Open Nav

Multiplicador Monetário

O que é multiplicador monetário

Multiplicador monetário é um instrumento para aumentar a oferta de moeda na economia. É ele que determina o quanto os bancos consegue "multiplicar" o dinheiro que recebe em depósitos.


Ampliação da oferta de moeda

 

Quando o banco recebe um depósito, esse dinheiro não fica todo parado na conta até ser retirado. Em vez disso, o banco mantem apenas uma parte do depósito, que corresponde à taxa de reserva obrigatória, determinada pelo Banco Central. O restante é investido para gerar lucros.

É importante destacar que a taxa de reserva existe para garantir que o banco terá recursos para atender os pedidos de saque dos valores depositados. Porém, como apenas uma pequena parte fica guardada, se todos os depositantes aparecessem no banco para sacar ao mesmo tempo, o sistema entraria em colapso.

Quando o banco pega o dinheiro que está depositado e investe – por exemplo, cedendo um empréstimo para um cliente –, ocorre uma multiplicação do dinheiro e, assim, amplia-se a oferta de moeda na economia.

Imagine, por exemplo, que José tem R$1000. Ele pega esse dinheiro e deposita no banco.

O banco pega os R$1000 de José e separa 20% de taxa de reserva. Isso significa que R$200 precisam ficar depositados, obrigatoriamente. Porém, os outros R$800, o banco cede em empréstimo a Antônio.

Assim, onde antes havia R$1000, agora existem R$1800: R$1000 que José pode sacar no banco a qualquer momento e R$800 que estão na mão de Antonio.

É claro que existe um limite para o quanto o banco consegue fazer essa multiplicação. Quem determina tal limite é o multiplicador monetário.

Cálculo do multiplicador monetário

O multiplicador monetário é calculado com base na seguinte fórmula:

M = 1 ÷ R

Onde:

*M é o multiplicador monetário

*R é a taxa de reserva compulsória de depósitos

Isso significa que, se a taxa de reserva é de 20%, o multiplicador monetário será 5.

Então, pegando o valor de um depósito inicial, 5 é o máximo de vezes que ele poderá ser expandido.

Como isso acontece? Você deve lembrar do exemplo de João e Antônio, que transformou R$1000 em R$1800. Acontece que, na vida real, a história não para aí.

Depois de pegar os R$800 em empréstimo, Antônio vai depositar esse dinheiro no banco. Novamente, o banco vai retirar a taxa de reserva obrigatória – que, agora, é de R$160 – e usar o resto para conceder crédito. Então, os R$640 restantes vão se tornar um empréstimo para Marcos.

Nesse ponto, os R$1000 já se transformaram em R$2440. Esse ciclo continuará a se repetir, até atingir o limite estabelecido pelo multiplicador monetário, que é de 5 vezes o valor do depósito inicial, ou seja, R$5000.

Multiplicador monetário e política monetária

O multiplicador monetário é um instrumento para a política monetária que pode ser utilizado pelo Banco Central, tanto em tentativas de expandir a base monetária quanto em tentativas de contraí-la. Para isso, o Bacen precisa modificar a alíquota da taxa de retenção.

Quando o Bacen diminui a alíquota, ele permite que o multiplicador monetário cresça. Essa posição favorece a expansão da base monetária.

Por outro lado, quando o Bacen aumenta a alíquota, ele limita o multiplicador monetário. Essa posição favorece a contração da base monetária.

Vamos olhar para a fórmula novamente. Já sabemos que, se a alíquota é de 20%, o multiplicador é 5, permitindo multiplicar o dinheiro recebido em depósitos 5x.

Agora, se a alíquota cair para 10%, o multiplicador torna-se 10, permitindo multiplicar o dinheiro recebido em depósitos 10x.

Ao contrário, se a alíquota subir para 25%, o multiplicador torna-se 4, permitindo multiplicar o dinheiro recebido em depósitos apenas 4x.

 

Descomplicando a Bolsa de Valores

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados