Endividamento sobre Patrimônio

Última modificação em 17 de Maio de 2021 às 01:29

O que é Endividamento sobre Patrimônio?

O endividamento sobre patrimônio é um indicador capaz de demonstrar o estado de saúde financeira de uma empresa. Esse indicador é representado pela divisão entre dívida líquida e patrimônio líquido.

São vários os motivos que levam uma companhia a assumir dívidas, seja por empréstimo financeiro, necessidade de serviço terceirizado ou qualquer outra razão. A dívida líquida é aquela que ainda precisar ser paga, normalmente observada quando o fluxo em caixa não é suficiente para arcar com toda a obrigação. 

Se a dívida total de uma companhia está em R$ 50.000,00, por exemplo, mas só há R$ 20.000,00 disponível em caixa, a dívida líquida será de R$ 30.000,00.

O patrimônio líquido, por sua vez, é a quantia financeira proveniente de ativos após todos os passivos serem descontados. Em outras palavras, é o lucro que sobra em posse da companhia após todos os custos e despesas serem pagas.

Quando o patrimônio líquido é utilizado para quitar a dívida líquida da empresa, acontece o que chamamos de endividamento sobre patrimônio. Através desse indicador é possível saber qual é a porcentagem exata de lucro que está sendo destinada ao pagamento dos débitos em aberto.

Como o Endividamento sobre Patrimônio funciona?

O objetivo do endividamento sobre patrimônio você já sabe, agora vamos lhe mostrar como o cálculo desse indicador pode ser realizado. Conforme falamos anteriormente, basta dividir a dívida líquida sobre o patrimônio líquido.

Seguindo o exemplo citado, a empresa possui dívida líquida de R$ 30.000,00, certo? Supondo que o patrimônio líquido seja de R$40.000,00, teremos o seguinte resultado: R$ 30.000,00 / R$40.000,00 = 0,75 = 75%.

Portanto, o endividamento sobre patrimônio indicou que 75% do lucro da empresa será utilizado para quitar a dívida líquida.

Como é feita a análise do Endividamento sobre Patrimônio?

Nós chegamos a um resultado de 75%, mas, isso é bom ou ruim?! Esse questionamento nos mostra que analisar o indicador é tão importante quanto saber realizar o cálculo.

Ao contrário do que se possa pensar, valores altos de endividamento sobre patrimônio não representam um estado negativo de saúde financeira da empresa. Isso porque, o lucro que sobra mesmo após a quitação da dívida líquida, deverá ser declarado no Imposto de Renda.

Isso significa que, quanto maior for a receita da companhia (lucro disponível), mais tributos ela deverá pagar para o governo. Portanto, é melhor investir em melhorias e recursos, consequentemente criar dívidas e utilizar o patrimônio para quitá-las quando necessário, do que pagar imposto sem a certeza de retorno financeiro futuramente.

Vale esclarecer que, independente do resultado apresentado pelo endividamento sobre patrimônio, nenhum indicador deve ser analisado de maneira isolada. Existem vários outros capazes de demonstrar a qualidade da gestão de uma empresa, tais como DRE, DFC, EA, EC, EBTI, ROA, ROE, Payout, etc.

Além disso, também é importante considerar o setor de atuação da companhia. Alguns setores podem, naturalmente, terem índices de endividamento sobre patrimônio mais altos ou mais baixos quando comparados a outras categorias, sem que isso seja um problema ou qualquer tipo de risco.

A maioria dos investidores, quando procuram por ações na Bolsa de Valores, analisam todos os dados fornecidos pela companhia sobre seu modelo de gestão, rentabilidade, índices de investimento, endividamento e assim por diante.

Sendo assim, é necessário que o contexto seja observado também de forma geral.

Jerome Powell

Jerome Powell

Quem é Jerome Powell? Jerome Powell, ou simplesmente “Jay” Powell, é o atual presidente do Federal Reserve (Fed) - que é o sistema de Bancos Centrais dos...

  CONTINUAR LENDO

Glossário de Finanças e Investimentos

Pesquise a(s) palavra(s) navegando pelo alfabeto abaixo