Mercado Financeiro

Os grandes investidores chamam atenção de todo planeta. É realmente invejável a capacidade que algumas pessoas apresentam de aproveitar as oportunidades do Mercado Financeiro para lucrar e enriquecer.

Para muitos investidores iniciantes, eles acabam por ser verdadeiras referências. Por mais que não seja tão fácil "copiar" o modelo de trabalho, pois cada pessoa tem seu próprio perfil, quase sempre eles apresentam algum tipo de ensinamento que contribui para o seu crescimento.

Pensando nisso, nós vamos listar seis dos investidores mais lendários do Brasil, pessoas bilionárias que ganharam muito dinheiro usando da renda variável.

6 investidores brasileiros que fizeram fortunas e você precisa conhecer

6 investidores brasileiros que fizeram fortuna, ilustração

Antes de começar nossa lista, vale lembrar que existem diversos investidores do Mercado Financeiro que são excelentes referências espalhados pelo mundo. Você provavelmente já ouviu falar em George Soros ou Warren Buffett, por exemplo. Eles são fenômenos da renda variável e possuem diversas frases com boas dicas e ensinamentos.

No entanto, falar apenas de estrangeiros pode dar a sensação de que não é possível ganhar dinheiro no Brasil - o que, absolutamente, não é verdade. Por isso, como forma de inspirar você, a nossa lista hoje terá apenas investidores brasileiros.

Preparado para conhecer alguns dos investidores mais lendários do Brasil? Então vamos lá!

1. Luiz Barsi

Nossa lista não podia começar com outra pessoa que não fosse Luiz Barsi, considerado por muitos o maior investidor brasileiro. Para quem gosta de comparações, há quem se refira a ele como o "Warren Buffet brasileiro".

A comparação, aliás, faz muito sentido. Eles têm muito em comum como a ideia de comprar ações quando estiverem baratas (estratégia chamada tecnicamente de Value Investing, caso você se interesse pelo assunto) e o fato de ter uma vida simples, sem exageros ou gastos desnecessários mesmo tendo um patrimônio elevado.

"Seja parceiro de grandes projetos e não dono de pequenos negócios" — Luiz Barsi.

Além disso, Barsi tem orientação para o longo prazo desde que começou a investir na Bolsa de Valores. O seu foco de trabalho é o que se chama de Buy and Hold (ou, se preferir, "comprar e segurar"), explorando o ganho dos dividendos ao longo do tempo.

Para a composição da sua carteira, o maior investidor brasileiro gosta de trabalhar com ativos que estejam com preço baixo, mas com potencial de valorização, e tem predileção por segmentos considerados permanentes e, portanto, ideais para o longo prazo. É o caso dos bancos e das empresas do setor de energia, por exemplo.

"Nunca direcione para o mercado de ações aquele dinheiro que você usaria para uma necessidade qualquer" — Luiz Barsi.

Por fim, Barsi tem uma história inspiradora. Antes de chegar para trabalhar em uma corretora, onde começou de fato a investir, ele trabalhou como engraxate. Ou seja, não importa a sua ocupação, você também pode ser um investidor se estudar e tiver talento para a renda variável.

2. Lírio Parisotto

Outro grande investidor brasileiro com origem mais humilde é Lírio Parisotto. Ele começou a sua vida no campo, trabalhando em plantações de agricultura, como alface. Antes de enriquecer na Bolsa de Valores, cursou medicina e abriu um negócio próprio.

Se a sua trajetória é marcada por um caminho variado, de diversos segmentos, sua estratégia na renda variável segue o mesmo caminho do que vimos com Luiz Barsi: comprar ações que paguem bons dividendos.

"Queda de preço não me preocupa. O que me deixaria apavorado é queda no lucro. Empresa que dá lucro não quebra." — Lírio Parisotto.

No entanto, engana-se quem pensa que os investidores mais lendários do Brasil não lidam com dificuldades. Parisotto já chegou a perder altos valores até construir sua fortuna a qual, segundo ranking da Forbes de 2018, colocava-o na lista de bilionários. O seu diferencial foi a persistência e não desistir.

Além disso, ele defende que investir na Bolsa de Valores não é mais arriscado do que abrir um próprio negócio no Brasil. Os dados de mortalidade de pequenas empresas, organizado pelo SEBRAE, reforçam sua teoria.

3. Antônio José Carneiro

Antônio José Carneiro é mais um dos grandes investidores do Brasil. Seu foco está no mercado de energia elétrica e construção, sendo o principal acionista da Energisa. Ele é popularmente conhecido por um apelido de infância: Bode.

Seu início, assim como outros investidores de sucesso, foi discreto — característica mantida até hoje no seu comportamento. Seu primeiro trabalho foi como caixa de banco até começar a ser operador de pregão na Bolsa de Valores, quando de fato ganhou intimidade com o Mercado Financeiro.

