Última modificação em 31 de agosto de 2020

O que é setor financeiro imobiliário?

Comprar uma casa própria é o maior desejo da maioria dos brasileiros. No entanto, o setor financeiro imobiliário não se alimenta apenas desse sonho.

Esse é um setor muito valorizado, que leva muitas pessoas a apostarem nessa forma de investimento, seja para construir, vender, revender ou alugar um imóvel. 

Ao investir no setor financeiro imobiliário é possível diversificar os investimentos e apostar em um segmento com grande potencial de valorização.


Como investir no setor financeiro imobiliário?

Aqueles que desejam construir um patrimônio sólido podem investir seu dinheiro no setor financeiro imobiliário, como uma das opções em estratégias de diversificação.  

Construir um imóvel para alugar e gerar uma renda mensal ou vender uma propriedade com valor acima do valor de compra são as forma mais conhecidas de investir nesse setor. No entanto, a modernização da economia possibilitou o desenvolvimento de produtos que tornaram possível investir em imóveis de maneiras menos tradicionais.

Assim, é possível investir em títulos ou ativos imobiliários que, além de apresentarem bons rendimentos, reduzem a burocracia e os riscos que envolvem a aquisição de um imóvel. Entre esses ativos podemos citar:

Fundos Imobiliários

Os chamados fundos imobiliários reúnem investidores dispostos a aplicar recursos na construção de um imóvel. Individualmente, esses participantes não conseguiriam alavancar a construção de um empreendimento, que pode ser um prédio residencial, um condomínio, um shopping ou um hospital.

Em um fundo imobiliário cada investidor conta com um número de cotas  proporcional ao dinheiro investido. Essas cotas podem ser negociadas no mercado secundário, o que garante liquidez, permitindo que o participante possa vender ou comprar cotas com certa frequência.

Títulos de Crédito Imobiliário

Os títulos de crédito imobiliário são títulos de renda fixa emitidos pelos bancos e outras instituições financeiras para financiar projetos do setor imobiliário. 

Aqui, o investidor “empresta” um certo valor ao banco, que usa esse dinheiro para financiar a construção ou a compra de imóveis. O comprador do título receberá um rendimento advindo dos juros que a instituição de crédito receberá ao final da operação (o tal spread bancário).

O setor financeiro imobiliário conta com três tipos de títulos:

Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)

O CRI é um título do tipo securitizador, que garante ao investidor o direito de receber o pagamento dos empréstimos utilizados na construção de empreendimentos imobiliários. Embora possua boa rentabilidade, normalmente atrelada a índices como IGP-M ou IPCA, apresenta baixa liquidez e não conta com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito - FGC

Letras hipotecárias (LH)

As letras hipotecárias são títulos de investimento em renda fixa emitidos por instituições financeiras como bancos e sociedades de crédito. São lastreados em créditos imobiliários. O prazo de aplicação mínimo é de seis meses e geralmente tem rentabilidade atrelada ao CDI, TR ou TJLP. Apresentam pouca liquidez no mercado e não contam com a proteção do FGC. 

Letras de Crédito Imobiliário (LCI)

As LCIs são títulos emitidos com a finalidade de financiar construtoras e outras empresas do setor imobiliário. São isentas do imposto de renda e são garantidas pelo FGC até o valor de R$ 250.000,00 por CPF ou CNPJ. 

Crowdfunding Imobiliário

Crowfunding ou financiamento coletivo surgiu para financiar projetos criativos por meio de plataformas colaborativas.

O modelo se expandiu e hoje é possível utilizar um crowfunding para investir no setor financeiro imobiliário. 

O objetivo desse financiamento é permitir que qualquer pessoa invista na construção de projetos imobiliários. Assim, o investidor tem acesso a um investimento potencialmente rentável sem que precise dispor de muito dinheiro, além de geralmente ser bem prático e pouco burocrático.  

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Capital Próprio

O que é o capital próprio? É chamado de capital próprio a parcela de capital disponível para as companhias que advém exclusivamente de seus sócios, acionistas…

Veja outros termos