Investir é, sem dúvidas, algo que todas as pessoas deveriam se planejar para fazer ao longo da vida. E embora os objetivos de cada investidor sejam variados, é preciso ter sempre em mente que qualquer  investimento será mais lucrativo quanto maior for prazo.

Logo, quanto mais cedo você começar, melhores serão os frutos que você irá colher na hora de descansar.

No entanto ouvimos com frequência muito maior, frases como “mas eu paguei, no fim das contas, dois carros quando financiei o meu”, mas raramente outras como “eu dobrei meu capital ao investir em tal aplicação”.

E se você parar para pensar, essas frases são duas faces da mesma moeda: os juros compostos em seu esplendor trabalhando conforme o passar do tempo de uma aplicação.

Todo esse efeito é algo que vamos entender melhor hoje.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre.

  1. A importância dos juros compostos e como eles funcionam
  2. A importância do longo prazo
  3. Juros Compostos + Tempo – A importância de comparar investimentos

A importância dos juros compostos e como eles funcionam

A importância dos juros compostos

Os juros compostos são a famosa modalidade de capitalização da qual falamos que os juros são incididos em cima dos juros. Ou seja, é quando os juros de um mês rendem em cima dos juros do mês anterior e assim por diante, acumulando valores cada vez maiores.

Em contraposição estão os juros simples, nos quais a incidência ocorre apenas em relação ao primeiro montante aplicado.

Entender essa diferença nos ajuda a entender os juros compostos em si.

Para entender melhor, vamos ver em um exemplo prático o que aconteceria com R$1.000,00 aplicados de ambas formas durante 5 períodos e uma taxa de juros de 10% ao período:

Nos juros simples, temos a seguinte tabela de rentabilidade:

MontanteTaxa de jurosJuros (R$)Saldo final
Período 1 R$     1.000,00 10% R$      100,00 R$   1.100,00
Período 2 R$     1.100,00 10% R$      100,00 R$   1.200,00
Período 3 R$     1.200,00 10% R$      100,00 R$   1.300,00
Período 4 R$     1.300,00 10% R$      100,00 R$   1.400,00
Período 5 R$     1.400,00 10% R$      100,00 R$   1.500,00

 

Agora observe a tabela de rentabilidade dos juros compostos:

MontanteTaxa de jurosJuros (R$)Saldo final
Período 1 R$     1.000,00 10% R$      100,00 R$   1.100,00
Período 2 R$     1.100,00 10% R$      110,00 R$   1.210,00
Período 3 R$     1.210,00 10% R$      121,00 R$   1.331,00
Período 4 R$     1.331,00 10% R$      133,10 R$   1.464,10
Período 5 R$     1.464,10 10% R$      146,41 R$   1.610,51

Perceba a diferença no montante de fluxo de juros que é pago entre uma e outra modalidade.

Nos juros simples, o montante de juros pago é sempre de R$ 100,00 em todos os períodos. Por outro lado, no cenário dos juros compostos esse montante sempre cresce a cada período.

Isso ocorre porque diferente dos juros simples, nos juros compostos a taxa de 10% incidirá no saldo final do período anterior.

Já nos juros simples, a taxa sempre incidirá apenas no capital inicial. É exatamente isso que queremos dizer quando falamos que juros compostos representam os “ juros sobre juros”.

Conseguiu notar o poder que os juros compostos podem ter a longo prazo?

Não à toa, ninguém menos que um dos maiores gênios da humanidade, Albert Einstein, classificou os juros compostos como sendo “a força mais poderosa do universo”!

Para ficar ainda mais claro esse poder, gosto muito do exemplo que temos no nosso livro Investidor Especialista. Lá o Felipe, como sempre com boas sacadas, chama atenção para a seguinte comparação:

Se você ganhasse uma promoção e eu te oferecesse duas opções de prêmios, qual você escolheria?

  • Opção 1: Um milhão de reais agora, nesse exato momento, na sua conta bancária;
  • Opção 2: Um centavo, com correção de juros de 100% ao dia, daqui a 1 mês

Se você escolheu a primeira alternativa, lamento. Você deixou de ganhar, no segundo caso, exatos R$ 10.737.418,24 em apenas 30 dias!

Veja o fluxo:

Efeito Juros Compostos

 

Como disse, isso ocorre pois o juro sempre incidirá no valor anterior já capitalizado, fazendo com que a evolução seja exponencial.

Logo, temos um fato é fundamental para que isso ocorra: o Tempo

A importância do Longo Prazo

A importância do longo prazo

Já vimos que a cada capitalização, o saldo da aplicação e o rendimento dos juros ficam cada vez maiores. Logo, quanto mais capitalizações ocorrerem, mais rápido vai crescer o saldo a cada período. Lembre-se que a curva é exponencial.

Como essa capitalização acelera o crescimento dos juros a cada período, no longo prazo cada 0,1% a mais que você conseguir faz uma diferença enorme lá no final.

Para entender melhor esse efeito, vamos comparar agora dois investimentos com taxas de juros próximas ao longo de 10 anos.

De um lado considere um investimento A com taxa de juros mensal de 0,8%, enquanto o investimento B terá taxa de 0,5% e em ambos a aplicação inicial é de R$ 10.000,00.

Repare nos gráficos dos rendimento dos dois investimentos e a diferença entre eles:

Gráfico Comparação de Juros

Gráfico Comparação de Juros Compostos

Notou que no início, como não temos ainda muitas capitalizações, a diferença é bem pequena? Conforme o tempo passa, essa diferença vai crescendo exponencialmente e as curvas vão se distanciando cada vez mais rapidamente.

De fato, no primeiro ano (mês 12), a diferença entre as duas aplicações é de “apenas” R$ 386,60. Ao passo que ao fim do oitavo ano (96 meses), essa diferença cresce para R$ 5.347,32.

É por isso que o fator tempo é tão importante!

Vamos juntar os dois ingredientes agora.

Juros Compostos + Tempo – A importância de comparar investimentos

Juros compostos mais tempo

Pelo que descrevi nos últimos dois tópicos, espero que tenha ficado clara a ideia de que é preciso investir a longo prazo.

Falei sobre os juros compostos e o tempo, mas os dois ingredientes que atuam lado a lado.

Quanto maior o tempo de aplicação, maior será o saldo final e isso também potencializa a remuneração da taxa de juros de cada período adicional. Pequenas elevações da taxa de juros são causam um efeito cada vez maior na medida que o tempo passa.

Vamos ver outro exemplo para fixar a ideia:

Imagine 3 investimentos diferentes A, B e C em que você aportaria mensalmente R$ 1.000,00 ao longo de 10 anos, sendo que cada um terá um retorno mensal de 0,6%, 0,7% e 0,8%, respectivamente.

Veja a comparação do resultado desses investimentos ao final do período:

Gráfico de Comparação de Juros Compostos

Perceba que a diferença de apenas 0,1% nas taxas de juros gera uma grande diferença no final do período. Cerca de R$ 12,4 mil entre os investimentos A e B e cerca de R$ 13,4 mil entre B e C.

Portanto, desde que os investimentos comparados contem com as mesmas características de custos, risco e liquidez, cada excedente de juros que você conseguir em seus investimentos representará diretamente uma antecipação relevante do seu sonho da independência financeira.

Conclusão

Os juros compostos são uma ferramenta poderosa que devem ser utilizados a seu favor. Potencializar esse recurso importante pode te aproximar cada vez mais da sonhada independência financeira.

Você também viu como os juros compostos são poderosos com o passar do tempo. Portanto, investir a longo prazo é a melhor opção aqui. Cada capitalização é valiosa!

Agora, não existe mais desculpas para você investir mal, certo!?

Tire o seu dinheiro de aplicações pouco rentáveis, como poupança e passe a buscar alternativas diversas em sua corretora e comece agora mesmo pois, como vimos, o tempo é valioso quando tratamos de investimentos.

Se ficou com alguma dúvida ou quiser contribuir mais com o assunto, comente abaixo! E compartilhe este conteúdo para que mais pessoas

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

Juros compostos e a importância do investimento de longo prazo
4.4 (88.57%) 7 votos