Ele também teve outros tipos de negócio ao longo da sua carreira profissional como a credora de crédito, a Losango, em 1993. A valorização da empresa foi tamanha que Bode resolveu vender sua participação e embolsou 300 milhões de dólares.

Com o lucro, ele seguiu atuante no Mercado Financeiro. Embora não esteja nos holofotes com frequência, ao contrário de outros investidores dessa lista, tem patrimônio estimado na lista dos bilionários.

4. Luiz Alves Paes de Barros

Talvez você não conheça Luiz Alves Paes de Barros, mas muito provavelmente já ouviu falar do Alaska Black, um dos fundos de investimentos mais conhecidos aqui no Brasil. Ele é um dos seus sócios fundadores.

Caso já conheça o Alaska Black e suas rentabilidades, você deve saber que não se trata de um modelo estratégico conservador. Um dos seus ativos que mais valorizou foram ações da Magazine Luiza. Hoje consolidada no e-commerce, na época se tratava de uma Small Cap: grande potencial de crescimento, mas alto risco.

“Eu amo quando as coisas ficam ruins. Quando está ruim, eu compro.” — Luiz Alves Paes de Barros

Isso não significa que o fundo não busque por ações desvalorizadas e com orientação para o longo prazo, assim como vimos anteriormente para outros dois grandes investidores brasileiros. A diferença, no entanto, é que o Alaska Black pode ter uma estratégia de influência na gestão do negócio por meio da participação acionária.

Além disso, ele também foi sócio no Credit Suisse Hedging-Griffo e tem um Fundo Exclusivo com sua mulher e seu filho, o Alaska Poland.

5. Victor Adler

Victor Adler não pode ser dissociado da Eternit, empresa na qual ele é um dos grandes acionistas juntamente como outros dois nomes que você já viu nessa lista: Luiz Barsi e Lírio Parisotto. Juntos, em 2019, eles somavam basicamente um terço da ações ordinárias da companhia que mais pagou proventos no Brasil ao longo dos últimos anos.

Não é de se estranhar, portanto, que seus investimentos sigam uma linha parecida de explorar bons dividendos e comprar ativos desvalorizados com foco no longo prazo, certo?

Adler, no entanto, não investe apenas na Eternit, diversificando o risco da sua carteira. Entre outros papéis que merecem destaque estão a Unipar e a Oi. Ele mantém a aversão de Barsi pela renda fixa e já deu declarações contrárias ao mercado imobiliário, especialmente em função da baixa liquidez dos imóveis.

6. Guilherme Affonso Ferreira

Para encerrar nossa lista de investidores lendários do Brasil, vamos falar sobre Guilherme Affonso Ferreira. Ele obteve grande sucesso no setor financeiro, mais especificamente com o Unibanco.

A sua chegada à Bolsa de Valores, no entanto, veio como forma de diversificar o negócio da família. Eles tinham uma representação da Caterpillar, uma empresa de máquinas e motores. O objetivo era que, caso o seu segmento de atuação estivesse mal, o dinheiro em outros setores pudesse reduzir o risco.

Nesse processo, ele chegou até o Unibanco. No período, as instituições bancárias vinham sofrendo com o Plano Cruzado. Como uma reação natural do mercado, os investidores brasileiros passaram a fugir do setor, desvalorizando o preço dos ativos.

“Nunca vi um país sem banco e, portanto, mesmo sem saber como eles vão resolver essa questão, alguns bancos vão sobreviver” — Guilherme Affonso Ferreira.

Ao contrário da maioria, Guilherme Ferreira preferiu comprar ações do Unibanco com base na perspectiva futura da sua gestão. Foi nessa época que ele usou a frase destacada acima. O papel do banco teve uma rentabilidade expressiva.

Vale lembrar que, na oportunidade, ainda não havia acontecido a fusão com o Itaú. Sendo um banco médio, naturalmente que o risco era maior para o Unibanco do que no caso das grandes instituições. Esse fato valoriza ainda mais a tomada de decisão do Guilherme.


Gostou de conhecer os 6 investidores mais lendários do Brasil?

Essa foi a nossa lista dos seis maiores investidores do Brasil. Qual história você gostou mais?

Mais legal do que conhecer a fortuna que esses seis especialistas no Mercado Financeiro conquistaram está em entender a maneira deles de pensar e criar suas estratégias. Veja que abordamos diferentes metodologias e todas obtiveram algum tipo de sucesso.

Outro ponto importante de observar é a orientação para o longo prazo. Nada de ter pressa e achar que você ficará rico da noite para o dia. É colocando aportes mensais que você vai adquirindo ativos e aumentando gradativamente o seu patrimônio.

Por fim, vale reforçar que esse é apenas um resumo extremamente simples da obra de cada um dos seis investidores mais conhecidos do Brasil. Você pode aumentar suas pesquisas, pois cada um deles tem muito a nos ensinar.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Economia
Mercado Financeiro
Economia
Mercado Financeiro
Veja mais