O mercado financeiro adora engenheiros, matemáticos e físicos.

O economista é importante, mas o mercado tem uma queda por profissionais desse tipo. Eu mesmo também gostaria de ter uma dessas formações olhando para trás, mas deixando frustrações pessoais de lado…

Mexer com dinheiro exige uma capacidade grande de realizar cálculos, por isso esses profissionais são bastante requeridos.

Cada vez mais a automatização e busca de oportunidades rápidas está tomando conta do mercado financeiro e os chamados fundos quantitativos operam justamente nesse meio, buscando ganhos rápidos e operando em distorções de números.

E é sobre esses fundos que vou tratar no texto de hoje.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

O que são fundos quantitativos
Vantagens dos fundos quantitativos
Desvantagens dos fundos quantitativos

O que são fundos quantitativos

O que são Fundos Quantitativos

O mercado está cada vez mais estruturado e eficiente, as taxas de juros têm se mantido bastante baixas, a política vem fazendo pressão nos preços, enfim, os fundos estão lutando cada vez mais para bater os benchmarks.

Para contornar isso, as estratégias quantitativas estão ganhando cada vez mais terreno.

Essas estratégias buscam identificar e ganhar com eventuais assimetrias de preços que o mercado apresente. Por isso é muito comum Fundos Quantitativos que atuem fazendo arbitragem.

As operações do fundo são feitas através de diversas programações e algoritmos quantitativos para gerar algum modelo e assim ganhar com as distorções que o mercado apresenta.

As estratégias constituem principalmente modelagens dos preços dos ativos de acordo com outras variáveis. O passado é muito importante aqui.

Os ativos tendem a ter um comportamento padrão quando outras variáveis mexem. É justamente nesse sentido que atuam os fundos quantitativos.

É feita uma hipótese: dado um padrão passado, será que o ativo que estamos querendo analisar está com o preço correto?

Caso o modelo indique que existe uma distorção, os gestores dos fundos irão atuar comprando ou vendendo o ativo em questão.

Tudo isso é feito com um processo estatístico rigoroso, diversos testes para o modelo são realizados para verificar a sua acurácia. E assim, cada modelo recebe uma pontuação (score) que vai determinar quando e se ele será utilizado.

Outras estratégias estão relacionadas a ganhos rápidos de curto prazo, atuando, principalmente com arbitragens. Ou seja, verificando diferenças de preços para um mesmo ativo em dois mercados.

De forma rápida, compra-se pelo preço abaixo e vende-se pelo preço acima. A programação aqui é muito importante para que isso seja feita de forma bastante rápida e não se perca a oportunidade.

É por isso que os profissionais têm de ter uma sólida formação em matemática e estatística. Basicamente a programação é toda baseada nessas duas ciências.

Algoritmos com Machine Learning também são desenvolvidos. Ou seja, robôs que conseguem “aprender sozinhos” com erros e se tornarem cada vez mais assertivos.

Enfim, é tudo muito automatizado e baseado em ciência exata aqui.

Vantagens dos fundos quantitativos

Vantagens dos Fundos Quantitativos

Para mim, a grande vantagem dos fundos quantitativos e a mais direta é que não existe espaço para “achismos”.

Os fundos se baseiam em forte modelagem e matemática, que irá indicar de forma transparente e retilínea quais ativos devem ser investidos.

O processo decisório de onde se investir é muito mais bem fundamentado.

Mesmo que os gestores tenham uma opinião contrária sobre o cenário, eles irão levar em conta o que os modelos estão dizendo.

É claro, como são todos testados e se verifica como eles se comportariam ao longo do tempo, caso sejam bem formulados os modelos tendem a ganhar na média.

Além disso, as estratégias de arbitragem sempre são uma ótima opção, pois o risco é menor. E com robôs bem automatizados e rápidos, ganhos de arbitragem costumam ser mais certeiros.

Desvantagens dos fundos quantitativos

Desvantagens dos Fundos Quantitativos

Utilizar estratégias quantitativas é uma faca de dois gumes.

Por se tratarem de estratégias muito bem embasadas e com sólido respaldo de ciências exatas, os gestores tendem a ficar restritos apenas ao que o modelo está indicando.

No entanto, o cenário macroeconômico importa muito também. Saber onde irão os grandes agregados macroeconômicos ajuda muito a identificar estratégias de médio prazo, que a modelagem quantitativa tende a ignorar.

Imagine, por exemplo, a deterioração fiscal que passamos.

Já existia alguns indícios, mas isso ficou mais claro a partir de 2015 e com a profundez que está hoje. Economistas com forte background fiscal, conseguiram identificar isso e provavelmente se anteciparam a deterioração que os ativos sofreram.

Os modelos quantitativos dificilmente conseguiriam captar esse movimento.

Outro ponto, também ligado a cenário e válido para todos mercados, mas em especial ao Brasil, é mais evidente.

O cenário político influencia muito o mercado financeiro por aqui. É fácil verificar isso no momento que estamos atravessando. É nítido que o que mais afeta o preço do dólar, juros e bolsa é o que irá acontecer na eleição.

Se nem o melhor analista político tem certeza do que irá acontecer, modelos quantitativos não conseguirão também determinar isso.

É claro que eles conseguirão atuar de forma rápida em distorções especificas, mas seria muito difícil os utilizar para montar uma estratégia sólida de médio prazo.

Lembre-se também de situações de Cisne Negro, onde algo muito inesperado acontece e abala os mercados.

As estratégias quantitativas, como olham apenas para o passado, tendem a não antecipar esses eventos.

Conclusão

Fundos quantitativos são uma opção interessante de diversificação de portfólio, ainda mais em cenários de dificuldade com ganhos de juros e dólar.

Em momentos de stress, esses fundos tendem a se comportar melhor do que outros multimercados.

Assim, ter esses fundos em carteira pode ser uma boa opção.

Eles também tendem a ganhar com o tempo na média. Para se ter uma ideia, a Bloomberg já fez um artigo sobre um fundo quantitativo norte-americano, o Medallion, e chamou-o de “máquina de fazer dinheiro”.

Frisamos como sempre que o seu perfil de investidor, tanto em relação aos riscos e como nos objetivos, devem ser sempre ser levados em conta.

Mas apresentamos aqui uma ótima opção para diversificar seus investimentos e é sempre bom considerar alternativas, mesmo que seja com uma proporção menor.

Mas se ficou com alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto, comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar a conquistar Mais Retorno conhecendo os fundos quantitativos.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

O que são Fundos Quantitativos e como funcionam?
4.8 (96%) 15 votos