aplicasse o mesmo capital em um ativo de renda fixa.

Isso é interessante, pois além de ser uma forma de você contar com uma renda passiva maior do que receberia em ativos conservadores, ainda leva um potencial de valorização patrimonial muito maior, pelo próprio crescimento da empresa e aumento dos preços das suas ações.

Antes de iniciarmos, porém, vale a observação de que os resultados para 2020 são projeções baseadas no desempenho projetado das empresas e também no seu próprio histórico de dividendos. Ou seja, pode ocorrer uma variação dos resultados e esses dividendos não são garantidos.

No entanto, com a taxa Selic tão baixa, fica cada vez mais fácil ter nas ações um investimento atrativo.

IMPORTANTE: Antes de partirmos para a lista, vale reforçar de que as ações aqui citadas são apenas exemplos de empresas que historicamente pagam dividendos acima da atual taxa Selic. No entanto, em nenhum momento esse conteúdo deve ser encarado como qualquer tipo de recomendação de investimento, de forma que você deve tomar suas decisões por si próprio. Essa lista tem propósito único e exclusivamente educativo.

Isto posto, vamos aos exemplos:

Itaú Unibanco

Quando pensamos em empresas robustas e consolidadas, empresas do segmento financeiro aparecem com grande destaque. Elas, afinal, tem como produto o próprio capital financeiro — e os bancos sabem perfeitamente como fazê-lo render.

Assim, a primeira empresa da nossa lista é o Itaú Unibanco, o gigantesco banco brasileiro. E, neste caso, você pode tanto obter renda passiva da empresa pelas ações diretas (ITUB3 e ITUB4), como por meio da Holding Itaúsa (ITSA3 e ITSA4).

O interessante neste caso é a constância dos recebimentos. O Itaú Unibanco vem pagando, em média, entre 4% e 6% ao ano de proventos aos seus acionistas. Em 2020, a projeção é para um retorno acima de 5%, superando com alguma folga a Taxa Selic.

AES Tietê

Embora as empresas financeiras sejam as primeiras de qualquer pensamento quando o assunto é geração de capital, outra empresa que pode ser muito bem-vinda nessa estratégia de dividendos é a AES Tietê.

O setor de energia é outro extremamente resiliente no Mercado Financeiro. A AES Tietê já possui, há algum tempo, a capacidade de gerar lucro consistente e, consequentemente, entregar uma boa rentabilidade aos acionistas. Para 2020, a expectativa é que a empresa ofereça um Dividend Yield (rendimentos dos dividendos, em português) na casa dos 7%.

ISA CTEEP

Ainda no setor de energia, mas passando agora para a transmissão elétrica, temos a ISA CTEEP, uma companhia extremamente sólida e com baixo endividamento. Além disso, possui receitas fixas corrigidas pela inflação.

Historicamente, a política de dividendos é de distribuição de até 75% do lucro líquido. Desta forma, a expectativa é ainda melhor para os próximos anos. Espera-se uma rentabilidade próxima a 8%.

Cemig

Outra empresa do setor de energia que cabe na lista é a Cemig, apresentando uma política de distribuir 50% do lucro líquido em dividendos aos seus acionistas.

Assim como outras empresas do setor, há maior previsibilidade de resultados em caixa de maneira que os resultados tendem a oscilar menos do que outros segmentos. Assim, há uma previsão de dividendos acima dos 5%, em linha ao que a empresa vem entregando nos últimos anos.

Taesa

Ainda não está convencido de que o setor de energia pode ser ideal pensando no pagamento de dividendos? Pois a Taesa é mais um exemplo de que sim. Além de tudo que comentamos sobre o setor, vale mencionar que o segmento apresenta altas margens, o que é positivo.

A expectativa sobre os dividendos da Taesa também é alta. Espera-se uma distribuição acima de 7%, algo que já foi entregue pela companhia no período recente, inclusive ao longo de 2019.

Bradesco

Voltando ao setor financeiro, outro grande banco que atrai atenção dos investidores é o Banco Bradesco. A empresa divide com o Itaú Unibanco a preferência dos investidores brasileiros e, pensando em dividendos, também pode ser uma boa opção.

Os bancos costumam pagar rendimentos aos acionistas em uma frequência maior do que outros segmentos e você pode esperar um retorno na casa dos 5% para ações do Bradesco em 2020, em linha com os resultados recentes.

Sanepar

A Sanepar é mais uma empresa que cabe nessa lista se a ideia é buscar ações que paguem mais dividendos do que a Selic. Essa é uma empresa do setor de saneamento, sendo uma alternativa válida para diversificação também.

A política de dividendos da companhia é para distribuição de 25% do lucro líquido. No entanto, esse valor pode subir até 50% caso os resultados sejam sólidos — algo que já aconteceu nos últimos cinco anos. Espera-se uma distribuição próxima a 6,5% em 2020.

Cyrela

Mudando um pouco de setor, podemos chegar até o segmento de construção civil. Aqui, um dos destaques no pagamento de dividendos aos acionistas é a Cyrela. A companhia tem uma forte estrutura de caixa.

É claro que, neste segmento, as oscilações de resultados podem aparecer com maior frequência do que vimos para empresas do setor de energia ou financeiro, mas segue como uma alternativa para superar a Selic. A expectativa para 2020 é um Dividend Yield próximo de 7%.

Banco do Brasil

Empresas públicas costumam gerar olhares tortos dos investidores. Os motivos são os objetivos do negócio, que nem sempre focam na geração máxima de lucro, e questões administrativas. No entanto, o Banco do Brasil apresenta resultados sólidos e pode ser uma opção.

Os dividendos dessa companhia nos últimos anos foram próximos ao que temos com a Selic atual. Contudo, a expectativa é positiva para 2020: os dividendos pagos ao longo do ano devem superar os 5%.

Gerdau

Por fim, temos ainda a Gerdau, empresa do setor de siderurgia. A companhia tem uma estrutura bem fortalecida, inclusive com operações importantes no exterior, algo que permite boa geração de lucros.

A política de dividendos da companhia costuma distribuir ao menos 30% do lucro líquido a cada três meses. A expectativa para 2020 é de que os dividendos superem a casa dos 5% ao ano, algo que também oferece rentabilidade acima da Selic.

Afinal, vale a pena investir em ações que pagam mais dividendos que a Selic?

Essas dez empresas que vimos ao longo do artigo são apenas alguns dos exemplos de companhias que oferecem dividendos superiores ao valor da Taxa Selic para o ano de 2020. Existem muitas outras de diferentes setores.

Antigamente, com a taxa básica de juros do país na casa dos 10% ao ano, ficava mais difícil encontrar dividendos atrativos considerando o risco da renda variável. Não é o cenário atual: como vimos, muitas empresas superam com folga a rentabilidade dos ativos de renda fixa.

Para encerrar, vale reforçar alguns pontos. O primeiro deles é que essa lista não se configura em recomendação de compra das empresas mencionadas. Isso porque os dividendos dependem do desempenho financeiro do negócio ao longo do ano. Portanto, é fundamental realizar uma análise dos fundamentos de cada companhia antes de investir.

Além disso, a rentabilidade dos dividendos está diretamente associado ao preço de compra da ação. Imagine uma empresa que pague R$ 10,00 de dividendos por ação ao longo de um determinado período.

Se você comprou os papéis a R$ 200,00, teria um retorno de 5%. No entanto, se o preço de compra fosse de R$ 250,00, a rentabilidade já cairia para 4%. Portanto, quanto menor o preço de compra, maiores serão os rendimentos. Não deixe de avaliar essa questão do custo de aquisição antes de efetivamente investir em uma empresa.

Finalmente, esteja ciente de que, apesar dos excelentes rendimentos aqui apresentados, as empresas não pagam dividendos necessariamente todos os meses. Assim, a periodicidade pode variar, algo que você precisa estar preparado. De qualquer forma, pensando no longo prazo, como visto algumas alternativas acabam compensando com folga os resultados da Taxa Selic.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Veja mais