Open Nav Logo Mais Retorno

Warrant

O que é Warrant

O Warrant é um instrumento financeiro que dá ao investidor o direito de comprar ou vender um determinado ativo, podendo ele ser uma ação, uma commodity, um índice de ações ou mesmo uma taxa de câmbio.

Quando emitido por uma empresa, é negociado diretamente entre as partes, sendo que o seu prazo pode se estender por anos. Nesses casos, ele funciona como um bônus de subscrição: quando um Warrant é exercido, a empresa emite novas ações ao invés de entregar ações já existentes.

Não dando direito a voto ou à distribuição de dividendos, o Warrant, quando emitido nessas circunstâncias, oferece ao investidor a oportunidade de aumentar a sua participação no futuro a um preço melhor.

Quando transacionado em bolsa, seu funcionamento é semelhante ao de uma opção:

  • Call Warrant: o investidor pode comprar um ativo a um preço previamente acordado até a data do seu vencimento. Caso seja exercido esse direito, o vendedor do Warrant precisa entregar o ativo;
  • Put Warrant: o investidor pode vender um ativo a um preço previamente acordado até a data do seu vencimento. Caso seja exercido esse direito, o vendedor do
  • Warrant precisa comprar o ativo;

Assim, uma vez definido o ativo, o que caracteriza um Warrant é:

  • Strike price: o preço em que o direito será exercido;
  • Prazo: período em que poderá ser exercido. Um Warrant pode ser tanto do tipo americano, que permite o exercício do direito em qualquer momento até a data de vencimento, como europeu, que só permite o seu exercício no vencimento.

O valor intrínseco de um Warrant depende do seu strike price e do seu prazo. Quanto mais favoráveis ambos forem em relação aos preços negociados e à volatilidade do mercado, mais valioso é o Warrant.

Portanto, tanto o Call Warrant como o Put Warrant podem se encontrar nas seguintes categorias:

  • In the Money: seu preço de referência é vantajoso em relação ao preço de mercado;
  • At the Money: seu preço de referência é igual ao preço de mercado;
  • Out of the Money: seu preço de referência é desvantajoso em relação ao preço de mercado.

O que diferencia o contrato a termo de um Warrant?

Em um contrato a termo, as partes negociam um determinado ativo que deverá ser entregue em uma data futura e por um preço definido.

O Warrant, por sua vez, concede um direito que pode ou não ser exercido.

O que diferencia o contrato futuro de um Warrant?

Tal como em um contrato futuro, o Warrant segue uma padronização no que diz respeito à definição do ativo, o preço, o mercado de referência e o vencimento. Isso faz com que ambos possam ser livremente negociados entre os agentes da bolsa.

Para garantir o bom funcionamento do mercado, as bolsas de futuros trabalham com alguns mecanismos de segurança:

Ajuste diário: onde as diferenças entre o preço do contrato futuro e o valor de mercado são diariamente debitadas ou creditadas;

Margem de garantia: conta que possui ativos em garantia, mantidos por cada um dos participantes, e onde é feito o ajuste diário.

No caso do Warrant, não há a necessidade de se manter um conta de margem de garantia dado que o investidor está adquirindo um direito e não o contrato futuro (ou o ativo base) em si.

Quais as estratégias possíveis por meio de um Warrant?

  • Alavancagem: ao deter um direito, o investidor pode operar uma posição maior pagando apenas o valor do Warrant;
  • Proteção: comprando um Put Warrant, o seu detentor pode se proteger da volatilidade de preços;
  • Arbitragem: em mercados muito líquidos, é possível ganhar nas diferenças de preços entre Warrants de valores e prazos distintos.

 

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão