Open Nav

Como ver a carteira do meu fundo de investimentos?

Por:
19/03/2020

Dentro do Mercado Financeiro, os fundos de investimentos se apresentam como uma boa forma de investir para diferentes perfis. Seja você um iniciante ou alguém com ampla experiência na área, sempre há alguma boa oportunidade.

Não por acaso, esse acaba por ser um assunto recorrente aqui no Mais Retorno. Isso vale em dobro pensando no atual cenário econômico, pois as baixas taxas de juros pedem que você atue na diversificação da sua carteira pensando em retornos mais atrativos.

No entanto, ao comprar cotas de um fundo de investimento, você sabe onde de fato onde seu dinheiro será aplicado? Como os gestores estão trabalhando para fazer seu capital render? Ou será que ele simplesmente está parado em caixa?

Dúvidas como essas são extremamente comuns entre investidores brasileiros. E é por isso que resolvemos trazer a forma mais rápida e prática para encontrar essas respostas ao longo deste texto, através da carteira do fundo de investimentos.

Por que é tão importante saber onde meu fundo pode investir?

Em primeiro lugar, é importante destacar que um fundo de investimentos nem sempre possui liberdade de sair escolhendo livremente onde alocar o capital dos seus cotistas. Há a necessidade dos gestores seguirem a proposta do próprio fundo.

Neste sentido, a primeira coisa a fazer é ler o regulamento do fundo antes mesmo de cogitar qualquer aporte. Esse documento é extremamente importante e contém todas as regras de atuação da gestão, inclusive mencionando práticas permitidas e proibidas.

Além disso, você deve considerar também a categoria do fundo de investimento em questão. Vale lembrar que existem diferentes formatos, como destacamos a seguir:

  • Renda Fixa: são fundos que investem majoritariamente em renda fixa, sendo obrigatório que 80% do patrimônio esteja atrelada a um índice de juros (sendo comum o CDI) ou inflação (IPCA, por exemplo).
  • Ações: os fundos de ações precisam ter ao menos 67% do patrimônio em ações, como o nome sugere. Pela categoria, naturalmente que apresenta maiores riscos aos cotistas, assim como rentabilidades potencialmente mais atrativas.
  • Multimercado: um fundo multimercado pode trabalhar com qualquer tipo de ativo. Em função disso, é ainda mais importante que você, enquanto cotista, saiba onde ele investe.
  • Referenciado: são fundos que buscam acompanhar algum benchmark. O indexador pode variar entre CDI, IPCA, IGP-M e até alguma moeda.
  • Cambial: há ainda o fundo cambial, um formato que trabalha com ativos diretamente atrelados a uma moeda (Dólar ou Euro, por exemplo).

Ainda assim, a categoria do fundo apenas indica o tipo de ativo que você terá seu capital exposto. No caso dos fundos multimercados, nem isso: as aplicações podem ir da renda fixa, passando por juros ou câmbio e chegando até o Mercado de Ações.

Ademais, ainda que pareça óbvio que um fundo de renda fixa trabalhe com ativos desta categoria, como mensurar o nível de risco? Vale lembrar que a renda fixa engloba os seguros títulos públicos, mas também debêntures e outros títulos privados que, naturalmente, aumentam o risco de crédito.

É por essas questões que é fundamental saber onde o seu fundo investe. A boa notícia é que você pode sanar qualquer dúvida a esse respeito com uma ferramenta muito simples que desenvolvemos aqui no Mais Retorno. É hora de apresentá-la.

Como Investir nos Melhores Fundos

Onde encontrar a carteira de um fundo de investimentos?

Como você já deve saber, nós estamos sempre em busca de desenvolver materiais e ferramentas que ajudem na tomada de decisão de investidores. E foi pensando nisso que criamos a nossa própria ferramenta de fundos.

Usando dela, você pode facilmente encontrar informações valiosas sobre diferentes tipos de fundos de investimentos. Há, inclusive, a possibilidade de comparar indicadores de fundos de uma mesma categoria com outra ferramenta: a comparação de fundos. Mas isso é assunto para outro post.

Localizando um fundo de investimentos

O que queremos hoje é entender a carteira do seu fundo de investimentos, certo? Para isso, a primeira coisa é saber localizá-lo, o que pode ser feito pela área de pesquisa da nossa ferramenta. Abaixo, destaco onde ela se encontra na sua tela.

Neste campo, você pode fazer a sua busca partindo de duas formas: pelo nome do fundo ou pelo CNPJ. O nome é sempre mais prático, contudo fique atento para que encontre a sua versão idêntica. Cada gestora, afinal, possui diferentes produtos. Na dúvida, opte pelo CNPJ já que esse é um número único.

Vamos supor que você queira conhecer a carteira de investimentos do Alaska Black Institucional FIA, um dos fundos mais badalados do mercado. Assim, na tela abaixo, veja que ao digitar "Alaska", esse é justamente o nosso primeiro resultado.

Agora, basta selecionar o nosso fundo para abrirmos as informações relativas a ele. Assim, podemos seguir para o próximo passo na busca por informações sobre a carteira de investimentos dele.

Entendendo a nossa ferramenta de fundos

Após a seleção do fundo, você será automaticamente direcionado para a página do fundo em questão. Nela, encontrará uma série de informações para uma boa tomada de decisão.

Tudo começa pelos dados básicos que são o nome do fundo, o seu CNPJ e a empresa gestora. Na imagem abaixo, observe que há um botão "ver tudo" que traz informações adicionais como Patrimônio Líquido, empresa administradora e a data de início do fundo.

Além disso, ainda na imagem anterior, repare que há duas opções para exibir os dados desse fundo. São elas:

  • Lâmina: é o que você deve selecionar caso queira ver os números do fundo. Inclui uma análise de rentabilidade (comparando com algum indicador), estatísticas, Índice de Sharpe, gráfico de Drawdown e a volatilidade, por exemplo.
  • Carteira detalhada: já a aba de carteira detalhada é onde você deve clicar caso queria, assim como neste artigo, identificar onde a gestão está investindo o capital dos cotistas.

Selecionando a segunda opção a qual, afinal, traz a informação que queremos, nós já podemos partir para a análise do fundo desejado que, neste caso, é o Alaska Black Institucional FIA.

Analisando a carteira do fundo

Repare abaixo que, logo de cara, já podemos confirmar que o fundo cumpre sua obrigação enquanto categorizado como fundo de ações: ele tem 88% do seu patrimônio nessa categoria de ativo, acima do mínimo obrigatório de 67%.

Pode ser que você queira saber também quais são essas ações que compõem a sua carteira, certo? Afinal, é diferente de ter papéis de empresas pequenas (as famosas small caps) e outras mais consolidadas pensando no pagamento de dividendos ao longo do tempo.

Existem duas formas de fazer isso sem precisar sequer mudar de página. A primeira delas, mais prática, é colocar o seu mouse sobre o pedaço que compõe a carteira.

No exemplo abaixo, deixamos ele sobre a maior posição dentro da carteira de ações. Veja que, logo abaixo, já aparece o ticker MGLU3, o valor de exposição e a participação dessas ações na carteira. Ou seja, o fundo tem peso maior para ações da Magazine Luiza.

Lembrando que você pode ir trocar a posição do seu mouse e, automaticamente, essas informações abaixo vão se atualizando. Trata-se de uma forma extremamente veloz de entender onde a gestão aloca o capital dos seus cotistas.

A outra forma de encontrar essa mesma informação é um pouco mais abaixo na sua tela. Repare que o quadro resumo traz as mesmas informações da tabela anterior, mas agora você pode expandir esses dados clicando na seta ao lado esquerdo de cada item.

Ao fazer isso com as ações, por exemplo, você pode enxergar qual a posição do Alaska Blacka Institucional FIA. Veja como a maior exposição do fundo está nas empresas Magazine Luiza, Cogna Educação, Petrobrás, Rumo e Vale.

Conclusão: como saber onde o meu fundo investe pode ajudar?

O que vimos nesse artigo é uma maneira prática de você entender onde investe um fundo de investimentos. Isso também pode ser feito pelo site da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o órgão fiscalizador do Ministério da Fazendo. No entanto, já adianto que as informações não estão dispostas de maneira tão visual para análise como no nosso gráfico.

Ademais, ainda temos uma série de indicadores para uma análise completa. Esses fatores são fundamentais para entendimento do trabalho de um fundo de investimentos e, principalmente, se a gestão está de acordo com os seus objetivos.

No fundo que usamos neste artigo, por exemplo, você viu que apenas cinco empresas concentram 56,36% dos investimentos do Alaska Black Institucional FIA. Se você não se sente confortável com essa alocação, não deveria aportar nele.

E esse foi apenas um exemplo. É possível fazer análises de diferentes categorias, comparando os ativos em carteira de cada fundo e encontrando aquele com maior aderência ao que você pretende com o investimento.

Caso tenha ficado com qualquer dúvida, não deixe de comentar abaixo. E fica o convite para você explorar a nossa ferramenta e entender na prática como ela pode ser útil na decisão de um aporte em um fundo de investimentos.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Leia também:

Sobre o autor

  • Stéfano Bozza
  • Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.

Deixe seu comentário aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


2 Comentários

Deixe seu e-mail e receba conteúdos antes de todo mundo.

100.000 investidores já fizeram isso!