Open Nav Logo Mais Retorno

O que é PIB e como ele afeta meus investimentos

Por:
21/01/2019

PIB, como os economistas têm “tara” por essas três letrinhas (e me incluo nesse meio).

Talvez seja a medida mais importante de qualquer economia e é por isso que se você abrir um jornal de economia, também vai ver essa palavra uma porção de vezes.

“Mas de novo esse negócio chato de economia?”

De fato, “economês” não é a língua mais amigável do mundo, mas influencia, e muito, o que estamos interessados aqui: investimentos.

Nesse sentido, hoje vamos verificar mais a fundo o que significa essa medida e como ela afeta seu bolso.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

O que é PIB?

O que é PIB

Começando pela sigla, PIB significa Produto Interno Bruto.

De forma bastante direta, o PIB é a medida aceita por economistas no mundo para medir a atividade econômica de um país.

Trata-se da agregação de tudo o que o país produz em um determinado período.

Ressalto que o PIB reflete muito mais o momento do que a história de uma economia.

Com isso eu quero dizer que o PIB não deve ser confundido com a riqueza do país.

A riqueza se refere a tudo o que foi “conquistado” em termos econômicos durante a história do país. Já o PIB se trata de quanto a economia está conseguindo gerar de riqueza para “abastecer” a riqueza.

É a diferença entre “estoque” (no caso da riqueza) e “fluxo” (no caso do PIB).

Lembrando-se das aulas de física no colégio, a riqueza poderia ser entendida como a velocidade e o PIB seria a aceleração. Ou seja, a aceleração é o que aumenta a velocidade.

Outra coisa que temos que entender é que existem três formas de ler o PIB: i) a ótica da demanda; ii) a ótica da oferta; e iii) a ótica do rendimento (ou da renda).

Como o PIB é o que é produzido em um país para um determinado período, ele também é aquilo que é consumido e a renda obtida com essa produção ou consumo.

A ótica da oferta indica os setores que produzem, que são agricultura, indústria e serviços.

A ótica da demanda refere-se a quem consome o que é produzido, que são: consumo das famílias, consumo do governo, investimentos e importação e exportação.

Por fim, a ótica da renda trata daquilo que é gerado de renda com essas negociações como salários, lucros, aluguéis, arrecadação de impostos, etc.

Nessa conta do que é produzido entram bens, produtos e serviços finais.

Quando digo finais é que não se deve incorrer em dupla contagem.

Por exemplo, o pão que compramos na padaria pode ser entendido como produto, entretanto, o trigo utilizado para fazer o pão não pode ser contabilizado, pois já está inserido no pão.


Como avaliar o PIB de um país

Como avaliar o PIB

Como você pôde ver, o PIB é a somatória em valor de tudo que é produzido em um país. No entanto, o que mais vemos nos noticiários são percentuais do tipo: “o PIB cresceu x% ou caiu y%”.

Isso ocorre, pois na maioria das vezes não estamos interessados em quanto de fato foi produzido, mas sim em quanto cresceu a produção em relação a um período anterior.

E isso tem tudo a ver com a história de uma economia ser rica ou pobre!

É claro que uma economia rica irá produzir muito. Entretanto, o mais relevante é verificar se está produzindo muito em relação ao período anterior ou esse “muito” não foi maior do que o “muito” anterior.

É isso que faz a riqueza crescer. Quando a economia produz mais e mais.

Você, acertadamente, pode pensar: “mas como é possível medir exatamente tudo o que foi produzido”?

De fato, não é uma tarefa trivial. É por isso que sou profundo admirador do IBGE, um dos principais órgãos de estatísticas do Brasil e responsável por contabilizar o PIB.

É claro que a mensuração nunca será perfeita, mas o IBGE tem métodos muito apurados para se medir o PIB.

Se você for empresário ou empresária e estiver lendo esse texto, ainda pode perguntar: “como o IBGE sabe que eu vendi um travesseiro para a dona Maria?”

Como você sabe, é necessário declarar para a receita federal todas as vendas que sua empresa faz, bem como os custos que você tem no seu negócio. O IBGE terá acesso a isso de forma agregada e contabilizará essas transações.

Alguns podem pensar na informalidade, que ainda é grande no Brasil. Pois bem, o IBGE também tem meios para estimar essa informalidade.

Então, em resumo, o PIB mede quanto o país gerou de renda e poder de consumo em determinado período de tempo.

Para que o PIB é utilizado

Para que o PIB é utilizado

Quando dizemos que o PIB é muito importante, isso é muito verdadeiro pois, além de ser uma medida de quão rica a economia está ficando, tudo está relacionado a ela.

Existe ainda uma medida que ajuda a entender quão rico é um país em relação a outros, conhecida como PIB per capita.

Trata-se de quanto a economia produziu dividido por sua população. Portanto, é a média de quanto cada pessoa produz.

Apesar da desigualdade que qualquer país possui (no Brasil é alta, é verdade), trata-se de uma forma de medir quanta riqueza estaria sendo gerada para cada pessoa desse país. Ou seja, quanto maior esse número, teoricamente maior a riqueza (ou poder de consumo) que a população teria acesso.

Além disso, muitos outros indicadores são medidos em proporção do PIB. Isso dá uma noção de dimensão dos outros indicadores, visto que o PIB é a medida principal de atividade econômica.

Por exemplo, o lado fiscal que é muito falado hoje em dia. Falamos que o Brasil tem um déficit fiscal de mais de 2% do PIB. Isso significa que anualmente fechamos gastando 2% do PIB a mais do que foi arrecadando.

O mesmo pode acontecer para o tamanho da dívida pública, que atualmente já está se aproximando perigosamente dos 80% do PIB. Isso indicaria que para quitar de uma vez a dívida total do governo brasileiro, seria necessário utilizar 80% de tudo que foi produzido ao longo de um ano no país (algo obviamente impossível).

Logo, quanto maior esse percentual, menor a chance de o governo conseguir honrar com suas obrigações e maior o prêmio de risco (taxa de juros) cobrado pelos investidores para continuar emprestando para o país.

Ou seja, o PIB é a medida agregadora que mostra o ritmo de atividade do país e por isso é um dos principais indicadores acompanhados por economistas e investidores.

Como afeta meus investimentos

Como afeta meus investimentos

Agora que você já entendeu porque o PIB é, como chamamos, o “termômetro” da economia, fica mais fácil entender como ele irá afetar os seus investimentos.

Primeiramente, dou um passo atrás para dizer algo trivial, mas que muitos se esquecem às vezes: A bolsa de valores nada mais é do que um pool (ou uma feira) onde as empresas são negociadas. Comprando uma ação você se tornará sócio dessa empresa.

O valor das ações, naturalmente reflete o desempenho da companhia. Uma empresa que tem boas perspectivas, gerando lucro, inevitavelmente aumentará seu valor.

Ora, mas o que isso tem a ver com o PIB?

Digo que a relação é bastante intrínseca. Quanto melhor o desempenho da economia, maiores serão os lucros das empresas.

Na realidade, a relação é até contrária. As empresas, como produtoras e geradoras de renda (como salários e dividendos), é que geram um PIB grande ou pequeno.

Assim, o PIB por ser uma medida agregadora, refletirá o estado das companhias de forma geral.

É claro, cada setor tem a sua peculiaridade com alguns crescendo mais que outros (e isso é muito importante de se observar também). Mas de forma geral, quanto maior o crescimento do PIB, mais valorizada tende a ficar a bolsa.

Perceba como existe uma relação mais ou menos padrão do Ibovespa com o crescimento anual do PIB:

Mas como ficar de olho nas perspectivas para o PIB se não sou economista?

Já falamos aqui sobre o relatório Focus. Esse relatório consolida as projeções dos economistas de mercado e um dos indicadores que eles preveem é o crescimento do PIB.

Você pode verificar aqui esse relatório e acompanhar o que os economistas estão achando da atividade econômica.

Conclusão

O PIB é uma medida agregadora de tudo que uma economia produz em determinado momento. Está mais relacionado ao crescimento da riqueza de um país, do que o acumulo total da riqueza propriamente dita.

Crescimentos fortes do PIB tendem a influenciar positivamente a bolsa de valores, sendo o oposto também verdadeiro. Por isso, é importante ficar ligado em como os economistas estão prevendo o que acontecerá com a atividade.

Ficou alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto? Comente abaixo.

Compartilhe esse texto com mais investidores que você deseja ajudar a obter Mais Retorno entendendo melhor o que é o PIB.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Leia também:

Sobre o autor

  • Vinicius Alves
  • Economista, atuou no departamento econômico de empresas de sell side no mercado financeiro. Já foi Top-5 de projeção de inflação de curto prazo do BC.

Deixe seu comentário aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


0 Comentários