Open Nav

Reatância Psicológica

O que é Reatância Psicológica?

Reatância psicológica (também conhecida como Psychological Reactance, conforme o termo original em Inglês) é o nome dado a um tipo específico de fenômeno psicológico.

Segundo a Reatância Psicológica, nós temos a tendência, como seres humanos, de reagir a qualquer tentativa de restringir a nossa liberdade de escolha quando se trata de nossos comportamentos. Mesmo que essa "tentativa" não seja real, ou seja, que apenas tenhamos nos sentido coagidos de alguma maneira, sem que necessariamente o outro tenha incisivamente tentado nos obrigar a fazer (ou deixar de fazer) algo.

Diante dessa definição, esse fenômeno também pode ser carinhosamente chamado de Síndrome do Burro Empacado. Afinal de contas, não é isso que faz o bicho, quando se sente compelido a caminhar e servir contra a sua vontade?

"Empacar" é apenas uma das nossas reações à ameaça percebida. Na prática, quer dizer que, quanto mais alguém nos diz para parar de fumar ou não comer tanto fast food, mais tendemos a fazê-lo para "mostrar quem é que manda".

A outra reação é um viés cognitivo: o Efeito Bumerangue. Segundo ele, "as pessoas, diante de uma mensagem persuasiva (isto é, uma mensagem cujo objetivo é convencê-las a tomar determinada atitude), se sentem mais compelidas a tomar a atitude contrária".

É o caso do jovem que, justamente por ouvir autoritariamente dos pais que nunca deveria beber ou fumar, decide fazer os dois na primeira oportunidade que tem. Ou ainda da criança que ouve que é hora de dormir e, como forma de resistência, começa a correr e brincar pela casa como se a sua vida dependesse disso.

Como podemos notar, enquanto na primeira reação da Reatância Psicológica apenas mantemos nosso comportamento inicial, na segunda estamos dispostos a praticar o exato oposto praticamente como forma de protesto: desejamos nos sentir livres para escolher novamente e adquirirmos alguma senso de autonomia.


Como usar a Reatância Psicológica a seu favor?

Como convencer as pessoas a fazer o que eu quero sem que o seu alarme de Reatância apite? É uma pergunta comumente feita por grandes corporações, cientistas e comunicadores.

E antes que você surte pensando que esse questionamento é moralmente errado e restringe a liberdade das pessoas, saiba que você o faz durante toda a vida, todos os dias.

Como convencer a minha irmã a me dar uma carona sem que o seu alarme de Reatância apite? Como convencer o papai ao ir ao médico, o que ele vem enrolando há meses? Como convencer os meus funcionários a se engajarem naquele projeto? Como convencer os meus amigos a assistirem aquela série nova junto comigo?

É o mesmo tipo de dúvida, que aparentemente foi sanada por pesquisadores. Eles descobriram que enfatizar a liberdade do outro, ao fazer um pedido, é a forma mais fácil de convencê-los a fazer o que você quer.

Apenas dizendo "Você é livre para dizer sim ou não" ao pedir que as pessoas preenchessem formulários na rua para as suas pesquisas, eles conseguiram um aumento de 20% no número de participantes.

Posteriormente, se constatou que o mesmo se repetia em outras áreas - não somente a acadêmica.

Assim, ironicamente se entende que, para usar a Reatância Psicológica a seu favor é necessário deixar claro que a pessoa pode dizer não para a sua proposta - seja de carona, seja de ir ao médico, seja de assistir Atypical.

Apenas não garantimos que o mesmo vá funcionar com as suas crianças... Afinal de contas, se nos dissessem que poderíamos dizer não a um pote de sorvete na infância, dificilmente usaríamos nossa liberdade para outra coisa que não escolher uma colher e o nosso sabor favorito da vez.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados