Open Nav Logo Mais Retorno

Naji Nahas

Quem é Naji Nahas?

Naji Robert Nahas é um famoso e polêmico empresário e especulador do mercado financeiro. Ele é conhecido por ter chegado no Brasil no final dos anos 60, com cinquenta milhões de dólares, provindos da sua família, com o objetivo de investir no país.

Na época, tinha apenas 22 anos e, antes dos 40 anos, já havia construído um conglomerado multimilionário. O especulador é famoso, entretanto, por ter sido acusado de ser o responsável pela quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, em 1989.


História de Naji Nahas

O empresário é de origem libanesa, tendo nascido em 1947, porém, foi criado no Egito e, mais precisamente em 1969, veio para o Brasil. Com o dinheiro que trouxe consigo, conseguiu se tornar proprietário de muitas empresas.

Entre elas, fábricas, seguradora, banco e fazendas de produção de coelhos. Já nos anos de 1980, Naji Nahas iniciou os seus investimentos na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Assim, obteve ações em estatais, inclusive da Petrobras e da Vale.

Quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro

Foi em 1988 que o nome de Naji Nahas se tornou realmente conhecido no país. Tudo começou quando ele adquiriu uma imensa quantidade de ações da Petrobras, aproveitando que o seu valor estava baixo. Porém, ele negociava as ações consigo mesmo.

Para tanto, fazia uso de empréstimos bancários, corretores e laranjas, inflando as cotações, o que levou o especulador a lucrar muito dinheiro de maneira ilegal. Durante meses, ele conseguiu seguir com o seu plano.

No entanto, chegou o momento em que direção da Bovespa convenceu credores a não emprestarem mais dinheiro ao empresário. Afinal, com o que ele estava fazendo, as ações começaram a inflacionar.

A partir isso, Naji Nahas ficou sem dinheiro e a sua dívida passou a ser das corretoras que intermediavam os seus negócios. Para compensar o prejuízo, a Bovespa confiscou a carteira de ações de 500 milhões de dólares do empresário.

Essa ação levou à quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro em 1989. O órgão se fragilizou e nunca mais se recuperou.

Prisões de Naji Nahas

Com o ocorrido, Naji Nahas foi preso, tendo que permanecer em reclusão domiciliar por um ano. Porém, foi inocentado do caso ao usar como defesa o argumento que não era apenas ele quem praticava as ações que o levaram à prisão.

Além disso, alegou que a quebra da bolsa do Rio foi provocada pelas decisões da direção do órgão, argumento que economistas da época corroboraram. De qualquer forma, o especulador voltou a ser preso em 2008 junto de outros investidores, entre eles, o banqueiro Daniel Dantas.

Agora, ele estava envolvido na investigação da operação Satiagraha, um dos desdobramentos do Mensalão, da Polícia Federal, a respeito do desvio de verbas públicas, lavagem de dinheiro e corrupção.

Além disso, em 2011 Naji Nahas foi condenado a pagar honorários advocatícios referentes à ação movida pela Bovespa. Em 2018 a sua dívida estava em R$ 4 milhões e, como não havia feito o pagamento, a justiça ordenou a apreensão do seu passaporte, a suspensão da sua carteira de motorista e o cancelamento dos seus cartões de crédito.

Pinheirinho e Naji Nahas

Em 2012, o especulador também voltou às manchetes. Seu nome estava associado ao caso de reintegração de posse de área que abrigava mais de 1500 famílias na região chamada de Pinheirinho, na cidade de São José dos Campos.

Na época, a retirada dos moradores do local pela Polícia Militar de São Paulo e a Guarda Municipal foi violenta, causando repercussão nacional.

Além disso, veio à tona o nome de Naji Nahas, porque ele estava muito interessado na desocupação.

A explicação é que o empresário era credor da massa falida da empresa, que era proprietária do terreno abandonado onde as famílias moravam há mais de oito anos.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados