Última modificação em 5 de novembro de 2020

O que é transição de carreira?

A transição de carreira ocorre quando um profissional muda a sua área de atuação ou passa a se posicionar em outro setor no mesmo campo no qual trabalha.

Existem grandes e pequenas transições de carreira. Por exemplo, um advogado especializado em direito de família que decide se especializar em direito digital continuará atuando no campo no qual se formou: o Direito.

Nesse caso, a transição será pequena já que o profissional não precisará cursar outra graduação e poderá usar os conhecimentos adquiridos na sua prática para melhorar a sua atuação na nova área. Também é possível verificar mudanças mais significativas como um educador infantil que resolve estudar programação e atuar no setor de tecnologia da informação.

No entanto, nem sempre a transição de carreira ocorre por escolha do profissional - muitas vezes ao ser demitido e não conseguir se recolocar no mercado,: a mudança de área pode ser a única chance que uma pessoa tem de se reinserir no mercado.

Seja qual for o caso, as transições são um processo lento, cujos estágios serão descritos a seguir:

Quais são os estágios da transição de carreira?

A transição de carreira é marcada por três etapas. A primeira se destaca por um sentimento de desconforto que, geralmente, tem relação com o mercado de trabalho ou com a área de atuação.

Ocorre quando o profissional se sente insatisfeito e passa a considerar atuar em outra área. 

Nessa etapa o profissional precisa descobrir em qual campo gostaria de atuar e quais habilidades precisa desenvolver para se destacar nesse novo ramo de atuação.

A próxima fase é o estágio da separação, marcado por muita reflexão — ocorre quando o profissional decide abandonar o seu emprego atual e trabalhar em outra área. Exige  muita perseverança, uma vez que mesmo desejando atuar em outro segmento o profissional, com certeza, teve boas experiências e terá dúvidas sobre se deve mesmo mudar os rumos da sua vida profissional.

O último estágio marca a migração do profissional para uma nova carreira. Essa etapa é dedicada ao aprimoramento curricular, ao estudo do mercado ou aos trâmites que envolvem a abertura de uma empresa. 

Vale observar que essas etapas podem ocorrer de forma simultânea ou a terceira se antecipar a segunda. Por exemplo, um contador que trabalhe em uma grande empresa e quer abrir uma consultoria pode começar a atender seus clientes depois do expediente sem que para isso precise pedir demissão, o que elimina os riscos associados a uma transição de carreira muito rápida.

Quando considerar a transição de carreira?

Muitos profissionais se perguntam quando é a hora certa de pensar na transição de carreira.

É preciso estar atento para que essa mudança não seja apenas uma forma de fugir dos problemas que estarão presentes em todas as ocupações e em todas as empresas.

Caso o profissional esteja em um projeto que não o motiva ou em um setor que não esteja de acordo com o seu perfil é possível mudar de setor ou procurar um relocação em outra empresa. 

A transição de carreira exige sinais claros como o esgotamento físico ou mental, falta de perspectiva, defasagem salarial e a crise no mercado, que ocorre devido ao surgimento de novas tecnologias ou ao aumento da concorrência, gerando perspectivas ruins para os profissionais que atuam na área.

Ao avaliar esse sinais será possível verificar se é possível melhorar a sua qualificação ou investir em uma nova carreira que ofereça maior estabilidade e satisfação. Quem tem medo de correr riscos pode fazer uma transição gradual e ir expandindo o novo negócio aos poucos até se sentir confortável para abandonar o emprego atual.

Áreas como análise financeira, gestão fiscal, sistemas da informação, compliance e cuidados com a saúde estão em destaque e podem ser carreiras promissoras. 

Termo do dia

Viés de impacto

O que é o viés de impacto? O viés de impacto é um tipo de erro no processamento das informações pelo cérebro humano, que permite que…

Veja outros termos