Não é incomum ver um analista criticando outra forma de análise: “A análise grafista não tem nenhum sentido racional”. Ou “análise fundamentalista não funciona para ganhar dinheiro”.

Essas são as duas mais famosas abordagens para verificar se uma ação tem potencial de ganho ou não. É fato que existem um certo embate entre os defensores de um ou de outra.

Nós, do Mais Retorno,  deixamos claro: as duas têm o seu valor e podem ser utilizadas em conjunto. Conhecer o funcionamento e restrições é, portanto, fundamental (perdoe o trocadilho).

No texto de hoje vamos abordar forma de análise conhecida como fundamentalista.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

  1. O que é análise fundamentalista
  2. Conceitos básicos de contabilidade financeira
  3. Principais indicadores da análise fundamentalista
  4. Como utilizar a análise fundamentalista na escolha de uma ação

O que é análise fundamentalista

O que é Análise Fundamentalista

No mercado de ações, a análise fundamentalista busca se apoiar mais nos aspectos financeiros que a empresa apresenta. Em contraposição, a análise ténica (ou grafista), de modo geral, busca indicar tendências de preços pelos “desenhos” dos gráficos de preço.

Desta forma, a análise fundamentalista olha a situação econômico-financeira da empresa no presente e verifica qual trajetória mais provável. Depois, olha o preço da ação e verifica a perspectiva futura da empresa e se o preço está acima ou abaixo dessa perspectiva.

Basicamente, procura-se responder à pergunta básica sobre o objetivo de toda e qualquer empresa. Essa empresa vai dar lucro? (e isso é muito importante para você também, afinal, lembre-se que você é sócio da empresa que investe).

Em especial, para responder essa importantíssima pergunta, a análise fundamentalista irá se desdobrar sobre: (i) vendas e despesas da empresa; (ii) mercado que a empresa está inserida; (iii) Investimentos que estão sendo realizados; (iv) geração de caixa, enfim, tudo que irá afetar o negócio como um todo.

Além disso, é preciso comparar a empresa com seus concorrentes. De nada adianta ter uma margem de lucro de 100% se seu concorrente tem margem de 200% operando com o mesmo tipo de produto.

Mas enfim, qual melhor forma para se olhar tudo isso?

Conceitos básicos de contabilidade financeira

Conceitos básicos da contabilidade financeira

A teoria econômica/financeira cria várias formas de se fazer a análise que descrevi no tópico anterior.

Mas antes de tudo vou introduzir alguns conceitos contábeis que os indicadores fundamentalistas se baseiam. Infelizmente não dá para falar em Análise Fundamentalista sem ter um conhecimento básico de contabilidade, por isso preste bastante atenção em alguns deles que separei a seguir:

O conceito de lucro já é conhecido, agora lucro operacional significa simplesmente as receitas e despesas para produzir e vender o produto e/ou serviço de uma determinada empresa, ou seja, desconsidera juros e impostos.

O EBITDA (Earnings before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization) ou simplesmente LAJIDA (Lucros antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) em português, são uma medida muito próxima do lucro operacional e você vai ouvir com bastante frequência quando estiver no mundo da Análise Fundamentalista.

A partir dos lucros temos os dividendos que são os pagamentos feitos aos acionistas com base no lucro que a empresa deu. Não necessariamente 100% do lucro é distribuído, afinal a empresa pode manter parte do lucro para aumentar seu caixa ou até mesmo reinvestir para ampliar os negócios.

Os juros sobre o capital próprio são uma espécie de dividendos. A diferença é que quando a empresa distribui o lucro como juros sobre o capital próprio, ela não precisa pagar o IR sobre a distribuição. Nesse caso, quem paga o imposto é o investidor.

Ativos são os direitos que a empresa possui, como dinheiro em caixa, imóveis, automóveis e assim por diante. Os ativos são todas as disponibilidades que a empresa tem para transformar em dinheiro de fato.

Passivos são as obrigações que a empresa tem com fornecedores, credores e até mesmo impostos a pagar.

O Patrimônio Líquido é a soma do que a empresa tem como capital próprio. São as fábricas, terrenos imobiliários, reservas de lucros, ações que a própria empresa tem, descontados dos prejuízos acumulados, dívidas e demais obrigações. Ou seja, é o resultado dos Ativos subtraídos dos Passivos.

Receita líquida é a receita obtida com a venda de produtos menos os custos para essa venda.

Principais Indicadores da Análise Fundamentalista

Principais indicadores da análise fundamentalista

Todos esses conceitos individualmente não ajudam muito na hora de avaliar uma empresa. É a análise deles em conjunto e em comparação com outras empresas que vai te dar uma ideia melhor sobre uma empresa ser boa ou não para investir o seu dinheiro.

Mas para além desses conceitos contábeis, existem alguns indicadores derivados deles que te dão uma ótima pista sobre a qualidade das empresas que você pretende investir.

Veja agora os indicadores mais importantes e conhecidos da Análise Fundamentalista:

Preço/Lucro (P/L)

Um dos indicadores mais utilizados para análise fundamentalista é calculado como o próprio nome diz: o preço da ação dividido pelo lucro da empresa nos últimos 12 meses.

Intuitivamente, o indicador nos dá uma noção se a ação está cara ou barata. Quanto maior, melhor está o indicador.

O número em si basicamente diz em quantos anos você teria o mesmo lucro do investimento que realizou (lucro aqui se entende apenas o que a empresa paga de proventos sobre cada ação).

Ideal ainda é comparar o indicador com o mesmo de outras empresas que operam no mesmo mercado. Por exemplo, hoje o P/L do banco Bradesco está em 14,6. Isso não quer dizer muita coisa certo?

Por outro lado, se eu te falar que o mesmo indicador do Itaú está em 11,5, é possível inferir melhor o resultado, já que ambas empresas estão no mesmo setor.

Divident Yield (DY)

Já falamos que você é um dos sócios da empresa ao adquirir ações dela, certo? Sendo sócio, você tem direito a rendimentos que a empresa gera, seja dividendos ou juros sobre capital próprio.

Bom, esse indicador indica a relação entre os proventos a serem pagos e o preço da ação. É calculado simplesmente pela razão entre o valor do montante que será pago por ação e o preço da ação. Segue o mesmo racional do P/L de que, quanto maior, melhor está o indicador.

De maneira simplificada, pode-se dizer que este indicador irá expressar qual foi o retorno relativo, ou seja, percentual, em dinheiro que o investidor obteve a partir do pagamento dos proventos.

Preço por valor patrimonial (P/VPA)

O P/VPA mostra o quanto os acionistas estão dispostos a pagar pelo patrimônio líquido da empresa. Ou seja, o preço da ação como reflexo da situação patrimonial da empresa.

O cálculo também é simples: o preço da ação dividido pelo valor patrimonial da empresa.

Um P/VPA alto indica que as ações estão sendo negociadas por um preço maior do que seu patrimônio líquido (PL) indica. Já um P/VPA baixo indica que o preço da ação está abaixo do correspondente valor do patrimonial.

Este indicador é peculiar pois não conseguimos determinar com certeza se um P/VPA  é melhor quando ele é mais alto ou mais baixo.

Por exemplo, um P/VPA baixo poderia indicar que a ação está “barata” pois tem que ser negociada no correspondente de seu PL e, portanto, tem potencial de alta. Porém, também pode significar que estão ocorrendo problemas com a empresa e por isso ela está sendo negociada por valores mais baixos do que outras do mesmo setor.

EV/EBITDA

O nome é derivado de siglas em inglês. O EV quer dizer enterprise value, e siginifica o valor de mercado da empresa (o valor da ação multiplicado pelo número de ações). O Ebitda já foi devidamente apresentado no tópico anterior.

Portanto, o indicador é a relação entre o valor de mercado da empresa e o seu lucro operacional.

Dessa forma, quanto menor estiver o indicador, melhor está a situação da empresa no que diz respeito a geração de lucro.

Novamente, devido às diferentes lucratividades de cada setor, a comparação do EV/Ebitda entre empresas do mesmo ramo é sempre recomendada/.

P/Ativo

Preço da ação da empresa dividido pelos ativos totais da empresa. Ou seja quanto o preço representa dos ativos. Quanto menor, melhor para empresa pois indica que o preço reflete um valor menor do que as disponibilidades da empresa e, portanto, a ação tem potencial para se valorizar.

Esses são indicadores que chamamos de múltiplos, pois têm de alguma forma o preço de mercado na sua metodologia. Dessa forma, é o jeito mais fácil de verificar como ganhar dinheiro no mercado (estamos interessado em, ao comprar uma ação, ter valorização da mesma).

Destaco que fiz uma análise geral dos indicadores.

Quando falamos em múltiplos, não podemos exagerar. A análise “quanto mais alto, melhor ou vice-versa” é válida, porém precisa ser lida com cuidado pois exageros podem mostrar que ação está cara demais na verdade e não que tem desempenho sólido.

Outros indicadores mais financeiros também são importantes, como:

(i) ROE a sigla em inglês para retorno sobre o patrimônio líquido. É calculado dividindo o lucro líquido pelo patrimônio líquido. O ROE indica a rentabilidade que aquele Patrimônio Líquido da empresa está gerando;

(ii) Dívida líquida sobre Patrimônio Líquido (DL/PL), mede patrimônio líquido da empresa equivalente a sua dívida líquida;

(iii) Margem Bruta percentual que tem-se de retorno sobre o que foi investido (sem contar salários, impostos, juros); e

(iii) Margem Líquida o mesmo do anterior, considerando salários, juros, impostos.

De forma geral, o importante é não analisar um indicador de forma isolada mas sim em conjunto com os outros. Os múltiplos dão forte indicação do preço da ação e os indicadores financeiros dizem como está a saúde da empresa.

Como utilizar a Análise Fundamentalista na escolha de uma ação

Como utilizar a análise fundamentalista

Como disse a simples análise dos números, muitas vezes não quer dizer muita coisa, o ideal é fazer comparações. Vamos a um exemplo pratico.

Peguei a industria de varejo de moda para olharmos, coloco aqui os indicadores de 2017:

Preço AçãoP/LEV/EbitdaP/PL
Lojas Marisas5,52-9,697,871,23
Lojas Renner32,0229,3910,926,99
Riachuelo126,0115,3913,681,94
Hering17,5810,9310,682,3

 

Vamos fazer uma análise mais profunda sobre o setor. Destaco aqui a Hering que apresenta os três indicadores sólidos e sem exageros. Tem o terceiro P/L do mercado e EV/Ebitida compatíveis com os outros players.

Aqui podemos observar como os exageros devem ser evitados.

Repare que Lojas Renner têm o maior P/L, porém é de longe incompatível com os seus pares e então tem de ser lido com cuidado pois pode representar que na verdade a ação está cara demais.

IMPORTANTE: Este é apenas um exemplo com propósito educacional e não se trata de nenhuma recomendação de compra de ações.

Conclusão

A análise fundamentalista é muito utilizada e está apoiada em fatores mais sólidos, como a empresa se comporta financeirramente e por isso é utilizada em grande parte no mercado financeiro.

No longo prazo, ela tende a se sobressair de fato, afinal nenhuma empresa sobrevive tendo indicadores ruins, da mesma, empresas boas financeiramente tendem a crescer mais.

O importante é sempre combinar os diversos indicadores financeiros e não utilizá-los de forma isolada. Assim como, compará-los entre as empresas do mesmo setor.

E se ficou com alguma dúvida adicional ou quer contribuir mais com o assunto, comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar a conquistar Mais Retorno utilizando a Análise Fundamentalista:

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

Análise Fundamentalista: Principais indicadores para escolher a melhor ação
4.8 (96%) 10 votos