Última modificação em 28 de novembro de 2019

O que é retorno líquido?

O retorno líquido (ou rentabilidade líquida) é o termo dado ao lucro de um investimento descontadas todas as cobranças de taxas e de impostos. Ou seja, de maneira mais objetiva, trata-se da rentabilidade que um investimento efetivamente entra no bolso do investidor.

Esse é um conceito importante, pois nem todos os operadores do mercado financeiro percebem que a rentabilidade de um ativo pode ser apresentada antes dessas deduções. Assim, a avaliação de qual o melhor tipo de investimento pode ser comprometida.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Retorno bruto x retorno líquido: qual a diferença?

Quando vai analisar diferentes ativos para investir, você se preocupa em separar aqueles que apresentam rentabilidade bruta ou líquida? É muito provável que não, pois esse é um erro bastante comum — especialmente entre amadores ou iniciantes.

O retorno bruto refere-se à rentabilidade de um ativo antes das suas eventuais deduções as quais, normalmente, são as taxas de corretagem e a cobrança do Imposto de Renda. Após a redução desses valores, chega-se ao que de fato é o retorno líquido do ativo.

Esse é um fator de suma importância, pois muitas vezes um investimento pode ser apresentado em relação ao seu retorno bruto, um valor que não entrará na sua totalidade na carteira do investidor.

Como calcular o retorno líquido?

O cálculo do retorno líquido é relativamente simples, mas importante. Basicamente, consiste em aplicar redução da rentabilidade bruta, encontrando o lucro que o ativo realmente oferece.

Encontrando o retorno bruto

Tudo começa justamente na cálculo do retorno bruto. Suponha, por exemplo, um investimento de renda fixa que ofereça a rentabilidade de 10% ao ano. Considerando que você faça uma aplicação de R$ 50.000, nós temos o seguinte rendimento:

Retorno Bruto = 50.000 x 0,10 = 5.000

Ou seja, a princípio esse investimento oferece um lucro de R$ 5.000 dentro da nossa situação hipotética. No entanto, nem todo esse montante será adicionado à carteira do operador: é preciso ainda descontar taxas e impostos.

Aplicando taxas e impostos para encontrar o retorno líquido

Vamos considerar, por exemplo, que você tenha as seguintes deduções a fazer:

Como estamos falando de rentabilidade, precisamos descontar esses valores do nosso retorno bruto de 10%. Vamos então calcular os valores que devem ser descontados, lembrando que a taxa de corretagem é aplicada tanto na compra, como na venda.

Portanto, ao somar esses dois custos, nós temos o desconto de R$ 1.525 a fazer do nosso lucro bruto de R$ 5.000. Desta forma, o lucro líquido é de R$3.475. Ou seja, a rentabilidade líquida desse investimento foi de 6,95% (e não 10%, que é a rentabilidade bruta).

Qual a importância do retorno líquido para o investidor?

O retorno líquido é um cálculo fundamental para que o investidor encontre realmente qual o potencial lucro que um ativo oferece. Isso é especialmente importante no comparativo entre investimentos de diferentes formatos.

Imagine que você estivesse em dúvida entre o nosso exemplo, oferecendo uma rentabilidade bruta de 10% e a compra de outro ativo com rendimento hipotético de 8,5%, mas sem cobrança de corretagem ou impostos.

Em um primeiro momento, nosso ativo simulado parecia mais interessante, pois 10% é mais que 8,5%. No entanto, essa é uma comparação injusta na medida em que não apresenta as deduções.

Em nosso cálculo, percebemos que a rentabilidade líquida dele é de apenas 7,95%. Isso significa que o outro ativo, em função da isenção dos impostos, acaba sendo mais atrativo. É preciso estar atento a esse detalhe na hora de tomar uma decisão.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Plano Cruzado

O que foi o Plano Cruzado? O Plano Cruzado foi um ajuste do governo federal implantado em 1986 para tentar controlar a economia ante o aumento…

Veja outros termos